Quem vai te surpreender: AFC West

Não só os figurões das equipes que você deve ficar de olho. Cada time sempre tem aquele jogador que você não espera nada e que podem fazer uma boa temporada. Nada brilhante para bater recordes – pode até ser que isso aconteça, mas aqueles que vão cumprir bem o seu papel e chama a atenção.
O NFL Brasil conta quais são esses jogadores, começando pelos times da divisão oeste da Conferência Americana: Raiders, Broncos, Chiefs e Chargers.
Oakland Raiders: Rod Streater
O elenco do Raiders é notavelmente curto em talento quando se fala de recebedores. A chegada de James Jones é uma pequena luz para a Raider Nation, que ainda sente falta de um recebedor n°1, apesar de Denarius Moore ter assumido esse papel na última temporada. Streater teve mais jadas recebidas que Moore (que sofreu uma lesão, ficando de fora de diversos jogos) e quase o mesmo número de TDs (cinco para Moore e quatro para Streater).

Denver Broncos: Montee Ball
O principal motivo da não renovação de Knownshon Moreno, Monte Ball vai ser o burro de carga desse time. Ainda precisando trabalhar nos bloqueios, motivo pelo qual não começou a temporada passada como titular, apesar de ter talento de sobra, Ball está no lugar perfeito para continuar o estrago que começou ano passado. Jogar ao lado de Peyton Manning ajuda muito, mas não se engane, há muitos mais combustível nesse motor do que as 559 jardas e quatro TDs do ano passado.

Kansas City Chiefs: Eric Fisher
A primeira seleção do Draft 2013 vai mudar de lado esse ano. Sai da posição de right tackle e jogará do lado esquerdo, cobrindo a saída do free agency Brandon Albert, quem defendia o lado esquerdo do canhoto Alex Smith. A sua responsabilidade é muito grande e é por isso que eles está nessa lista. Além disso, fica a torcida por Caio dos Santos, que assinou o contrato de undrafted free agent e pode estrear nessa ou na próxima temporada.

San Diego Chargers: Ladarius Green
Green apareceu muito bem do meio para o final da temporada, com uma recepção importante demais nos playoffs contra os Bengals. O alemão (sim, ele nasceu em Berlim e se mudou para os EUA quando tinha apenas três anos) é uma das muitas armas de Rivers e ajuda a tirar a marcação de Antonio Gates e criar um inferno nas defesas alheias. Com a maior proximidade da aposentadoria de Gates, está em ótima forma e posição para conquistar a vaga de TE n°1. 

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários