Até onde podem ir Dallas Cowboys e San Diego Chargers na temporada 2014

Não resta dúvida de que as grandes surpresa desta primeira metade da temporada são Dallas Cowboys e San Diego Chargers. A equipe da Califórnia nem tanto, mas o time do Texas sim é uma muita surpresa. As duas franquias tem campanhas semelhante: ainda não folgaram na temporada regular 2014, venceram os atuais campeões do Super Bowl, perderam as suas estreias e desde então não sabem mais o cheiro da derrota.

No entanto, a grande questão que fica é: os dois times são candidatos ao Super Bowl ou serão cavalos paraguaios nesta temporada?

Como vinho

Rivers fez um dos melhores jogos da carreira.

Rivers vem carregando o ataque dos Chargers

Philip Rivers vive um dos melhores momentos de sua carreira, senão o melhor até aqui. Com muita experiência e maestria, não comete os erros de outros anos, que deixava os torcedores dos Bolts revoltados. O QB comanda, ao lado de um bom grupo de recebedores, a melhor campanha da AFC nesta temporada, com 15 touchdowns, apenas duas interceptações e um rating total  de 117.6 até aqui.

Nenhum wide receiver ou tight end dos Chargers está entre os dez melhores, mas quatro estão entre os 50 com mais jardas recebidas: Malcom Floyd (24º – 362), Eddie Royal (34º – 325), Antonio Gates (44º – 302) e Keenan Allen (47º – 296). Correndo com a bola os números não são tão bons, o que valoriza ainda mais o desempenho de Rivers e companhia.

Com uma média de 308.2 jardas de média por partida e 15.2 pontos por jogo, a defesa de San Diego tem dado conta do recado, mesmosem forçar muitos turnovers. São quatro interceptações e cinco fumbles forçados, números baixos para o setor, mas alto quando falamos de apenas dois turnovers do ataque. O saldo de turnovers é de sete, o quarto melhor da Liga. A chegada de Brandon Flowers trouxe mais segurança para a secundária e Donald Butler tem tomado conta dos avanços terrestres, liderando o time em sacks.

-> CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DA TEMPORADA 2014

-> VEJA O CALENDÁRIO DA TEMPORADA REGULAR 2014

Quinto time com a maior média de idade, 26.64 anos, a maioria dos jogadores tem experiência em playoffs e isso pode pesar lá na frente. O time briga com os Broncos pelo título da AFC West e, caso não vença a divisão, caminha a passos largos para avançar aos playoffs como Wild Card na Conferência Americana. Avançar como campeão de divisão é melhor, pois leva a decisão para casa. Os dois jogos contra Denver, nas semanas 8 e 15, são decisivos para as pretensões do time na temporada.

Correndo muito para o sucesso

Murray foi o nome do Sunda Night football

DeMarco Murray está voando na temporada regular 2014

Nenhum running back da NFL pegou tanto na bola para fazer corridas como DeMarco Murray, que está em sua quarta temporada e parece finalmente ter chamado atenção do ataque do Dallas Cowboys. Murray tem 180 toques na bola na temporada regular 2014, sendo 159 para corridas e 21 em recepções. Em seis semanas, passou de 100 jardas em todos os jogos e anotou seis touchdowns. Essa tem sido a principal chave do sucesso dos Cowboys até aqui nesta temporada. No entanto, fica a questão: até quando o tratorzinho vai segurar a barra?

Romo faz uma temporada segura, nada espetacular. Mais de 1500 jardas, 11 touchdowns e cinco interceptações. Disso, 439 jardas e quatro touchdowns foram para Dez Bryant, que vem causando estrados nas defesas adversárias.

Mas vale o destaque para a defesa da equipe. Antes da temporada, após ficar sabendo da grave lesão do LB Sean Lee, muitos deram a temporada como praticamente perdida. No entanto, aos poucos, a defesa texana vem mostrando que pode ganhar jogos e Rolando McClain é um dos candidatos ao prêmio de Comeback oh the Year. Com 10 turnovers forçados nesta temporada, o sistema defensivo Rod Marinelli funciona bem e vem confirmando vitórias, como foi contra os Seahawks e contra os Texans.

O calendário até a 11ª semana, quando o time tem a bye week, é considerado tranquilo, mas após complica. Os Cowboys voltam do descanso enfrentando os Giants, recebem os Eagles, vão até Chicago, depois à Philadelphia, recebem os Colts e fecham contra os Redskins fora. Os duelos divisionais contra os Eagles vão definir o destino do time. Assim como para os Chargers, vencer a divisão é fundamental para jogar em casa nos playoffs.

Opinião do Endzone Brasil

Rafael Araújo: os dois times vão para os playoffs, mas acredito que os Chargers devem chegar mais longe. Além do dezembro ser pesado para os Cowboys, mês que o time costuma não se dar bem, vejo a NFC um pouco mais forte, ainda mais se Dallas decidir fora de casa. Acredito que os Chargers perdem no Divisional Round e os Cowboys no Wild Card Round.

Matheus Filippi: Não tenho dúvida alguma que o San Diego Chargers chegará longe em 2014. Não se surpreenda ao ver Philip River levantando o Vince Lombardi em fevereiro. O time da Califórnia possui todos os requisitos de um time vencedor na NFL: ótimo técnico, QB confiável com muitas armas para utilizar, vive um momento espetacular desde a arrancada aos playoffs no ano passado e conta com uma das melhores defesas da liga. História um pouco diferente dos Cowboys. Claro que uma vitória contra os atuais campeões em pleno CenturyLink Field é um feito e tanto, mas o time precisa subir alguns degraus para falar em Super Bowl. Ao contrário dos Bolts, os Cowboys dependem demais de algumas individualidades, dificilmente o time vai vencer se DeMarco Murray não estiver em campo, ou em um mal dia. Pode ser que o time não chegue lá, mas mesmo assim está fazendo um trabalho muito melhor do que todos esperavam, principalmente a defesa.

Tony Romo é o ponto chave para a sequência do ano

Guilherme Cohen: Eu não vejo um Cowboys com o Romo sendo uma potência em playoffs. Me desculpem, mas um quarterback que é titular há nove temporada e não consegue ir pra Super Bowl, sendo que já teve times que eram uma máquina… O San Diego Chargers é bom, encaixado e sabe jogar. O Rivers é a versão boa do Romo. O time vai longe.

Marcelo Camelo: Tony Romo é ótimo QB, mas os Cowboys não têm um grupo tão forte quanto os Eagles têm. Então a divisão já tem dono. E pelo Wild Card Dallas não conseguiria, por New Orleans, Green Bay e San Francisco terem mais time. Mostrou muita evolução no jogo, mas os Cowboys não conseguirão a vaga pelo simples fato de outros times serem mais completos. Já os Chargers continuam com a mesma pegada da temporada passada. McCoy mudou a cara da franquia, Rivers e Gates parecem ter 25 anos de idade, defesa agressiva e saudável. Mas talvez não cheguem mais longe pela falta de uma referência no jogo terrestre. E a gente sabe que mesclar corridas com passes é o feijão com arroz de uma ofensiva de sucesso.

Caio Porthus: Chargers chegam final de conferência, Cowboys caem no Wild Card. Não duvido dos Chargers no SB e acredito em uma final de conferência meio doida na AFC, tipo Chargers x Bengals, por exemplo. Algo diferente.

Alessandro Moletta: Chargers tem um bom time, acredito que para garantir até mesmo a vaga de campeão de divisão. Um backfield estreito pode deixar o time na mão na hora dos playoffs. Até agora, somente o ataque realmente fez um bom serviço contra o Seahawks, pois sofreram para ganhar dos Raiders. Já Dallas tem bons recebedores como Dez Bryant, Terrance Williams e Jason Witten, além de DeMarco Murray estar perto de bater o recorde de jogos seguidos com mais de 100 jardas corridas. A defesa continua sendo a principal preocupação do time, apesar do Comeback of the Year hors concurs, Rolando McClain. Para sequer chegar ao Wild Card vai precisar que Tony Romo eleve seu jogo e até agora, com as costas baleadas, ele ainda mostra ser confiável para levar os Cowboys ao SB, novamente.

Concorda com a gente? Discorda? Deixe sua opinião e vamos debater nos comentários.

Comentários