Pré-jogo final da NFC 2015: Green Bay Packers x Seattle Seahawks

faixa packers seahawks

LOCAL: CenturyLink Field
DIA: 18 de janeiro
HORÁRIO: 18h05 (de Brasília)
TRANSMISSÃO: ESPN

Os duelos divisionais já fazem parte do passado, o que está na mesa agora é uma vaga no Super Bowl 49. Após uma fantástica virada contra os Cowboys, o Green Bay Packers terá um grande desafio pela frente: bater o Seattle Seahawks no CenturyLink Field. Estamos falando do atual campeão, no melhor momento de toda a temporada, atuando em um palco onde perdeu apenas duas partidas nos últimos dois anos. Se a tarefa para os Packers já era complicada com Aaron Rodgers saudável, imagine com o principal jogador do time longe de 100% fisicamente.

estatisticas packers seahawksMais uma vez, os destinos de Packers e Seahawks voltam a se cruzar no CenturyLink Field. O primeiro capítulo desta história recente aconteceu no famoso jogo de 2012, mundialmente conhecido pelo “Fail Mary” validado pelos árbitros substitutos. Quem não se lembra da interceptação do safety MD Jennings no estouro do cronômetro, que acabou virando um touchdown do WR Golden Tate? Independente do erro, foi exatamente nesse dia que o mundo passou a olhar os Seahawks com outros olhos, começava no dia 24 de setembro de 2012 a dinastia criada por Pete Carroll e companhia.

Os Packers voltaram a visitar o ambiente hostil no primeiro jogo da temporada 2014,  um passeio dos donos da casa: 36 a 16. O time de Mike McCarty não estava pronto para o desafio em setembro, conseguirá fechar esse ciclo aberto em 2012 com uma vitória em Seattle? Green Bay foi um dos times que mais evoluiu ao longo do ano, são 12 vitórias e duas derrotas nos últimos 14 jogos. O ataque foi o que mais pontuou na temporada regular (486 pontos), a defesa melhorou demais na segunda metade da temporada. Será o suficiente para vencer os atuais campeões? A tarefa não será nada fácil.

Isso porque Seattle também melhorou significantemente seu desempenho ao longo do ano, quando os jogadores resolveram deixar os egos de lado e voltar a jogar como um time. Focada, essa equipe  é praticamente imbatível. Impulsionados por sua defesa, os comandados de Pete Carroll vêm de uma sequência de sete triunfos consecutivos, cedendo uma média de oito, isso mesmo, OITO pontos no período em questão. Esse grupo tem tudo para não somente chegar no segundo Super Bowl consecutivo, mas também ser o primeiro time desde o New England Patriots de 2005 a conquistar o título dois anos consecutivos.

-> ENTENDA MELHOR A LESÃO DE AARON RODGERS
-> QUATRO JOGADORES QUE PODEM FAZER A DIFERENÇA NAS FINAIS DE CONFERÊNCIA

-> A IMPORTÂNCIA DA CAMISA 12 PARA OS TIMES NAS FINAIS DE CONFERÊNCIA

Últimos confrontos:

Famosa "Fail Mary" de 2012

Famosa “Fail Mary” de 2012

Como já dito, os dois times se encontraram duas vezes nos últimos anos, ambas no palco da final deste domingo, o CenturyLink Field. Nas duas oportunidades os Packers perderam. A primeira por 14 a 12, jogo que Green Bay vencia até o último segundo de partida. O segundo duelo não teve nada de equilibrado, os Seahawks passaram o carro: 36 a 16. Marshawn Lynch foi o destaque, correu 101 jardas e anotou dois touchdowns.

 

Chave da vitória para os Packers:

Lacy passou das 100 jardas na última partida

Lacy passou das 100 jardas na última partida

Aaron Rodgers é tão espetacular que, mesmo 70% saudável, virou o duelo para cima dos Cowboys no Lambeau Field. Mesmo debilitado, ele pode tirar outro coelho da cartola, mas precisará de toda a ajuda possível. Exceto nas três ajoelhadas da vitória, A-Rod utilizou formações “pistol” e “shotgun” em todas as jogadas, espere mais disso no próximo domingo. A linha ofensiva foi bem, mesmo em formações de blitz, mas o pass-rush de Seattle é bem mais feroz. Nessas circunstâncias, uma boa atuação do RB Eddie Lacy é quase obrigatória para um triunfo no CenturyLink Field: deixa o ataque mais imprevisível, essencial contra a “Legion of Boom”, tira um pouco da pressão de Rodgers e abre o leque para jogadas de play-action, que o camisa 12 executa com maestria.

A já conhecida tática do ataque dos Seahawks passa exclusivamente por estabelecer o jogo corrido, principalmente no terceiro período, vender a corrida jogada após jogada, até matar a campanha com um play-action mortal. Isso é tudo que Green Bay não pode permitir em Seattle. O coordenador Dom Capers ajeitou a defesa na segunda metade da temporada, principalmente dando mais oportunidades ao LB Sam Barrington e deslocando o monstro Clay Matthews para o miolo da linha de linebackers em algumas formações. Além de Brecar Lynch, Matthews terá a difícil missão de manter Russell Wilson dentro do pocket.

Chave da vitória para os Seahawks:

Lynch anotou 17 TDs na temporada regular

Lynch anotou 17 TDs na temporada regular

Mesmo com a notória melhora da defesa de Green Bay contra corridas, os Seahawks devem investir pesado no jogo corrido, foi o time que teve mais jardas terrestres na temporada regular (162 por jogo). Por incrível que pareça, o ataque se encontrou após a saída do WR Percy Harvin, abandonou aquelas formações tipo “bubble screen” e “jet sweep” para investir nas corridas de Lynch e em passes curtos. Russell Wilson tem o melhor aproveitamento em terceiras descidas da história dos playoffs (73,9%), outro bom desempenho no quesito será essencial para manter o machucado A-Rod sentado no banco de reservas.

Assim como tentou fazer os Cowboys na semana passada, pressionar o contundido Aaron Rodgers será prioridade número um da defesa. Ficou mais do que claro que A-Rod possui sérias dificuldades quando tem que se movimentar dentro do pocket. Apesar do número pequeno de sacks, a defesa dos Seahawks consegue muito bem pressionar o QB adversário com apenas quatro homens. Michael Bennett e Cliff Avril são ótimos no quesito, o OLB Bruce Irvin atua como um defensive end em formações claras de passe. Embora seja excelente, a secundária, conhecida como “Legion of Boom”, terá que dar conta de Jordy Nelson e Randall Cobb, os WRs dos Packers formam a única dupla da história da NFL com  pelo menos 1.200 jardas e 12 TDs recebidos cada um em uma única temporada (2014).

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários