Com field goal no último segundo, Cardinals derrotam os Bengals

Não foi à toa que o duelo entre Arizona Cardinals e Cincinnati Bengals foi reagendado para o horário nobre dos Estados Unidos, a promessa de um jogão entre dois dos melhores times atualmente se confirmou no Sunday Night Football deste domingo (22). Cheio de viradas e reviravoltas, teve emoção até o fim, os Cardinals chutaram um field goal nos segundos finais e venceram o embate por 34 a 31 na University of Phoenix, no Arizona. Carson Palmer foi o nome da partida, se recuperou de duas interceptações no primeiro período e lançou quatro touchdowns. Do outro lado, Andy Dalton também foi bem, apareceu na hora da decisão e quase levou o duelo para uma improvável prorrogação.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (29): os Bengals recebem os Rams em Cincinnati às 16h, os Cardinals viajam para encarar os 49ers no Levi’s Stadium às 19h05.

cardinals bengals grande

Vantagem dos Bengals em Phoenix

cardinals bengals 2Não foi o começo de partida que o torcedor presente no University of Phoenix Stadium esperava, um primeiro quarto muito ruim do time da casa. Principalmente pelo desempenho ruim do QB Carson Palmer, estava extremamente incomodado com as formações de blitz da defesa dos Bengals. Ele lançou interceptações em duas das três primeiras campanhas, a segunda em particular foi uma coisa bem grotesca. Ferido após o fiasco do último Monday Night Football, o ataque dos Bengals transformou pelo menos um dos turnovers em touchdowns, campanha de três minutos que Andy Dalton finalizou com um lindo passe para o TE Tyler Eifert dentro da end zone.

Após um desempenho pífio até então, como diria o outro, o ataque dos Cardinals acordou para a vida no começo do segundo quarto. Palmer se redimiu dos erros comandando um bom drive, fechado com um ótimo passe no canto direito da end zone para o TE Darren Fells. Arizona não fez mais nada até o fim da primeira etapa, até porque praticamente não encostou mais na bola, os Bengals tiveram uma campanha de quase nove minutos! Dói mas ainda quando se permite um drive gigante desse que ainda termina em touchdown. O RB Jeremy Hill terminou a campanha de 14 jogadas com uma corrida curta para TD, os visitantes foram para os vestiários vencendo por 14 a 7.

Emoção até o último segundo

cardinals bengals 3O ataque dos Cardinals voltou totalmente diferente para a segunda etapa, esse sim é o segundo time que mais anotou pontos em 2015. As duas equipes tiveram três campanhas no terceiro período, a diferença foi que todos os drives dos Bengals terminaram em punts e os dos Cardinals em touchdowns. Foi um show de Carson Palmer, o QB veterano fez o que quis com a defesa visitante. Foram três passes para touchdown para recebedores diferentes: os calouros J.J. Nelson e David Johnson, além do WR John Brown receberam os TDs.

14 pontos atrás do placar no início do último período, os Bengals mostraram toda a força do seu ataque, afinal, se trata do quinto melhor da liga em pontos. Andy Dalton trabalhou muito bem a bola, por exatos cinco minutos, converteu até uma terceira descida para 26 jardas e posicionou seu ataque a uma jardinha da end zone. O RB Jeremy Hill mergulhou e cruzou o plano de goal, colocando os Bengals de volta na partida! A reação podia ter sido ainda mais eficaz, Dalton teve a bola de volta rapidamente, mas acabou cometendo um turnover. Sofreu um sack do calouro Markus Golden, Arizona recuperou a posse e transformou a roubada de bola em um field goal de 24 jardas.

Dalton recebeu a bola de volta com exatos 6:27 no cronômetro e duas posses de bola atrás, precisava de pelo menos um touchdown e um field goal para levar a partida para a prorrogação. Foi exatamente o que aconteceu. O camisa 14 foi espetacular, levou nas costas os dois drives para empatar a partida no Arizona. Primeiro anotou o touchdown, lindo passe curto para o monstro TE Tyler Eifert, depois posicionou o kicker Mike Nugent para um chute de 43 jardas. Jogo empatado em Phoenix!

cardinals bengals 1O ataque dos Cardinals tinha uma difícil missão pela frente, 58 segundos para tentar alguma pontuação que evitasse o tempo extra. O ataque vinha fazendo um trabalho ruim no último período, muito porque insistia em corridas do RB Chris Johnson para gastar o máximo possível de relógio. Agora o cronômetro era inimigo de Arizona. O time voltou a mover as correntes quando fez o que sabe, passar a bola, Carson Palmer acertou bons passes para Larry Fitzgerald e foi avançando no campo.

Os Cardinals posicionaram seu kicker para um chute de 47 jardas, ajoelharam na bola para gastar o que restava no cronômetro para chutar nos segundos finais. Pouco antes de Palmer fazer o ‘spike’, os juízes marcaram uma falta pessoal do NT Domata Peko, por ficar gritando sinais ofensivos para confundir a linha dos Cardinals. Com 15 jardas para frente o chute virou quase que automático, Catanzaro colocou a tentativa de 32 jardas dentro do “Y” e deu a vitória aos Cardinals!

Comentários