Patriots caem para os Dolphins em Miami e podem perder 1º posição da AFC

Ao longo do ano, muito se falava da passividade do Miami Dolphins, o time entrou em 2015 cotado a chegar nos playoffs, mas, semana após semana, foi decepcionando seu torcedor. O mais criticado de todos era o QB Ryan Tannehill, por não aparecer nos momentos decisivos. Bem, hoje foi diferente. O quarterback foi ‘clutch’ no último quarto, liderou o time a vitória contra o New England Patriots, infelizmente ele resolveu jogar bem quando não valia mais nada. Longe de serem brilhantes, os Dolphins venceram por 20 a 10 no SunLife Stadium, em Miami.

Segunda derrota seguida dos Patriots, ambas para rivais de divisão, tropeços que podem tirar da equipe a melhor campanha da AFC. Se o Denver Broncos vencer o San Diego Chargers na partida que começa agora, o time de New England não terá a melhor campanha da sua conferência. Mesmo assim o time está nos playoffs e folga na primeira semana, pode enfrentar Cincinnati Bengals, Pittsburgh Steelers, Houston Texans ou Kansas City Chiefs no Divisional Round.

dolphins pats grande

Liderança dos Dolphins

dolphins pats 2O técnico Bill Belichick é conhecido por mudar totalmente o padrão de jogo do seu time para explorar as fraquezas do seu adversário, foi exatamente o que aconteceu no início do duelo na Flórida. Ele resolveu simplesmente ignorar que conta com um dos melhores quarterbacks de todos os tempos e focar no jogo corrido, visto que enfrentava a segunda pior defesa pelo chão. Acontece que o seu ataque também é o terceiro pior da liga correndo com a bola. Foram nove jogadas no primeiro período, oito corridas e um passe, total de 27 jardas. No mesmo período, o ataque dos Dolphins computou 124 jardas, mas na prática apenas três pontos no marcador, Miami abriu o placar com um field goal de 38 jardas do kicker calouro Andrew Franks.

O plano de Belichick seguiu no segundo período, dessa vez com algum sucesso. Aos poucos, Brandon Bolden e o recém-chegado Steven Jackson foram encontrando espaços na defesa dos Dolphins, foram nove corridas e apenas dois passes na longa campanha de seis minutos. O time visitante bateu na porta da end zone adversária, mas teve que se contentar com um field goal de 34 jardas de Stephen Gostkowski que empatou o duelo no SunLife Stadium. O kicker ainda teve outra tentativa de FB antes do intervalo, este de 46 jardas, mas mandou a direita do “Y”. O camisa 3 mantinha uma média de 94,1% de acertos em 2015.

O ataque dos Dolphins também havia desperdiçado uma tentativa de field goal, curiosamente também de 46 jardas, no começo do segundo período. O ataque nada fez até receber a bola com dois minutos para o intervalo. O time da casa anotou o primeiro touchdown da tarde em um drive relâmpago de 31 jardas, impulsionado por por uma conexão longa de 31 jardas de Ryan Tannehill com o veterano Greg Jennings. Sim, o veterano ainda está no elenco! Tannehill finalizou a campanha com um passe de 15 jardas para o touchown de DeVante Parker, os Dolphins foram para o intervalo vencendo por 10 a 3.

Tannehill ‘clutch’

dolphins pats 1Ao contrário do começo da partida, os Patriots voltaram para a segunda etapa utilizando bastante Tom Brady e o ataque aéreo que, mesmo desfalcado, ainda é muito perigoso. Foram ao todo 18 jogadas da equipe no terceiro período, em quatro campanhas, 13 delas foram passes do camisa 12. Apenas o primeiro dos quatro drives resultou em pontos, logo o primeiro. Brady posicionou o ataque na red zone com uma linda conexão de 68 jardas para James White, Jackson finalizou o serviço com uma corrida de duas jardas para dentro da end zone, primeiro TD dele com a camisa dos Pats.

Os Dolphins nada produziram no terceiro período, três campanhas curtas e apenas dois first downs. Eis que o ataque renasceu no último período, Tannehill acertava bons passes e caminhava o time pelo campo. Foram duas ótimas campanhas lideradas pelo camisa 17, muito criticado por sua falta de atitude na hora da decisão. Pena que ele resolveu ser ‘clutch’ quando não valia mais nada. Na primeira ele começou com uma conexão longa com DeVante Parker e acabou com um passe curto para o tight end Jordan Cameron dentro da end zone. A segunda logo em seguida, os Dolphins ficaram a uma jarda de mais um touchdown, mas tiveram que se contentar com um field goal curto.

O ataque dos Patriots simplesmente não funcionou no último quarto, Brady sofreu o jogo inteiro com o pass-rush de Miami. A preocupação com a saúde do camisa 12 era tanta que ele foi tirado do time na campanha final da equipe, mesmo o time com dois minutos no relógio e perdendo por dez pontos. Jimmy Garappolo nada conseguiu fazer, a defesa dos Dolphins segurou o ímpeto do reserva e garantiu a vitória!

Comentários