Análise tática: competência de Del Rio na conversão de 2 pontos dos Raiders

ANÁLISE TÁTICA

Jack Del Rio chocou o mundo da NFL com uma decisão pouco convencional no último domingo. O técnico do Oakland Raiders viu seu time anotar um touchdown nos segundos finais do duelo contra os Saints – optou pela tentativa de conversão de dois pontos que poderia dar a vitória do que chutar o extra point para levar o duelo a prorrogação. Para desespero de Drew Brees e companhia, Derek Carr completou o passe no canto esquerdo da end zone e deu a vitória aos Raiders por 35 a 34! Que resultado!

oak2-0O tipo de atitude do treinador geralmente leva a dois extremos: se funciona é um gênio e se não funciona é um imbecil. É preciso achar o meio termo nesse contexto. Muitos meios de imprensa creditaram o sucesso da jogada como um ‘golpe de sorte do treinador’, mas uma análise mais aprofundada mostra extrema competência de Del Rio na escolha da fatídica jogada. Thomas Jefferson já dizia: “Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho”. Esse precisa ser o viés da observação.

Primeiramente é preciso entender a situação que os Raiders viviam no momento. A defesa vinha em uma tarde muito ruim: o pass-rush não pressionava Drew Brees e o veterano vinha engolindo o time de Oakland jogada após jogada. Tanto que o quarterback dos Saints acabou o jogo: 423 jardas, quatro TDs e nenhuma INT – um rating de 131,3. Caso o jogo fosse para a prorrogação, e os Raiders perdessem no cara ou coroa, a chance do ataque nem encostar na bola era considerável.

Tanto que a decisão de ir para os dois pontos veio antes do drive final começar. O quarterback Derek Carr contou a imprensa que Del Rio o informou que, caso o time chegasse ao touchdown, tentaria a conversão. “Estava pensando que viemos aqui para vencer… vamos vencer agora!”, disse Del Rio ao seu quarterback. Atitude que mostra a confiança no elenco e a mudança de mentalidade na equipe. Foi a quarta vez na história que isso aconteceu desde a implantação da conversão de dois pontos em 1994.

Vejamos como Jack Del Rio esquematizou a jogada da vitória:

1-final

A presença de um running back ao lado de Derek Carr deixou o front seven ‘honesto’ em caso de um avanço pelo chão. Repare como a defesa dos Saints estava preocupada com uma possível corrida – são sete jogadores pelo meio. Oakland colocou dois jogadores perigosos do lado direito: Amari Cooper e Seth Roberts – WR que havia acabado de receber o touchdown minutos atrás. A presença os dois por lá chamou a atenção de Jairus Byrd – o safety praticamente abandonou o lado esquerdo. Exatamente onde a jogada estava programada a acontecer explorando a presença do calouro Ken Crawley – que entrou na fogueira no lugar do contundido Delvin Breaux.

2

Del Rio foi extremamente inteligente em explorar a fragilidade do garoto – que sequer foi escolhido no Draft. A cabeça de Crawley devia estar a um milhão – ele havia acabado de errar o tackle em Roberts que resultou no touchdown derradeiro. Repare que Carr sequer hesitou na decisão – estava em todos os momentos com os olhos vidrados no favorável matchup.

3

Repare como a secundária dos Saints praticamente abandonou o calouro em cobertura simples com um WR experiente – péssimo trabalho. A chamada de um back-shoulder fade foi fundamental para, além de tudo, explorar a diferença de altura entre os dois: Crabtree é quatro centímetros mais alto. Aqui também entra a qualidade de Derek Carr: o QB colocou um belíssimo toque na bola e acertou exatamente o lugar que beneficiaria seu recebedor. Que passe espetacular! Mérito também para Crabtree que agarrou a bola no momento decisivo e completou a recepção. Será esse o ano da volta do Oakland Raiders aos playoffs após 13 temporadas? Este foi um grande primeiro passo.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários