Na troca de Sam Bradford, quem se deu melhor: Vikings ou Eagles?

Depois de perder o QB Teddy Bridgewater pelo restante desta temporada, o Minnesota Vikings precisava correr contra o tempo para arrumar um quarterback para a temporada regular 2016. A busca acabou neste sábado (03), com o anúncio da troca com o Philadelphia Eagles por Sam Bradford. Pelo negócio, os Eagles vão receber uma escolha de primeira rodada no NFL Draft 2017 – que será na Filadélfia, e uma escolha condicional no Draft 2018, variando de acordo com o desempenho dos Vikings.

Boas vindas para Bradford

Boas vindas para Bradford em Minnesota

O lado dos Vikings

Nova arena do Minnesota Vikings

Nova arena do Minnesota Vikings

Campeão da NFC North na temporada passada, desbancando os Packers, Minnesota tinha uma equipe pronta para ir ainda mais longe em 2016, com um ataque regular e uma defesa extremamente ajustada e decisiva. Isso sem contar na empolgação da torcida pelo novo estádio, inaugurado em 2016 e que receberia seus primeiros jogos de temporada regular da NFL a partir do mês de setembro.

No entanto, a lesão de Bridgewater mudou todos os planos e jogou a empolgação em Minneapolis lá embaixo. A busca pelo substituto durou três dias e culminou na troca. Bradford não consegue uma boa temporada desde 2012 e tem problemas físicos frequentemente. No desespero, buscaram um quarterback que não tinha esperança nenhuma de ter um bom ano em troca de uma primeira escolha e outro futura. Muito arriscado.

Bradford tem talento e não foi escolhido como primeira pick geral do Draft 2010 atoa. Ele não tem o mesmo estilo de jogo de Bridgewater e não conhece o estilo ofensivo de Minnesota, o que pode gerar muitos problemas nos primeiros jogos. Adrian Peterson assume um papel ainda mais importante no ataque, e se não conseguir jogar, as chances da temporada que prometia ser de ouro virar uma temporada jogada fora são grandes.

O lado dos Eagles

Bradford não era nenhuma unanimidade em Philly. A escolha de Carson Wentz na segunda escolha geral e a chegada de Chase Daniel, que veio junto com o técnico Doug Pederson, com quem trabalhou em Kansas City, davam a entender que a titularidade do camisa 7 estava ameaçada.

QB SAM BRADFORD EAGLESPela segunda escolha geral ter sido um atleta da mesma posição, dava a entender que os planos era preparar o terreno com Sam Bradford para Carson Wentz entrar e virar o titular daqui há alguns. No entanto, a saída de Bradford antecipa isso. Wentz será o quarterback 1 na primeira semana, desde que se recupere bem do problema que sofreu nas costelas, durante a pós-temporada. Caso não esteja apto, Chase Daniel entra no lugar.

Pode dar certo, mas é mais provável que não. Sendo assim, o time recuperou a escolha de primeira rodada no NFL Draft 2017 para poder se recompor e buscar uma temporada melhor em 2017, além de uma escolha a mais em 2018, que pode ir da segunda até a quarta rodada.

A troca foi melhor para os Eagles, que se aproveitaram do desespero dos Vikings para ganhar uma ótima primeira escolha em 2017 e agilizar um plano de reestruturação baseado em Carson Wentz. Minnesota poderia tentar Colin Kaepernick em uma troca com os Niners, pois o QB de San Francisco tem mais a cara da franquia.

Comentários