Wentz, Will Fuller, Elliott… O primeiro ato dos calouros na temporada 2016

Estrear na NFL não deve ser tarefa fácil, mas alguns calouros começaram muito bem suas carreiras na principal Liga de futebol americano do mundo. Diante de mais de 50 mil torcedores, os rookies se destacaram e conduziram seus times a importantes vitórias. Outros não venceram, mas mostraram que podem ter sucesso em um futuro próximo na NFL.

Carson Wentz – Philadelphia Eagles

Dos calouros da semana 1, o que mais agradou foi Carson Wentz. Depois de jogar apenas o primeiro jogo da pré-temporada, quando sofreu uma lesão na costela, herdou a vaga de titular após a saída de Sam Bradford e foi muito bem. Com confiança e agressividade, ele controlou a defesa dos Browns e terminou a partida com 22/37 passes completados para 278 jardas, dois touchdowns aéreos e nenhuma interceptação. A atuação da linha ofensiva ofereceu a tranquilidade para o jovem QB.

Carson Wentz foi o destaque dos Eagles no kickoff

Carson Wentz foi o destaque dos Eagles no kickoff

Will Fuller – Houston Texans

Os números do Fuller no jogo dizem por si mesmo: melhor estreia de um calouro na história dos Texans. Foram 11 bolas lançadas na sua direção, com cinco recepções 107 jardas e um touchdown. Ele demorou a entrar no ritmo do ataque, mas quando entrou, mostrou muita velocidade e deu dinamismo para o ataque dos Texans. Ele mostrou boa desenvoltura em rotas curtas e corrida perfeitas das rotas, sendo peça fundamental ao lado DeAndre Hopkins.

Ezekiel Elliott e Dak Prescott – Dallas Cowboys

Elliott marcou o primeiro touchdown da carreira

Elliott marcou o primeiro touchdown da carreira

A dupla do Dallas Cowboys perdeu o jogo, mas foram bem. Elliott anotou um touchdown de oito jardas e conseguiu bons momentos terrestres. Ainda vai crescer e chamar a responsabilidade, mas mostrou seu lado calouro, assim como Dak Prescott. O quarterback, sem se arriscar muito, chegou a ter mais de 70% dos passes completados no terceiro quarto. Prescott terminou a partida sem touchdowns, mas também sem interceptações. Teve a oportunidade de se consagrar na última campanha do jogo, mas faltaram umas 10 jardas e um time out a mais para posicionar o kicker Dan Bailey em posição de vencer a partida.

Roberto Aguayo – Tampa Bay Buccaneers

O kicker do Tampa Bay Buccaneers, bastante questionado durante a pré-temporada, chegou com a NFL com os melhores números da história do College Football. No primeiro contato com a Liga, em agosto, assustou um pouco ao errar chutes curtos e até pontos extras. Na estreia, fora de casa, contra os Falcons, Aguayo teve apenas uma oportunidade de field goal e guardo o chute de 43 jardas, além de acertar todos os pontos extras. Nos kickoffs foram três fair catchs em seis oportunidades, permitindo dois bons retornos de Eric Weems.

Derrick Henry – Tennessee Titans

Uma grande jogada e só. Sem muitas chances, se esperava que o running back dos Titans pudesse ter mais participação no cenário ofensivo do time, mas foram poucas. Uma recepção para 29 jardas e outra para 12. Correndo com a bola foram cinco tentativa e apenas três jardas. DeMarco Murray assumiu o controle e não deu chances para o novato corredor mostrar seu talento na semana 1.

Ramsey foi bem na estreia na NFL

Ramsey foi bem na estreia na NFL

Jalen Ramsey  – Jacksonville Jaguars

Muito se questionou sobre a saúde do CB Jalen Ramsey, que sofreu uma pequena lesão no menisco e poderia até cair bastante no Draft. Os Jaguars selecionaram o jogador na quinta escolha e o resultado nesta primeira semana foi positivo. Contra o forte ataque dos Packers, que tem vários bons alvos, Ramsey não cedeu nenhuma recepção em jogadas dos recebedores do seu lado, saindo zerado da primeira partida.

Brandon Williams – Arizona Cardinals

O jogador, escolha dos Cardinals na terceira rodada do último Draft, foi queimado diversas vezes. A falta de comunicação entre Williams e os safeties era evidente. Malcolm Mitchell e Chris Hogan fizeram a festa no primeiro tempo, com Jimmy Garoppolo usando e abusando de jogadas do seu lado. Running back no College, foi transformado em CB e está se adaptando a nova função, mas a NFL não perdoa.

Comentários