Qual motivo para confiar em cada equipe na busca pelo Super Bowl 51

Dos 32 times que iniciaram a luta pelo Super Bowl 51, apenas 12 seguem na disputa do principal objetivo da temporada da NFL. Quem perder agora fica fora e todo erro poderá ser crucial para interromper o caminho até a glória. Com forças diferentes, cada equipe tem um grande ponto forte e uma esperança de, ao término do dia 05 de fevereiro, poder celebrar a conquista do SB51 no NRG Stadium.

Além da confiança que cada torcedor tem em seu time, seja ele um favorito ou um azarão, o Endzone Brasil selecionou o grande motivo de confiança em cada um dos 12 classificados para os playoffs.

Sem sua grande estrela, J.J. Watt, o Houston Texans joga com o trunfo de tentar vencer em casa no Wild Card e embalar para poder se tornar o primeiro campeão da história do Super Bowl jogando em casa. Sem um ataque forte, principalmente com o inconstante Brock Osweiler de volta ao time, a defesa terá que segurar a barra na pós-temporada e a torcida precisa mostrar sua força para ver o time decidindo em casa.

Detroit poderia ter um caminho “mais tranquilo” se tivesse vencido os Packers, mas a derrota em casa deixou o time em uma situação complicada. Matthew Stafford, que para alguns pode até brigar pelo MVP, terá que se desdobrar e ter atuações dignas de Most Valuable Player para dar chances aos Lions. Zach Zenner, o melhor RB branco, segundo o DE Michael Bennett, terá que ser uma grande companhia para Stafford fazer o ataque funcionar.

Depois de oito temporadas, os torcedores de Miami voltarão a ver o time nos playoffs. A equipe dos Dolphins não é brilhante, mas o esquema de jogo de Adam Gase funciona muito bem até aqui. Uma consistência maior durante os jogos será crucial para a equipe da Flórida ir longe. Se fizer um quarto ou dois muito bons, e o restante ruim, vai perder os jogos. Se manter uma consistência durante os 60 minutos, terá chances, principalmente neste primeiro jogo, contra os Steelers, de quem já venceu na temporada regular.

Melhor campanha da Conferência Nacional e time que mais encantou na temporada regular. Com o ataque comandado por dois calouros e uma defesa eficiente, o Dallas Cowboys chamou atenção. Evitar que o sucesso de 2016 suba a cabeça e o fator playoffs não pese nas costas dos calouros será fundamental para o time, que só jogará fora de casa se chegar ao Reliant Stadium, no dia 05 de fevereiro.

Camisa na NFL pesa sim, principalmente em momentos decisivos. O desempenho dos Steelers na temporada regular não foi o mais interessante, mas o time se classificou com o título da divisão, ganhando do principal rival. Pela primeira vez juntos nos playoffs, o trio “BBB”, formado por Ben Roethlisberger, Le’Veon Bell e Antonio Brown, terá sua grande chance de mostrar todo potencial e conduzir o time ao SB51. Mais os dois últimos, pois Big Ben carrega dois títulos de Super Bowl na carreira e uma derrota.

Ninguém tem pegou mais embalo nesta reta final do que o Green Bay Packers. E para buscar o título, o time deverá ter o caminho mais complicado, a começar pelo jogo em casa contra os Giants, velhos algozes. Com Aaron Rodgers pegando fogo e recuperado da lesão na perna, ele é a chave do sucesso dos Cabeças de Queijo, que terão que passar por NY Giants, Atlanta e Dallas (na maioria das projeções) até o Super Bowl 51.

A ausência de Derek Carr será bastante sentida. E é uma pena para a NFL inteira. O QB vinha comandando tão bem o time, que volta aos playoffs desde 2002. Agora a maior força da equipe sai do ataque e se volta para Khalil Mack, que terá que entrar em um modo bestial e imparável no comando da defesa. Se conseguir fazer isso, o calouro Connor Cook, que fará seu primeiro jogo de titular logo nos playoffs, terá tranquilidade para fluir o ataque.

Com o estigma de “amarelão” para ser carregado, Matt Ryan entra nos playoffs em destaque, sendo um dos favoritos para ser o MVP da temporada. No entanto, quando o assunto é pós-temporada, algo acontece e o quarterback não consegue jogar bem. Neste ano ele tem bons running backs, bons alvos e uma boa linha ofensiva. Tudo bom, Atlanta Falcons favorito então, certo?! Não, pois a defesa precisa de melhoras, mas o sistema ofensivo está pronto para levar o time mais longe neste ano.

Quatro títulos, seis Super Bowls e uma temporada impressionante de apoio. Ninguém venceu mais em pós-temporada do que Tom Brady e o QB está mais preparado do que nunca para estender este número em 2017. Líder do ataque dos Patriots, sabe como ninguém os atalhos para vencer em janeiro e jogar um Super Bowl. Alia-se a este fato Bill Belichick e uma defesa que vem dando conta do recado, difícil não acreditar no favoritismo de New England.

“Deixou chegar, já era”. Ouvimos muito isso aqui no Brasil e com o New York Giants não é diferente. Nas últimas três vezes que chegou aos playoffs, em duas o time foi campeão, vencendo justamente o New England Patriots na final. Com uma boa defesa durante a temporada, as apostas e as atenções se voltam para a dupla Eli Manning e Odell Beckham Jr., que disputará seu primeiro jogo de playoffs. Olho no Big Blue, pois é um time que ninguém dá muito, mas pode ser muito perigoso.

Se na temporada os Chiefs avançaram pelo Wild Card e pararam no Divisional Round, neste ano o time busca ir mais longe. Para isso terá um descanso na primeira semana e já entra na fase que foi eliminado no ano anterior. No embalo do estádio mais barulhento da NFL, o time que conta com o grande momento de Tyreek Hill, o rei das jogadas explosivas, para surpreender os adversários e anotar pontos importantes. A defesa de Kansas City também terá um papel fundamental para buscar o título.

2016 foi longe de ser um bom ano para os Seahawks, mas o time está na pós-temporada. A força da torcida pode fazer o time avançar pelo Wild Card, mas se quiser ir mais longe, Seattle terá que voltar a ter força na defesa, que tantas vezes segurou as pontas e venceu jogos. A linha ofensiva é o grande ponto fraco, que será bastante atacado pelos adversários nos playoffs.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários