Contagem regressiva 2017: Biografia do camisa #58 – Von Miller

Poucos jogadores na NFL atualmente são tão dominantes na pressão ao quarterback adversário como Von B’Vsean Miller. Após a temporada de calouro já se pôde ver que se tratava de um atleta diferenciado: os 11,5 sacks em 2011 renderam a ele o prêmio de melhor jogador de defesa novato. De lá para cá foram cinco participações no Pro Bowl em seis anos na liga -não é exagero dizer que o camisa 58 é o melhor jogador do Denver Broncos atualmente. A glória máxima veio no fim da temporada 2015: Miller foi o comandante da fantástica defesa que levou o time ao Super Bowl 50. O linebacker foi decisivo na grande final e venceu com justiça o prêmio de MVP da partida. Von simplesmente nasceu para ser um OLB pass-rusher: uma mistura incrível de instinto, força e atleticismo.

ORG XMIT: USPW-131110852A Nov 13, 2010; Waco, TX, USA; Texas A&M Aggies linebacker Von Miller (40) fires up the crowd against the Baylor Bears in the third quarter at Floyd Casey Stadium. Texas A&M defeated Baylor 42-30. Mandatory Credit: Brett Davis-US PRESSWIRE ORIG FILE ID: 20101113_kdl_ad1_502.JPG

Habilidades que já vieram de berço. Nascido em Dallas, Texas, Miller é filho de Von e Gloria Miller, ambos foram atletas no High School e na faculdade. O jovem seguiu os passos dos pais desde cedo e já era um dos destaques do time de atletismo da DeSoto High School. Ele competia no salto triplo e nos 110m com barreiras, mas se destacava mesmo no time de futebol americano. Foram mais de 100 tackles e 13 sacks em dois anos atuando como defensive end. Os números chamaram atenção de várias universidades: instituições gigantes como Texas A&M, Florida, Ole Miss, Oklahoma e Texas Tech ofereceram bolsas integrais de estudo.

Ele optou por Texas A&M e defendeu os Aggies de 2007 a 2010. O então camisa 40 teve uma temporada de calouro muito promissora, mas relaxou no segundo ano: faltava a algumas aulas e chegou a ser afastado da equipe. Foi reintegrado em 2008 e jogou como weakside linebacker no esquema 4-3. Foi relativamente bem, mas mal utilizado. Miller ficava mais na cobertura do passe – o que sacrificava seu ponto mais forte: o pass-rush.

Explodiu mesmo em 2009 jogando de ‘jack’, um híbrido de linebacker e defensive end. Assumiu o posto de OLB sob o comando de Tim DeRuyter em 2010. Foi espetacular – mesmo com uma lesão no ombro que atrapalhou parte da temporada. Miller venceu com justiça o Buktus Award – prêmio dado aos melhores linebackers do College.

Impacto imediato na NFL

Von Miller foi o MVP defensivo do Senior Bowl de 2011 e fez um Combine impecável. Os especialistas de Draft o consideravam uma escolha de Top 5 – e foi o que aconteceu. O Denver Broncos não perdeu tempo: tratou de selecionar o pass-rusher que tanto faltava no elenco. Segundo a lenda John Elway, Miller é o tipo de jogador que aparece uma vez a cada dez anos – foi o linebacker mais bem selecionado no Draft desde LaVar Arrington em 2000. Ao chegar nos Broncos assumiu a camisa 58, número de seu maior ídolo no esporte: Derrick Thomas, membro do Hall da Fama pelo Kansas City Chiefs.

Von Miller: um monstro que comandou a conquista dos Broncos

A chegada dele trouxe um impacto imediato na defesa – reformulada sob o comando do também recém-chegado John Fox. O time foi de pior defesa em 2010 para 20º em 2011; apagou a péssima temporada 4-12 com uma campanha 8-8 e classificação aos playoffs. Os Broncos até venceram no Wild Card Round! Se lembra daquele jogo emblemático do passe de Tim Tebow contra os Steelers no início da prorrogação? Esse mesmo! entretanto, a equipe não foi páreo para o New England Patriots de Tom Brady. Miller computou 11,5 sacks, algo surpreendente para um calouro, venceu com justiça o prêmio de melhor jogador de defesa novato e foi para o seu primeiro Pro Bowl.

Apesar do bom ano, foi em 2012 que o camisa 58 explodiu. Computou 10 sacks nos primeiros nove jogos e chegou a ser cotado para o prêmio de MVP. Terminou a temporada regular com 18,5, recorde da franquia, mas perdeu o prêmio de melhor jogador de defesa para o monstro JJ Watt. A chegada do quarterback Peyton Manning levou o time a outro patamar: foram 13 vitórias na temporada regular. A trajetória se encerrou de forma precoce nos playoffs: um dolorido revés para os Ravens, em Mile High. 38 a 25 na prorrogação.

A temporada 2013 foi a mais problemática da carreira do linebacker. Apesar da histórica campanha do Denver Broncos, Miller foi suspenso pela NFL por seis partidas ao violar as políticas impostas pela liga. Estreou na temporada apenas em outubro e teve performances consistentes até se machucar no fim do ano: rompeu o ligamento cruzado anterior em um duelo contra o Houston Texans. Desfalcou o time nos playoffs e não estava em campo na fatídica final contra o Seattle Seahawks. Se recuperou rapidamente e voltou com força em 2014: 14 sacks, 59 tackles e um fumble forçado. Não foi decisivo na pós-temporada e viu os Broncos caírem, mais uma vez em casa, para os Colts de Andrew Luck.

Von Miller, LB dos Broncos

A glória máxima estava guardada para 2015. Com atuações de altíssimo nível, Von liderou a excelente defesa de Denver a mais um Super Bowl. Foi um monstro na temporada regular e nos playoffs:  computou 2,5 sacks em Tom Brady na final da AFC – recorde do time em um duelo de pós-temporada. O camisa 58 foi fundamental no título do Super Bowl 50: vitória por 24 a 10 contra o Carolina Panthers em Santa Clara. O jogador recebeu o prêmio de MVP (jogador mais valioso da grande final). A atuação do OLB foi impecável: seis tackles e 2,5 sacks – em dois deles ele forçou fumbles em Cam Newton. Turnovers que praticamente decidiram o duelo.

Todo o esforço se pagou na temporada seguinte: Von Miller recebeu a extensão de contrato tão esperada e renovou com os Broncos por mais seis anos e 114,5 milhões de dólares – 70 deles garantidos! O camisa 58 teve um 2016 bem consistente, mas o desempenho do time no geral não foi bom: a indefinição de um QB consistente e a dificuldade de parar o jogo corrido tiraram a equipe dos playoffs. Mesmo assim o linebacker teve o terceiro melhor ano da carreira em sacks (13,5) e o melhor em tackles (78). A tendência é que esse monstro melhore ainda mais em 2017 e volte a levar os Broncos aos playoffs. Alguém duvida? Eu não.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários