Contagem regressiva 2017: Biografia do camisa #30 – Todd Gurley

Quando o Los Angeles Rams resolveu investir a 10º escolha geral do Draft 2015 em Todd Gurley eles sabiam bem o que estavam levando para casa: uma mistura rara de força e velocidade. Como é difícil parar o running back – ele conta com uma força absurda nas pernas para evitar os tackles aliado a um atleticismo diferenciado para correr mais que os defensores e anotar touchdowns. Ele é comparado simplesmente com o “Beast” Marshawn Lynch – nem é preciso dizer mais nada. Apesar dos questionamentos sobre a recuperação de uma grave lesão no joelho ele foi espetacular em 2015: 1.106 jardas e 10 TDs em apenas 12 jogos e sem pré-temporada. Apesar de não ter sido brilhante no ano passado, ele continua sendo um dos principais nomes da posição e deve voltar a brilhar em 2017.

7682550Características latentes desde garoto – quando jogava pela Tarboro High School em North Carolina.  Gurley era a estrela da escola nos esportes, além do futebol americano ele dominava no basquete e nas provas de atletismo. Chegou a defender o time dos Estados Unidos nos Jogos Mundiais da Juventude em 2011: correu as provas de 100 metros rasos e 110 metros com barreiras. O destaque veio mesmo com a bola oval – correu mais de 4 mil jardas terrestres e 66 touchdowns nos dois anos por lá. Foi considerado pela tradicional Rivals.com o quinto melhor prospecto de RB do país em 2011.

Gurley escolheu a University of Georgia para jogar no College Football, foram três grandes temporadas defendendo os Bulldogs. Assumiu o posto de titular logo de cara e foi muito bem no ano de calouro: 1.385 jardas e 17 touchdowns! Foi o segundo da história da universidade a passar das 1000 jardas, o outro foi simplesmente Herschel Walker – vencedor do Heisman Thophy de 1982 que tem a camisa 34 dos Bulldogs aposentada.

Repetiu as boas performances em 2013, mas não passou das mil jardas por conta de uma lesão no tornozelo que o afastou dos gramados em alguns jogos. Gurley voltou ainda melhor em 2014 – simplesmente imparável! Foram 911 jardas e 9 touchdowns nas primeiras seis partidas, com uma média de 7,2 jardas por carregada. Sequência que foi quebrada após o running back receber uma punição de quatro partidas da NCAA por violar as regras de conduta. Após quase um mês fora, ele voltou com tudo contra Auburn, mas sofreu a mais grave lesão de sua carreira.

Todd Gurley rompeu o ligamento cruzado anterior e encerrou precocemente sua carreira no College. Seu nome era cotado para a primeira rodada do Draft 2015 – mesmo com a incerteza de como ele retornaria aos gramados após a contusão. Os Rams, na época ainda em St. Louis, não perderam tempo e trataram de escolher o jogador com a 10º escolha geral. Que decisão acertada!

todd-gurley-011115-getty-ftrjpg_k3yhhb2ijxpq17cqttullpn2iO então camisa 30 teve uma recuperação mais rápida do que o esperado. Mesmo sem nenhum preparo no training camp ou na pré-temporada ele chegou assumindo o posto de titular da equipe. Gurley precisou de apenas quatro partidas para deixar sua marca na liga: as 566 jardas terrestres conquistadas nesse período é a melhor marca da história de um running back estreando na liga desde a fusão da NFL com a AFL na década de 70. Pela conquista, Gurley teve as chuteiras e a jersey utilizada na vitória sobre os Niners na semana 8 levadas para o Hall da Fama em Canton, Ohio.

O camisa 30 foi o segundo da história da franquia a acumular 1.000 jardas e dez touchdowns na temporada de calouro, o primeiro a conseguir tal feito foi Eric Dickerson em 1983. O RB venceu com muita justiça o prêmio de melhor calouro ofensivo de 2015 e foi um dos cinco novatos a serem indicados para o Pro Bowl.

O RB não conseguiu repetir o mesmo desempenho em 2016, mas os Rams também não ajudaram. Os vários problemas na linha ofensiva e a indefinição na posição de QB afetaram diretamente o desempenho do jovem – sobrecarregado em muitos momentos. Mesmo assim buscar quase 900 jardas em um time com quatro vitórias no ano é um feito e tanto. A tendência é que o time melhore em um todo em 2017 – e isso deve afetar positivamente o jogo de Gurley. Pode colocar fé no garoto!

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários