Prévia da temporada 2017: Como será o ano do Carolina Panthers

Carolina precisa reagir após ir de campeão a último colocado na NFC South

Que time enigmático vem sendo o Carolina Panthers nos últimos anos! Quando ninguém esperava muita coisa, a equipe venceu 15 dos 16 jogos da temporada regular e por muito pouco não foi campeã em 2015. Agora, mais rápida do que a ascensão foi a queda: os Panthers começaram o ano 1-5 e terminaram segurando a lanterninha da NFC South no ano passado. A ordem agora pelos lados de Charlotte é buscar o equilíbrio entre o que foi decisivo em 2015 e o que não funcionou em 2016 para fazer um híbrido que chegue longe na temporada que se aproxima. Alerta de spoiler: não será tão fácil quanto o torcedor imagina.

Ataque promete ser o mais dinâmico da NFL… se a linha ofensiva deixar

O ataque dos Panthers foi de 1º a 15º em pontos anotados por partida de um ano para o outro. Esse dado faz toda diferença se levar em conta que o time perdeu seis das dez partidas por três ou menos pontos de diferença.

Confesso estar extremamente empolgado com este grupo – me arrisco a dizer o mais dinâmico de toda a NFL. O ataque que já era imprevisível pela qualidade do RB Johnathan Stewart e da habilidade absurda do QB Cam Newton pelo chão subiu ainda mais de patamar com as chegadas dos calouros Christian McCaffrey e Curtis Samuel – jogadores que contribuem tanto no jogo corrido como também recebendo passes. Se os garotos engrenarem, Mike Shula pode ter uma máquina de pontos em suas mãos com formações totalmente inusitadas. Os calouros serão um belo complemento para um grupo de recebedores que possui Kelvin Benjamin brigando com a balança e Greg Olsen como único alvo realmente confiável para Newton.

Tudo está muito bom no papel, agora nada vai funcionar se a linha ofensiva não ajudar minimamente. Quem acompanha minhas análises sabe que desde o passeio de Von Miller no Super Bowl eu venho falando que o time precisava reforçar as pontas da linha ofensiva. A situação piorou ainda mais em 2016 com várias lesões no setor – não era incomum ver Cam Newton lutando para sobreviver a cada snap. Após ignorar totalmente a posição de tackle no ano passado, o GM Dave Gettleman fez uma contratação ‘brilhante’ e deu um contrato gigantesco para Matt Kalil – um dos piores LTs da liga e com longo histórico de lesões. Talvez nem a mãe dele oferecesse tanta grana. Não foi a toa que Gettleman foi mandado embora pouco tempo depois. Boa sorte no blind side, ‘Super Cam’!

A chegada de velhos conhecidos promete melhorar a defesa

A defesa dos Panhers despencou de 6º para 26º cedendo pontos de um ano para outro, entretanto, a franquia não promoveu grandes mudanças no setor. Com a saída do coordenador Sean McDermott para se aventurar nos Bills, Steve Wilks foi promovido de técnico da secundária para novo comandante da defesa. Não espere grandes mudanças a curto prazo.

O grupo de linebackers promete mais uma vez ser o ponto forte com os excelentes Luke Kuechly e Thomas Davis carregando o piano. A linha defensiva também é outro ponto positivo e promete ser ainda mais feroz com o veteraníssimo Julius Peppers retornando ‘para casa’ aos 37 anos. Ele ainda tem um ou dois anos em alto nível e deve ser um reforço imediato ao lado de Kawann Short, Star Lotulelei e Charles Johnson.

Outro que retorna é Captain Munnerlyn – o CB será um bom reforço para uma secundária que precisa de ajuda contra os ataques aéreos ferozes da NFC South. Estava mais do que claro que o ‘grande’ plano de substituir Josh Norman com jovens cornerbacks do Draft não daria certo. Munnerlyn é um nickel de origem, mas pode ser deslocado para as laterais se os jovens continuarem não correspondendo como esperado. Pelo menos o miolo promete ser mais sólido com a chegada do veterano Mike Adams – liberando Kurt Coleman para atuar mais solto como free safety.

>>>VEJA O ÍNDICE COM TODAS AS PRÉVIAS PARA A TEMPORADA 2017

 

Favoritismo em 2017

Será que o MVP de 2015 leva a equipe ao sonhado título em 2017? Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 26 para um. Carolina é o sexto nome para vencer a NFC, com 7,50 para um, e o último dentro da NFC a lado dos Saints: R$3,50 para cada real investido.

Vai até onde?

Os Panthers devem melhorar um pouco do ano passado, mas não o suficiente para brigar dentro da feroz NFC South. Ainda é difícil prever como Cam Newton e Luke Kuechly retornarão de contusão – ainda mais com o horrível Matt Kalil de left tackle. Vejo o time claramente atrás de Falcons e Buccaneers e brigando com os Saints para não ser o último. Não se surpreenda com o time de Charlotte amargando a lanterna da divisão pelo segundo ano consecutivo.

Previsão: 4º da NFC South

Ingressos para a temporada 2016 da NFL

 

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários