Análise tática: como a defesa do Baltimore Ravens destruiu Andy Dalton

A defesa do Baltimore Ravens proporcionou uma das melhores performances da semana de abertura da NFL no último domingo – o que esse grupo fez com Andy Dalton deveria ser proibido por lei. Os Ravens interceptaram o camisa 14 quatro vezes e ainda forçaram um fumble para cima dele. O QB deve estar sonhando com jogadores de roxo até hoje. Como será que Baltimore conseguiu o primeiro shootout desde 2009? Vamos analisar com mais detalhes agora.

Antes de entrar nas jogadas em questão, vale um resumo da ópera. Geralmente quando se vê uma defesa conseguindo quatro INTs o mérito fica basicamente para a secundária. Não que Jimmy Smith e seus Bluecaps não tiveram mérito, muito longe disso, mas repare nas explicações abaixo como o front seven, especialmente o grupo de linebackers, foi fundamental para que as interceptações acontecessem. Mais uma prova que um pass-rush eficiente facilita DEMAIS a vida dos cornerbacks e safeties. Vamos lá:

 


Essa é a primeira das quatro interceptações e aconteceu no fim do primeiro período. Belíssimo trabalho do estreante Brandon Carr agarrando a bola desviada, sem dúvidas, mas repare no trabalho do LB Patrick Onwuasor bem no meio do campo. Ele ameaça ir para o blitz, mas lê com muita clareza os olhos de Andy Dalton e recua rapidamente para cortar a linha de passe e desviar o passe. Méritos totais do linebacker que sequer foi draftado. Repare também que Dalton é forçado a soltar a bola um milésimo segundo antes do previsto, pois Terrell Suggs está fungando no seu cangote. Excelente trabalho defensivo em equipe aqui.

 

Vamos a segunda interceptação. De todas as quatro, essa foi a que Andy Dalton mais errou. Repare na imagem ao lado o excelente trabalho de cobertura dos recebedores – certamente o camisa 14 não conseguiria a primeira descida em nenhuma das opções circuladas. Se fosse um QB mais móvel, poderia arriscar uma corrida pelo lado direito, entretanto, Dalton fez uma leitura terrível e lançou para Brandon LaFell que, não só estava bem marcado individualmente, como também tinha a sua frente o LB CJ Mosley – que fazia uma marcação por zona no setor. Nesse lance o QB realmente foi “Bad Andy”.

 

 terceira interceptação também foi mais mérito da defesa do que erro de Andy Dalton. Apesar do passe ter sido muito baixo, mérito para o monstro Terrell Suggs que, quando percebeu o passe rápido, deu um salto no ar para bloquear a bola ao invés de ir atrás do sack. Esse lance mostra claramente como a linha ofensiva tem uma boa parcela de culpa nas INTs do seu QB: veja com que rapidez o camisa 55 chega próximo da linha de passe.

 

O quarto turnover de Dalton foi um ‘strip-sack’ de Terrell Suggs. Aqui o ruivo também não tem muita culpa, pois Suggs aparece no seu blind side – após deitar e rolar em cima do LT Credric Obguehi. Repare que Dalton até deixa a defesa ‘honesta’ com o pump fake. Ele congela a maioria da secundária por uns instantes, mas não engana o camisa 55. Grande jogada do pass-rusher.

 

A quarta interceptação veio a dois minutos do fim perdendo por 20 a 0… Vamos dar um desconto. Claramente Dalton apertou o botão que começa com “F” e lançou para AJ Green muito bem marcado e sem separação alguma – mesmo com outra opções mais livres. O destaque vai para a importância de um press coverage agressivo na marcação homem a homem: Jimmy Smith faz um belo trabalho dentro das cinco jardas permitidas e tira totalmente o WR de sua rota original. Amigos, o poderio defensivo do Baltimore Ravens voltou!

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários