Lions dominam os Giants em Nova York e aumentam crise na Big Apple

Quando se fala dos candidatos a Super Bowl, dificilmente alguém coloca o Detroit Lions na conversa. Embora ainda seja muito cedo para falar em título, já é possível olhar essa equipe com outros olhos! O time foi extremamente eficiente e não teve grandes dificuldades para bater o New York Giants por 24 a 10 no Monday Night Football desta segunda-feira – para desespero do fanático torcedor que lotou o MetLife Stadium.

Não foi um massacre, mas os Lions fizeram o suficiente para vencer sem maiores dificuldades. A defesa mostrou bastante atleticismo e consistência e o QB Matthew Stafford lançou dois touchdowns. Já do outro lado, o sinal de alerta acendeu com muita força para o técnico Bill McAdoo: esse é o pior começo da história da franquia em pontos anotados nas duas primeiras semanas (13) e o oitavo jogo consecutivo que a equipe não chega a 20 pontos. Pelo menos em 2016 a defesa carregou o time nas costas, mas esse ano não vem sendo o caso. Abre o olho, Giants!

 

 

Domínio dos Lions na primeira etapa

O jogo acontecia no MetLife Stadium, mas era o Detroit Lions que parecia jogar em casa. O Bom ataque liderado por Matthew Stafford, o jogador mais bem pago da história da NFL, dominou a boa defesa dos Giants e não demorou para tirar o zero do placar. O QB justificou o salário arquitetando um bom drive de seis minutos – finalizado com uma linda conexão de 27 jardas com o WR Marvin Jones. Já o ataque dos Giants continuava uma total decepção: o time saiu zerado no final do primeiro período e sacramentou o pior começo de temporada desde 1965!

Por incrível que pareça, o jejum de touchdowns dos Blues acabou exatamente na primeira jogada do segundo período. Eli Manning comandou o único bom drive dos Giants na primeira etapa de partida e precisou de oito jogadas para encontrar o TE Evan Engram completamente sozinho no meio do campo. Primeiro TD da carreira do calouro e dos Giants em 2017. Bem-vindo a NFL, garoto!

 O segundo quarto também foi marcado por uma série bizarra de dois turnovers em snaps consecutivos. Primeiro, o bom pass-rush de New York chegou em Stafford e Jason Pierre-Paul forçou o fumble no QB. Bola dos Giants! Não por muito tempo. Eli Manning retribuiu a gentileza e entregou a paçoca logo em seguida: o jovem Engram não agarrou o passe alto pelo meio e a bola acabou ficando nas mãos do LB Tahir Whitehead.

O QB dos Lions precisou de cinco jogadas para transformar a roubada de bola em mais sete pontos: Stafford achou o TE Eric Ebron em um passe diagonal no canto direito da end zone! Detroit ainda teve tempo de mais uma pontuação antes do intervalo: field goal difícil de 56 jardas que Matt Prater colocou, com MUITA emoção, dentro do “Y”. Com tranquilidade, os visitantes foram para os vestiários vencendo por 17 a 7.

Lions administram a vantagem

Os Giants até esboçaram uma reação no começo do terceiro período, mas o ataque continuava totalmente anêmico: a linha ofensiva seguia com extrema dificuldade, o jogo corrido não existia, Odell Beckham seguia limitado pela lesão e Brandon Marshall não agarrava os passes. Pobre Eli Manning. O time até chutou um field goal curto com Aldrick Rosas e colocou a diferença em uma posse de bola no fim do terceiro período.

Quando parecia que New York esboçaria uma reação, os Lions deram o golpe de misericórdia no começo do último período através do time de especialistas.  O CB calouro Jamal Agnew recebeu o punt de Brad Wing e retornou por 88 jardas até a end zone! Belíssima jogada do garoto – que quebrou quatro tackles pelo caminho. Totalmente entregue e com a defesa cansada, o New York Giants não teve força para esboçar uma reação. Vitória merecida do time de Detroit!

Próximos jogos

As duas equipes enfrentam pedreiras fora de casa no próximo domingo (24) às 14h: os Lions encaram o Atlanta Falcons no Mercedes-Benz Stadium e os Giants viajam para um duelo divisional contra o Philadelphia Eagles no Lincoln Financial Field.

Comentários