Divisional Round 2018: prévia de Atlanta Falcons x Philadelphia Eagles

O gelado Lincoln Financial Field vai tremer nos embalos de sábado à noite! Desacreditado por muitos, o Philadelphia Eagles vai entrar em campo determinado a provar de uma vez por todas que pode vencer sem o quarterback Carson Wentz. Para se ter uma ideia, os Eagles são o primeiro time da era moderna da NFL com a melhor campanha da divisão ser considerado o azarão pelas casas de aposta em um jogo divisional! Muito também pela fase atual de seu adversário: o Atlanta Falcons venceu seis dos últimos oito jogos e chega embalado após uma vitória expressiva diante dos Rams em pleno Coliseum. Quem vai levar essa? Prepare-se para um jogaço na Cidade do Amor Fraternal!

Independente do que vai acontecer no congelante Linc, uma coisa é certa: não vai faltar motivação e entrega do lado dos Eagles. O time espalhou cartazes por todo centro de treinamento na última semana lembrando constantemente aos jogadores que eles são os azarões jogando em casa. Desacreditado por parte da mídia semana após semana, esse elenco terá que dar a prova definitiva de que sua força vai muito além da genialidade de Carson Wentz. Afinal, olhando friamente os números, estamos falando do time com a 4ª melhor defesa da NFL e a melhor contra corridas, o melhor ataque na red zone, o melhor recorde em casa nos últimos dois anos e top 3 defendendo na red zone, roubadas de bola e diferencial de turnovers.

Talvez o fato que mais pese contra essa equipe seja o baixo nível de atuação nos três últimos jogos da temporada – principalmente da defesa. O grupo chegou a levar 500 jardas totais do fraquinho Giants e Nick Foles teve apresentações bem preocupantes. O ponto aqui é: até que ponto o time se preservou nessas três partidas por já estar classificado? Essa é a pergunta de um milhão de dólares. Na prática, poderemos ver tanto um Eagles voando, sem trocadilhos, como no começo da temporada como o time com um ataque nulo e a defesa com buracos dos últimos compromissos.

Se as Águias não colocarem a primeira versão em campo, será extremamente complicado vencer esse Atlanta Falcons! Os atuais campeões da NFC começaram o ano extremamente inconsistentes, ainda de ressaca pela perda do título mais ganho da história, mas foram se encontrando na segunda metade da temporada – principalmente na defesa. Com a vaga nos playoffs ameaçada, o time entrou no modo ‘matar ou morrer’ e venceu seis dos últimos oito jogos – o último deles um belo triunfo contra o forte Los Angeles Rams na Califórnia. Na ocasião, pesou demais a experiência e a bagagem de Matt Ryan em pós-temporada. Será que isso novamente será um fator na gelada Filadélfia? Certamente!

Eagles e Falcons já se encontraram três vezes na pós-temporada. Atlanta venceu o primeiro duelo na fase de Wild Card por 14 a13 na Geórgia no distante 1978. Os outros dois foram mais recentes e vencidos pelos Eagles na Filadélfia. Comandados por Donovan McNabb, Philly bateu os Falcons de Michael Vick tanto no Divisional de 2002 (20-6) como na final da NFC de 2004 (27-10).

No geral, os Eagles lideram no confronto: 20 vitórias, 15 derrotas e um empate. O último encontro foi na Semana 10 de 2016 no mesmo palco do duelo de sábado – o Lincoln Financial Field. Na ocasião, a defesa das Águias parou o explosivo ataque dos Falcons e o jogo terrestre teve 208 jardas totais e dois touchdowns. Vitória dos Eagles por 24 a 15 no dia 13 de novembro.

Com a ausência de Carson Wentz, está bem óbvio que a chave da vitória para os Eagles, em um primeiro momento, passa por dominar o relógio e vencer através do jogo terrestre. O meu ponto aqui é: o óbvio raramente vence um jogo de pós-temporada. Como os Falcons vão entrar e campo preparados para isso, vença com Nick Foles. O desempenho do quarterback será mais crucial do que todos estão esperando. Lembram-se de como o gás da defesa de Atlanta acabou na fatídica virada contra os Patriots? Isso porque Tom Brady converteu terceiras descidas cruciais e manteve o seu ataque em campo. Talvez o ideal para Philly seja começar o jogo usando e abusando dos screens para seus running backs – dando assim uma confiança a mais para Foles reviver seus melhores dias. Tempo não faltou para Doug Pederson e sua comissão técnica trabalharem em um game plan que explore os pontos fortes de seu QB.

Falando da defesa, será quase impossível vencer se o melhor grupo contra corridas de 2017 não apareçer para conter Davonta Freeman e Tevin Coleman. Ponto. Agora, além de acabar com o fluxo do ataque dos Falcons, esse grupo vai precisar dar uma forcinha a mais para o ataque brilhar. Como? Forçando turnovers. Além de inflamar o torcedor no estádio, as roubadas de bola darão uma melhor posição de campo e Nick Foles terá que avançar menos o seu ataque para pontuar. Capacidade já mostraram para isso – o time é o quarto melhor da NFL no diferencial de turnovers (+11).

Essa frase seria totalmente maluca no ano passado, mas no atual momento da equipe é verdadeira: o ponto mais fraco dos Falcons hoje é o ataque. Não que Matt Ryan e sua trupe estejam fazendo um trabalho ruim – acontece que Atlanta vem sofrendo demais para transformar jardas em pontos! Para se ter uma ideia, o time computa nove field goals e três touchdowns somando as duas últimas vitórias. Se o time quiser vencer na Filadélfia, precisa ser mais criativo e arrojado contra a terceira melhor defesa da NFL nas últimas 20 jardas do campo. Além disso, ajudaria muito se as posições de campo fossem mais favoráveis! O fato dos Falcons serem a segunda pior equipe da liga no posicionamento das campanhas está diretamente ligado ao fato do time ‘perder o gás’ quando vai chegando próximo da end zone.

Na defesa, Atlanta basicamente precisa manter o bom trabalho das últimas semanas – o grupo melhorou demais ao longo da temporada e o foi o quinto melhor da NFL cedendo pontos nas últimas oito semanas (média de 17.88). Como disse acima, o mais óbvio para Atlanta será fechar as portas para Jay Ajayi e LeGarrette Blount e forçar Nick Foles a vencer lançando 30 ou 40 bolas. Será vital também que o grupo seja agressivo em terceiras descidas e mate os drives logo de cara – dando mais tempo para o grupo que depende demais do físico recuperar o fôlego.

Pela primeira vez na história os apostadores estão vendo um seed 1 entrando no Divisional como azarão… Como interpretar isso? Pensando friamente, a razão diz para acreditar no time de melhor quarterback, com mais experiência em pós-temporada e em um melhor momento. Se pensa desse jeito, o Oddsshark.com/br mostra que a vitória dos Falcons rende R$1,70 a cada real que você apostar.

Agora, nem tudo se resume a números. Nunca se pode subestimar a força de um time que joga com o apoio de sua fanática torcida e que vai entrar em campo ‘comendo a grama’ para provar que pode chegar longe sem Carson Wentz. Não se surpreenda com uma vitória dos Eagles! Essa talvez seja a melhor pedida nos odds do Oddsshark.com/br pagando R$2,30 a cada real investido em Nick Foles e companhia.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários