O que é a franchise tag? A gente te explica de forma simples e objetiva!

A partir do dia 20 de fevereiro, todas as equipes da NFL podem utilizar em seus jogadores a famosa franchise tag. Entra temporada e sai temporada, recebemos  dos nossos leitores várias dúvidas sobre esse tema. Para acabar com a confusão de uma vez por todas, preparamos um guia rápido explicando o termo e o que ele representa para jogadores e os times. Se você está começando a acompanhar a NFL agora e se confunde com relação a isso, o texto é leitura obrigatória. Se liga!

O que é:

A franchise tag é um sistema que permite aos times um último recurso para manter seus jogadores de mais talento com contrato no fim e impedir que eles fiquem livres na abertura do mercado. Uma vez aplicada,  ela dá a equipes e jogadores uma janela de alguns meses para negociar um contrato mais longo. Se isso não acontecer até uma data especificada, que em 2018 é o dia 17 de julho, o jogador será pago com uma média dos melhores salários de sua posição. Mesmo rendendo aos atletas uma tonelada de dinheiro, eles não gostam nem um pouco de recebê-las.

Os três tipos de tags:

  • Exclusive tag: Significa que o time pagará ao jogador uma média dos cinco atletas mais bem pagos de sua posição ou 120% do seu salário no ano anterior – o que for maior. Nesse caso, o jogador não pode negociar com nenhum outro time e tem um vínculo de um ano com a equipe atual.
  • Non-exclusive tag: Igual a anterior em termos de valores, mas permite que os jogadores negociem com outros times – que podem mandar propostas. A equipe atual tem a opção de igualar qualquer proposta recebida. Caso o time anterior opte por não igualar, a franquia que fez a proposta precisa mandar ao primeiro time duas escolhas de primeira rodada do Draft como compensação.
  • The transition tag: Dá ao jogador um ano de contrato com a média dos 10 atletas mais bem pagos de sua posição e permite que ele negocie com outros times. A equipe que colocou a tag decide se vai ou não igualar as propostas recebidas. Caso decida por não igualar, não é necessária qualquer compensação com escolhas de Draft.

Quantas vezes os times podem utilizar?

Cada equipe pode colocar a franchise tag em apenas um jogador a cada offseason e ela garante apenas um ano de contrato.

Quantas vezes o jogador pode receber a tag?

Um jogador pode receber a franchise tag três vezes de uma mesma equipe – com um aumento salarial a cada ano. Os times também podem tirar a tag na hora que bem entenderem – aconteceu recentemente com o CB Josh Norman nos Panthers. Nesse caso, o atleta passa a ficar livre no mercado de forma imediata.

Há jogadores que não podem recebê-la?

Sim, mas é bem raro. Isso acontece quando há cláusulas nos contratos anteriores impedindo que a franchise tag seja aplicada. É o caso do QB Drew Brees nos Saints e do LT Nate Solder nos Patriots este ano.

Por que os jogadores odeiam?

Basicamente, por ela acabar com o poder de barganha dos atletas. Uma vez no mercado, o jogador pode utilizar uma proposta recebida de outro time para aumentar o poder de negociação e quem sabe arranjar uma renovação mais gorda. Mesmo que a equipe atual realmente esteja disposta a dar a ele o sonhado contrato longo, ele perde muita vantagem na tratativa.

Por que os times gostam?

Uma vez colocada a tag, a equipe mantém o controle de um jogador acima da média e possui um prazo maior para negociação – sem nenhum concorrente na jogada para inflacionar os valores.

Quem já recebeu?

Até o momento, apenas o Miami Dolphins colocou a franchise tag no WR Jarvis Landry. Como foi a non-exclusive tag, ele ainda pode receber propostas de outros times. Fique ligados que nos próximos dias vamos listar os principais candidatos a receberem a tag.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários