Super Bowl 52: prévia de Philadelphia Eagles x New England Patriots

Após meses de muita expectativa e espera, o Super Bowl 52 finalmente chegou! O mundo vai parar no dia 4 de fevereiro, quando Philadelphia Eagles e New England Patriots entram em campo no US Bank Stadium em busca da glória. Prepare-se para uma das melhores finais de todos os tempos! Enquanto os Patriots chegam para o seu décimo Super Bowl e buscam se consolidar como a maior dinastia de todos os tempos, os Eagles aparecem como grandes azarões e vão dar o sangue para levar o título inédito para a Filadélfia. 13 anos depois, duas das franquias de maior torcida na NFL vão fazer Minneapolis tremer no próximo domingo (04) às 21h30. Simplesmente imperdível!

Elementos não faltam para uma final épica na gelada Minnesota. Para quem não se lembra, essas duas equipes fizeram um eletrizante Super Bowl 39 em Jacksonville em fevereiro de 2005. Apesar de um duelo extremamente equilibrado, a dupla Tom Brady e Bill Belichick levou a melhor por 24 a 21 e faturou o terceiro Super Bowl em um período de quatro anos – se consolidando como uma das maiores dinastias da história e acabando com o sonho do primeiro Vince Lombardi da franquia da Filadélfia. Após 13 anos de jejum, os Eagles voltam ao grande palco e mais uma vez terão pela frente a potência da Nova Inglaterra.

Depois de tanto tempo longe dos holofotes de uma decisão,  as Águias mais uma vez terão pela frente a dupla Belichick e Brady no caminho do esperado título – uma missão que tem sido quase impossível para o adversários nesse milênio. Desde que os dois chegaram aos Pats, foram sete participações no SB e cinco títulos – os maiores da história no quesito. Após a inesquecível virada no ano passado contra os Falcons, Tom Brady calaram o que restavam dos críticos e se consolidaram ainda mais na história. O que mais eles teriam a provar? Sinceramente? Imortalidade! Um sexto título, com três em cada espaço de quatro anos, levaria o camisa 12 a um status de lenda viva de forma unânime – como Michael Jordan no basquete.

Do outro lado, temos um time ‘mordido’ e louco para calar os críticos mais uma vez. Apesar de ser uma equipe muito talentosa, talvez melhor que o próprio Patriots na comparação de posição por posição, e de ter a melhor campanha da liga, o time foi desacreditado por muitas vezes e quase descartado da briga pelo título quando Carson Wentz rompeu o ligamento do joelho. Mais do que um troféu, o que está em jogo é o orgulho de uma cidade ferida, que abraçou esse status de azarão e tirou forças dele para buscar o então inimaginável. Eles entrarão em campo no US Bank Stadium sabendo que precisam calar o mundo apenas mais uma vez. Nunca duvide da força do underdog. Eles vão com tudo!

O principal confronto entre os times foi amplamente comentado aqui ao longo da nossa cobertura – inclusive com um texto inteiro contando a história do jogo. Há 13 anos, Eagles e Patriots fizeram um Super Bowl XXXIX extremamente equilibrado e decidido por detalhes. No final, Tom Brady levou a melhor contra o time de Donovan McNabb e companhia e venceu por 24 a 21 – o terceiro título da história da franquia.

Agora, em confrontos de temporada regular, Philly leva vantagem no retrospecto: sete vitórias e cinco derrotas. Os Eagles venceram o último duelo entre os times em 2015 em pleno Gillette Stadium: Sam Bradford arquitetou uma bela virada e levou Philly a uma vitória contundente por 35 a 28 em Foxborough. O principal destaque da partida foi uma interceptação do safety Malcolm Jenkins em Brady retornada por 99 jardas para touchdown. 

Primeiramente, é óbvio que o fator experiência é o que mais pesa em favor dos Patriots – ainda mais com um gênio no banco de reservas. Não tenha dúvidas que Bill Belichick usará como poucos sua bagagem na grade final e fazer ajustes pontuais que podem decidir o duelo. Certamente o técnico vai explorar uma das poucas fraquezas da defesa dos Eagles: cobertura de tight ends. O time foi o quinto pior da NFL no quesito e deve sofrer demais com Rob Gronkowski e, quem sabe, Dayne Allen aparecendo como elemento surpresa. “Tio Bill” ama fazer isso. As Águias também sofreram para brecar passes para running backs nos últimos jogos, portanto, Dion Lewis será crucial para avanços longos – tirando o ataque de um eventual buraco.

Embora a defesa dos Pats seja a quarta pior cedendo jardas, é a quinta melhor cedendo pontos! É um grupo que aparece nos momentos decisivos e transforma touchdowns em field goals e punts. Para que isso se repita, Belichick precisa continuar o que vem fazendo nos últimos jogos e variar demais as formações dentro de um mesmo jogo. Os Patriots jogam no 4-3 ou no 3-4? Não dá para saber! Essa inteligência tática será vital para confundir Nick Foles e forçá-lo ao erro – ainda mais com o QB em muitos momentos executando o ‘run pass option’, ou RPO.

Dentre todos os aspectos fundamentais para a vitória dos Eagles, talvez o mais importante envolva o aproveitamento nas terceiras descidas. O time é o terceiro melhor da NFL, tanto no ataque como na defesa, e isso necessariamente precisa voltar a se repetir em Minneapolis. Assim, o time mantém drives mais longos, gasta o quanto conseguir do relógio e deixa Tom Brady sentadinho no banco de reservas. Outro fator fundamental no ataque será espalhar a bola pelos mais diversos alvos – coisa que Doug Pederson faz muito bem. Como Belichick foca sempre em anular totalmente a principal arma do rival, quanto mais jogadores contribuindo recebendo bolas, mais difícil para os Patriots anularem. Fechando o ataque, nem preciso dizer que o jogo corrido precisa necessariamente funcionar para tirar parte da pressão dos ombros de Nick Foles.

Como falamos aqui durante essas duas intermináveis semanas, os Eagles não vencer sem uma atuação primorosa de sua linha defensiva. Além de conseguir colocar MUITA pressão em Brady com apenas quatro jogadores da linha, é preciso mantê-la por todos os 60 minutos de partida. A chave será as infiltrações pelo meio – onde o camisa 12 se sente mais desconfortável. Como Brady está longe de ser um QB móvel, uma forte pressão pelo meio com Fletcher Cox e companhia é o principal caminho para a vitória – até porque a secundária dos Eagles é a melhor de NFL em interceptações (10) quando o quarterback está pressionado.

Assim como foi em toda a pós-temporada, o Philadelphia Eagles apareceu como azarão, ou underdog, quando os primeiros mercados de Las Vegas abriram. Acontece que o valor alto levou muitas pessoas a apostarem nas Águias – com pelo menos quatro apostas de mais de um milhão registradas até o momento! Claro que isso derrubou o número inicial, mas continua sendo um valor alto. Os apostadores realmente acreditam nos Eagles – cerca de 85% dos dólares apostados até o momento estão indo para a franquia de Philly.

O OddsShark.com/br mostra que a vitória dos Eagles paga R$2,65 a cada real investido, enquanto que um triunfo dos Patriots rende R$1,48 para 1. Olhando para as demais opções de aposta, o spread está em quatro pontos em favor dos Patriots e o over/under está em 48 pontos. Se você está pensando em colocar uma graninha na grande final, não pode deixar de ler esse guia especial do Oddsshark Brasil explicando como apostar e trazendo as mais variadas apostas para Eagles x Patriots.

Comentários