Três posições carentes dos 16 times da AFC antes da abertura do mercado

Com a data para abertura do mercado cada vez mais próxima, muitos times devem ir às compras e abrir os cofres para repor os talentos perdidos ou buscar aquela peça que falta para engrenar em 2018. Pensando nisso, preparamos um guia rápido com as posições carentes de todas as equipes da NFL! Veja quais devem ser as opções do seu time do coração a partir do dia 14 de março! Hoje é dia de falar na AFC:

AFC North

Baltimore Ravens (9-7)

Posições carentes: wide receiver, quarterback e right tackle

O ataque precisa de MUITA ajuda em todos os setores  – me surpreenderia se Baltimore não gastar várias escolhas renovando um grupo que foi quase nulo em alguns momentos do ano. A defesa é boa, mas não vence todos os jogos sozinha. Seja no mercado ou no Draft, o time precisa trazer outro QB para ser uma sombra ao decadente Joe Flacco.

Cincinnati Bengals (7-9)

Posições carentes: Linha ofensiva, secundária e linebacker

Ao que parece, Andy Dalton e o técnico Marvin Lewis garantiram suas permanências após a virada espetacular contra os Ravens na última semana. Tendo em vista que Dalton continua prestigiado, é preciso reforçar a linha ofensiva com urgência. A defesa que já foi top 5 precisa de alguns ajustes.

Cleveland Browns (0-16)

Posições carentes: Quarterback, running back e secundária

Mesmo com a chegada de Tyrod Taylor, ainda acho que o mais sábio para os Browns é utilizar uma das duas escolhas no Top 4 do Draft para um quarterback e a outra no RB Saquon Barkley. O time já tratou de trazer Jarvis Landry dos Dolphins e deve seguir utilizando o caminhão d dinheiro disponível para contratações.

Pittsburgh Steelers (13-3)

Posições carentes: Middle linebacker, safety e QB (para o futuro)

Praticamente o mesmo caso dos Saints em relação a QB a necessidade – um jovem talento para ser trabalhado atrás de Big Ben. O time sentiu demais a falta de Ryan Shazier e, em princípio, deve ter como prioridade máxima um substituto até saber qual será o futuro do jogador clinicamente.

AFC South

Houston Texans (4-12)

Posições carentes: linha ofensiva, cornerback, safety

Os Texans precisam de muita ajuda na linha ofensiva, especialmente pelos lados, mas fica bem complicado buscar um bom talento sem escolhas nas duas primeiras rodadas – trocadas com os Browns. A secundária também foi o ponto fraco da defesa em 2017.

Indianapolis Colts (3-13)

Posições carentes: linha ofensiva, running back e pass-rusher

Chega a ser inacreditável os anos passarem e os Colts não focarem em REALMENTE consertar essa linha ofensiva! Andrew Luck volta saudável para 2018, mas precisa permanecer assim ao longo do ano para terem alguma chance. Vimos isso em 2017. A defesa precisa de mais talento com urgência.

Jacksonville Jaguars (10-6)

Posições carentes: wide receiver, tight end e guard

Allen Robinson deve ir para os Bears, Marqise Lee será free agent e Allen Hurns deve ser dispensado. Resumo: o time precisa de PELO MENOS dois bons recebedores!  Essa defesa é monstruosa demais para sofrer com um ataque tão mediano.

Tennessee Titans (9-7)

Posições carentes: Pass-rusher, tight end e cornerback

A vitória diante dos Chiefs foi impressionante, mas o revés em Foxborough mostrou que essa equipe realmente está um passo atrás do topo da AFC. A defesa precisa de mais talento – tanto na pressão como na secundária. Mariota também agradeceria um bom tight end que receba passes.

AFC East

Buffalo Bills (9-7)

Posições carentes: quarterback, linha defensiva e linebacker

Talvez seja muito cedo para crucificar o garoto, mas o que Nathan Peterman mostrou até o momento não dá a menor garantia que ele pode ser o futuro da franquia. Alguns até questionaram a troca de Tyrod Taylor, mas o fato dele esquentar o banco com dois treinadores diferentes mostra que o time segue em busca de um franchise quarterback.

Miami Dolphins (6-10)

Posições carentes: linha ofensiva, tight end e linebacker

Claro que esse cenário leva em conta que Ryan Tannehill ficará para o ano que vem – é preciso ficar bem atento ao desenrolar desta história. O time precisa com urgência reforçar vários setores da linha ofensiva e repor as possíveis baixas do período free agency.

New England Patriots (13-3)

Posições carentes: QB (para o futuro), cornerback e pass-rusher

As saídas de Jimmy Garoppolo e Jacoby Brissett obriga os Patriots a irem atrás de mais um potencial substituto para Tom Brady daqui a alguns anos. A atuação pífia da defesa no Super Bowl deixou claro que o time precisa de ajuda no setor.

New York Jets (5-11)

Posições carentes: quarterback, linha ofensiva e running back

A temporada nem acabou e o New York Jets já anunciou que vai atrás de um quarterback nessa offseason – inclusive interessado em subir no Draft para isso. Seja um calouro talentoso ou um veterano, isso precisa acontecer. O time precisa de ajuda em quase todas as posições no ataque.

 

AFC West

Denver Broncos (5-11)

Posições carentes: Quarterback, linha ofensiva e tight end

Se 2017 mostrou algo para o Denver Broncos é que Trevor Siemian, Paxton Lynch e Brock Osweiller não são capazes de levar o time a outro patamar. Um novo QB precisa chegar e , ao que parece, será Case Keenum: a tendência é que ambas as partes sacramentem o vínculo amanhã.

Kansas City Chiefs (10-6)

Posições carentes: linebacker, cornerback e linha ofensiva

Agora que Patrick Mahomes deve ser o titular em 2018, é preciso com urgência protegê-lo para que ele mostre todo o seu potencial. As saídas de veteranos como Tamba Hali e Marcus Peters deixam buracos que precisam ser preenchidos com urgência.

Los Angeles Chargers (9-7)

Posições carentes: linha ofensiva, defensive tackle e linebacker

Uma das lições que tiramos de 2017 é que esse time dos Chargers é melhor que Bills e Titans que foram aos playoffs. Agora, apesar do fim embalado, é muito complicado se classificar após começar 0-4. A linha ofensiva deve ser a maior prioridade da equipe.

Oakland Raiders (6-10)

Posições carentes: Cornerback, linebacker e linha ofensiva

Que decepção absurda foi o Oakland Raiders em 2017! Um belo time no papel, mas que na prática não deu liga. A secundária foi uma lástima interceptando bolas e criando turnovers – e esse talvez seja problema a ser corrigido com a primeira escolha. Toda a defesa precisa de ajuda.

 

Comentários