Análise de elenco e posições carentes para o Draft 2018: AFC East

Ao longo dos próximos dias o Endzone Brasil chega com um especial analisando os elencos e as carências das 32 equipes da NFL dias antes do tão esperado Draft na próxima quinta-feira (26). Hoje é dia de falar da AFC East!

AFC NORTH   –   AFC SOUTH   –   AFC EAST   –   AFC WEST

NFC NORTH   –   NFC SOUTH   –   NFC EAST   –   NFC WEST

Número de escolhas no Draft 2018: Seis
Três principais contratações:  A.J. McCarron (QB), Star Lotulelei (DT) e Vontae Davis (CB)
Três posições carentes para o Draft: Quarterback, linha ofensiva e linebacker

Após 18 anos de jejum, o Buffalo Bills conseguiu voltar aos playoffs! Entretanto, a passagem na pós-temporada foi bastante decepcionante – anotando apenas três míseros pontinhos na forte defesa do Jacksonville Jaguars. Ficou extremamente claro que o quarto pior ataque em jardas de 2017 precisava de uma plena reformulação – e é o que a direção de Buffalo vem fazendo até o momento.

A era Tyrod Taylor terminou de forma melancólica e, pelo menos por enquanto, o seu substituto será AJ McCarron – que nunca provou ser titular absoluto nos Bengals. Se ele tivesse potencial, já teria roubado a posição de Andy Dalton há muito tempo! Os Bills seguem subindo na ordem do Draft – atualmente possuem cinco picks dentro das primeiras 65 e contam com as escolhas 12 e 22. O que se espera é a franquia realizando mais uma mega troca para buscar um dos top4 quarterbacks dessa classe!

Certamente a primeira escolha será um QB – resta saber qual. Agora, seja ele quem for, terá muita dificuldade de ficar em pé com a atual linha ofensiva! Cordy Glenn e Eric Wood foram embora e Richie Incognito se aposentou… Socorro! Sean McDermott também deve buscar linebackers que se encaixem mais em seu esquema defensivo mais agressivo.

Número de escolhas no Draft 2018: Oito
Três principais contratações: Robert Quinn (DE), Daniel Kilgore (C) e Josh Sitton (G)
Três posições carentes para o Draft: Defensive tackle, linebackers e tight end

Já estava extremamente claro para os torcedores do Miami Dolphins que a temporada tinha ido para o espaço no momento que Ryan Tannehill rompeu os ligamentos do joelho. Infelizmente. Ao invés de tentar ao máximo ajudar Matt Moore, a fanquia entrou em desespero e tirou Jay Cutler da aposentadoria. Nos primeiros jogos deu para entender o porquê do QB ter pendurado as chuteiras… Um desempenho pior do que o esperado! Ao que parece, a franquia planeja dar mais uma chance a Tannehill… será que não era a hora de uma investida em um possível franchise QB?

Como essa não parece ser a ideia da franquia, sequer listei quarterback nas posições carentes. De todos os setores, talvez o mais curto em talento seja o miolo da linha defensiva – especialmente depois da saída de Ndamukong Suh. Pelo menos a ponta ganhou a força de Robert Quinn – que promete fazer uma boa parceria do lado oposto a Cameron Wake.

O setor de linebackers precisa de bastante ajuda – basicamente dois nomes para jogarem ao lado de Raekwon McMillan. Kiko Alonso se mostrou muito deficiente nas coberturas e, pelo alto salário, foi uma grande surpresa ele não ter sido cortado. No ataque, a posição de tight end segue negligenciada por essa atual administração.

Número de escolhas no Draft 2018: Oito
Três principais contratações:  Jordan Matthews (WR), Jeremy Hill (RB) e Jason McCourty (CB)
Três posições carentes para o Draft: Pass-rusher, left tacke e quarterback para o futuro

Mesmo com o ataque quebrando todos os recordes de jardas no Super Bowl 52, o New England Patriots caiu diante do Philadelphia Eagles em Minneapolis e viu o sonho do bicampeonato consecutivo ir para o espaço. Apesar de ser a ser a terceira pior cedendo jardas na temporada regular, a defesa vinha fazendo um bom trabalho na pós-temporada, mas os 44 pontos sofridos na grande final escancararam que a equipe precisa de ajuda em todos os setores – especialmente no pass-rush.

No geral, esta vem sendo a offseason mais agitada pelos lados de Foxborough em muito tempo! Várias trocas, jogadores importantes deixando o elenco para ganharem pequenas fortunas em outros lugares e muita indefinição sobre o futuro de vários pilares da equipe – desgastados com o comando do genial Bill Belichick.

Ao contrário do que alguns boatos dizem, Tom Brady voltará com tudo e estará em campo em 2018… mas até quando? O fato da equipe ter apenas TB12 e o veteraníssimo Brian Hoyer no elenco deixa escancarado que, em algum momento do próximo Draft, a franquia vai atrás de um candidato a sucessor de Brady. Agora, quando será esta escolha? Com duas escolhas de primeira rodada na manga, não se surpreenda com os Pats subindo para buscar o seu garoto preferido.

 

Número de escolhas no Draft 2018: Seis
Quatro principais contratações: Trumaine Johnson (CB), Avery Williamson (ILB), Teddy Bridgewater (QB) e Cairo Santos (K)
Três posições carentes para o Draft: Quarterback, pass-rusher e wide receiver

Muitas pessoas, inclusive este que vos fala, listaram o New York Jets como um dos piores times da liga e candidato a saco de pancadas em 2017. Realmente no papel a equipe era extremamente carente de jogadores talentosos, mas ainda sim conseguiu cinco vitórias na capacidade do técnico Todd Bowles e no comprometimento incrível dos jogadores em campo. A reestruturação segue a todo vapor – e está na hora de começar para valer com o próximo franchise QB da franquia desde Joe Namath na década de 60.

Desde o primeiro dia de offseason os Jets não esconderam que iriam atrás de um jovem QB com a primeira escolha do Draft. Após ficar com a 6ª posição no fim do ano passado, a franquia tratou de trocar com o Indianapolis Colts e subiu para a terceira posição geral. Como a tendência é que o rival Giants não selecione um QB, apenas o Cleveland Browns deve draftar um QB na frente dos Jets. Darnold, Allen, Rosen, Mayfield… façam suas apostas!

Um dos times com mais grana para gastar, o time da Big Apple foi ao mercado e trouxe muitos e muitos jogadores! Como fica complicado analisar quem dará certo ou não, aqui as posições carentes ficam mais no caso da especulação. Todd Bowles precisa de pass-rushers mais talentosos para implementar seu esquema e o setor de wide receiver ainda está bem fraco comparado aos rivais.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Comentários