Análise de elenco e posições carentes para o Draft 2018: NFC West

Ao longo dos próximos dias o Endzone Brasil chega com um especial analisando os elencos e as carências das 32 equipes da NFL dias antes do tão esperado Draft na próxima quinta-feira (26). Hoje é dia de falar da NFC East!

Número de escolhas no Draft 2018: Nove
Três principais contratações:  Sam Bradford (QB), Mike Glennon (QB) e Justin Pugh (OT/G)
Três posições carentes para o Draft: Safety, cornerback e wide receiver

Se levarmos em conta a quantidade gigantesca de lesões de jogadores importantes, a campanha de 8-8 do Arizona Cardinals foi muito boa. A ducha gelada veio logo na estreia – quando David Johnson e D.J. Humphries deixaram o campo contundidos. Se as coisas já estavam difíceis sem o jogador mais talentoso da equipe, imagine quando o QB Carson Palmer também foi para o estaleiro de forma definitiva. 

Com a aposentadoria do veterano e a ineficiência do resto dos QBs, Arizona tratou de fazer um ‘limpa’ na posição e trouxe dois nomes do mercado: Sam Bradford e Mike Glennon. Em matéria de talento, o jogador ex-Vikings, Eagles e Rams talvez fosse o melhor no período de free agency, mas é impossível confiar em um atleta com tantas lesões. Embora eles não estejam pensando nisso, eu garimparia um dos bons nomes do Draft 2018 caso ainda estiverem na mesa na 15ª colocação.

Olhando para as necessidades, está claro que o time precisa de um outro CB de peso para atuar ao lado de Patrick Peterson – inclusive ele mesmo já pediu isso para os diretores. Com a dispensa surpreendente de Tyrann Mathieu, um safey passou a ser prioridade também. Embora não pareça, Larry Fitzgerald não jogará para sempre, portanto, é preciso trazer jovens alvos para Bradford e depois Glennon quando o primeiro machucar.

Número de escolhas no Draft 2018: Nove
Três principais contratações: Ndamukong Suh (DT), Aqib Talib (CB) e Marcus Peters (CB)
Três posições carentes para o Draft: Outside linebacker, inside linebacker e left guard

Talvez nem o mais otimista torcedor do Los Angeles Rams esperava uma temporada tão boa em 2017 – com um time em plena reestruturação e com o técnico mais novo da história da NFL no comando. O que Sean McVay fez foi algo digno dos livros de história: transformou uma das piores equipes de 2016 na campeã da NFC West de forma categórica! O ataque passou simplesmente do pior ao melhor da liga com uma média de 30 pontos por jogo!

A equipe não teve melhor sorte muito por uma defesa bem mediana – e isso ficou evidente nas movimentações da equipe após a abertura do mercado. Muito talento desembarcou por lá! A linha defensiva promete ser mais feroz do que nunca com Ngamukong Suh fazendo parceria com Aaron Donald e a secundária recebendo o trio Aqib Talib, Marcus Peters e Sam Shields.

Agora… e o miolo? É justamente o setor que precisa e certamente será reforçado no próximo Draft. A equipe perdeu Robert Quinn, Connor Barwin e Alec Ogletree na intertemporada e praticamente não repôs nenhum deles. Na linha ofensiva, o setor de guard precisa ser olhado com mais carinho.

Número de escolhas no Draft 2018: Nove
Três principais contratações:  Richard Sherman (CB), Jerick McKinnon (RB) e Weston Richburg (C)
Três posições carentes para o Draft: Linebackers, guard e wide receiver

Temos vida no San Francisco 49ers! Após perder os primeiros dez jogos do ano, o time de Mike Shanahan renasceu das cinzas como uma fênix e venceu todos os seis compromissos em 2017. Como explicar isso? Duas palavras: Jimmy Garoppolo. Desde que o QB ex-Patriots assumiu o posto de titular, os Niners não sabem o que é derrota. Após anos com jogadores ruins na posição, será que finalmente essa camisa pesada voltou a ter um quarterback de respeito? Sim, senhor!

Agora a palavra da vez na Califórnia é cercar o nosso ‘querido Jimmy G’ de mais talento. O backfield já foi bem reforçado com Jerrick McKinnon – que deve se encaixar muito bem com o esquema ofensivo de Shanahan. Agora é preciso dar a Garoppolo mais alvos para lançamento além de Pierre Garcon e Marquise Goodwin.

E quanto a proteção? Embora as duas pontas e o miolo estejam bem servidas, a posição de guard ainda preocupa. Jonathan Cooper chegou, mas ainda é muito pouco para fazer sombra ao decepcionante Laken Tomlinson. Na defesa, o setor de linebackers que já era carente deve precisar ainda de mais ajuda após todo o imbróglio de Reuben Foster com a polícia.

Número de escolhas no Draft 2018: Oito
Três principais contratações: DJ Fluker (G/OT), Ed Dickson (TE) e Barkevious Mingo (OLB)
Três posições carentes para o Draft: Linha ofensiva, running back e cornerback

Será que é tão difícil para o Seattle Seahawks ajeitar essa linha ofensiva? Dá até raiva! Quem nos acompanha por mais tempo aqui sabe como eu bati na tecla de que vários reforços precisavam chegar para que o setor tivesse um rendimento melhor. O time simplesmente deu pouca atenção ao setor e o que vimos foi mais um ano do genial Russell Wilson lutando pela sua vida a cada snap no pocket. Embora o time tenha lutado pelos playoffs até a última rodada, ficar de fora da pós-temporada após cinco anos consecutivos doeu demais no torcedor da franquia.

Duane Brown e Justin Britt melhoraram um pouco o desempenho da linha com o passar do ano, mas ainda estamos falando de um setor que precisa de muita ajuda – especialmente na posição de right tackle. Falando em ajuda, que tal darem a Russell Wilson um running back mais regular e confiável? A classe de 2018 do Draft é excelente.

É triste dizer isso, mas a defesa que liderou a NFL por muitos anos precisa de ajuda em todos os três setores. A Legion of Boom não existe mais – o técnico Pete Carroll já deixou claro que vai reformular totalmente o setor. Cliff Avril e Kam Chancellor ficaram, mas a questão física preocupa demais. Talvez o principal foco seja trazer um substituto para Richard Sherman – que fez as malas e foi para o rival 49ers após ser dispensado.

Comentários