Prévia da temporada 2018: Como será o ano do Baltimore Ravens

Joe Flacco terá a última chance de mostrar serviço e salvar o emprego de John Harbaugh

Embora o time tenha fechado o ano com um recorde positivo, o torcedor de Baltimore lembra com muita tristeza da última temporada. Para quem não se lembra, bastava Baltimore vencer o já eliminado Cincinnati Bengals para carimbar o passaporte à pós-temporada. Tudo parecia estar certo – eis que Andy Dalton tirou um passe mágico da cartola, em uma 4º para 12 nos segundos finais, e lançou um magnífico touchdown de 49 jardas para o TE Tyler Boyd. Fizemos a análise tática desse lance.

Grande parte do recorde positivo pode e deve ser creditado à defesa – a sexta melhor da NFL cedendo pontos. Já o ataque… Joe Flacco ano após ano mostra não ser o quarterback de elite que todos esperavam – mais uma temporada bem mediana com pouco mais de 3 mil jardas aéreas. Tanto que a franquia trouxe dois quarterbacks para colocar mais pressão no titular: Robert Griffin III do mercado e o promissor calouro Lamar Jackson com a escolha de primeira rodada do último Draft. Com um ataque reformulado, Flacco terá a última chance de mostrar serviço e salvar o emprego de John Harbaugh – que entra mais pressionado do que nunca.

Com reformulação no corpo de recebedores, chegou a hora da verdade para Joe Flacco

A discussão sobre Joe Flacco ser ou não um QB de elite é interminável, portanto, não vou abordar isso aqui. O fato é que em todo esse tempo na liga ele nunca mostrou nada espetacular além daquela temporada 2012 totalmente fora da curva – o que lhe rendeu um contrato milionário. As últimas três temporadas com menos de sete jardas por tentativa e as 3,147 jardas aéreas levaram o time a buscar dois novos QBs. Se ele não mostrar serviço com um ataque reformulado, dificilmente começa outro ano em Baltimore.

Isso porque a versão 2018 é, em teoria, mais talentosa – com vários novos alvos de lançamento e dois novos titulares na linha ofensiva. Michael Crabtree pode ser letal dentro da end zone, John Brown é uma ameaça nos passes longos, Willie Snead é confiável no slot e os calouros Hayden Hurst e Mark Andrews dão mais opções que Flacco tanto gosta na posição de tight end.

No backfield, Alex Collins veio dos Seahawks e acabou se encontrando em Baltimore no ano passado: 973 jardas e seis touchdowns. Ao que parece, os Ravens vão apostar no garoto em mais um ano. Na linha ofensiva, os principais reforços são os retornos de Marshal Yanda e Alex Lewis – que se contundiram em 2017. Apesar de não ter atuano um snap sequer na posição, Matt Skura é a aposta do time na posição de center.

>>>Veja a nossa página com todas as prévias da temporada 2018

Defesa consistente terá poucas mudanças

No papel, o Baltimore Ravens terá praticamente a mesma defesa para a próxima temporada. Em teoria, isso seria uma boa notícia, pois trata-se do sexto melhor grupo cedendo pontos e líder da NFL forçando turnovers (34). Na prática, trata-se de um elenco que ‘amarelou’ quando o time mais precisou: não soube segurar uma boa vantagem contra os Steelers em dezembro – isso sem falar daquele TD dos Bengals que tirou o time da pós-temporada.

Horas após o colapso contra Cincinnati, o coordenador defensivo Dean Pees anunciou a aposentadoria. Don “Wink” Martindale assume o posto e promete uma defesa mais ‘durona’, com novas formações de blitz, e que não desmonte na hora da decisão. Talento não vai faltar para isso: mesmo um pouco envelhecido, o front seven liderado por Terrell Suggs e CJ Mosley é um dos melhores da NFL.

Na secundária, Baltimore possui cinco boas opções na posição de cornerback – com Brandon Carr e Jimmy Smith, por enquanto, como titulares. Já no miolo a situação não é tão boa assim – Tony Jefferson e Eric Weddle podem render mais do que mostraram em 2017.

FAVORITISMO EM 2018

As casas de aposta não parecem estar levando muita fé nos Ravens versão 2018. Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 41 para um! Baltimore é o nono nome para vencer a AFC, com 21 para um, e o segundo dentro da AFC North: R$5,50 para cada real investido.

VAI ATÉ ONDE?

Desde o título do Super Bowl XLVII, o Baltimore Ravens está 40-40 na temporada regular – números que refletem a mediocridade desse time nos últimos anos. Será que em 2018 o time finalmente consegue bater de frente com as potências da AFC? Se Joe Flacco não mostrar serviço em sua última chance, a ‘era Lamar Jackson’ pode começar ainda em 2018. Como é difícil imaginar o time vencendo a AFC North, a meta por mais um ano deve ser brigar por uma vaga de Wild Card.

PREVISÃO: 2º DA AFC NORTH

Comentários