Prévia da temporada 2018: como será o ano do Kansas City Chiefs

A era Patrick Mahomes começou no Kansas City Chiefs

Ao final da semana 5, não era nenhuma loucura imaginar um confronto de Kansas City Chiefs x New England Patriots na final da AFC. Acontece que, após um começo arrasador, os comandados de Andy Reid foram perdendo o fôlego e por muito pouco não ficaram de fora dos playoffs – mesmo uma AFC West mais fraca do que em anos anteriores. Após abrir 21 a 0, o time levou uma virada inexplicável do Tennessee Titans e saiu da pós-temporada de forma precoce.

Estava na cara que cabeças iriam rolar – e a primeira a ir para a guilhotina foi a do quarterback Alex Smith. Após anos medianos e muita contestação em momentos decisivos, o QB foi trocado com os Redskins e dá o lugar para o promissor Patrick Mahomes. O jovem foi a escolha de primeira rodada dos Chiefs no ano passado e, com um canhão no braço, chamou a atenção da comissão técnica. Será mesmo que ele pode comandar esse bom ataque em 2018? Essa é a pergunta de um milhão de dólares pelos lados de Kansas City.

Aposta em Mahomes é um risco calculado

Após cinco anos de letargia de Alex Smith, é compreensível que a franquia tenha trocado o QB e apostado em um novo nome. Em teoria, Patrick Mahomes é um jogador muito dinâmico, com um braço potente e que já mostrou flashes de que pode ser titular na NFL. Agora, apesar de ser uma boa aposta, continua sendo uma aposta – especialmente se ele não conseguir limitar o número de turnovers.

Ajuda não vai faltar: o talento em volta do garoto é digno de um time de playoffs. Mahomes terá o dinâmico Tyreek Hill para mandar umas bombas de 50 jardas, o conhecido Sammy Watkins, a confiabilidade do TE Travis Kelce – um dos três melhores tight ends da liga – e a versatilidade de Kareem Hunt também recebendo passes. Aliás, o RB foi uma das gratas surpresas de 2017 e deve melhorar ainda mais no seu segundo ano como profissional – aquela ‘offensive weapon’ tão famosa na NFL atual.

Além da aposta no QB, a linha ofensiva é outro setor que preocupa no ataque – especialmente o lado esquerdo com Eric Fisher e Bryan Witzmann. Os outros três postos são decentes, mas nada de outro mundo. Se cuida, Mahomes!

>>>Veja a nossa página com todas as prévias da temporada 2018

Defesa reformulada e sem alguns medalhões

Após aquela virada inexplicável nos playoffs, esperva-se que Bob Sutton seria mandado embora. Ele volta para o time em 2018, mas vários veteranos deixaram o grupo – entre eles Derrick Johnson, Tamba Hali e Marcus Peters.

Claro que a saída do melhor CB do time, em teoria, não é das mais benéficas, mas a chegada de Kendall Fuller na troca de Alex Smith pode aliviar as coisas em um grupo que também conta com Kenneth Acker, Phillip Gaines e Terrance Mitchell. No fundo da secundária, o retorno de Eric Berry vai dar muito mais estabilidade pelo meio.

Uma das piores defesas da NFL contra corridas, o time se reforçou com os nose tackles Xavier Williams e o calouro Derrick Nnadi. Embora a linha de linebackers esteja ainda mais sólida com a chegada de Anthony Hitchens, o time não trouxe um substituto à altura para Tamba Hali.

FAVORITISMO EM 2018

Apesar de ser o atual bicampeão da divisão, as casas de aposta não estão levando tanta fé nos Chiefs. Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl 53 é de 29 para um. Kansas City é o sexto time com mais chances de vencer a AFC, com 15 para um, e o terceiro favorito dentro da AFC West: R$4 para cada real investido.

VAI ATÉ ONDE?

Claro que o Kansas City Chiefs entra como candidato ao tricampeonato da AFC West, agora, não será nada fácil. Se Mahomes ‘vingar’ e a refomurlada defesa der conta do recado, o time pode bater de frente com os rivais. Agora, como todos os três adverários, no papel, melhoraram, a divisão passa a ser uma grande incógnita.

PREVISÃO: 3º DA AFC WEST

Comentários