Defesa amassa Russell Wilson e garante vitória dos Bears sobre os Seahawks

A situação já era quase uma tragédia anunciada para o torcedor do Seattle Seahawks: como a linha ofensiva capenga vai conseguir brecar a feroz defesa do Chicago Bears no Monday Night Football? Resposta: não vai. Liderado por Khalil Mack, o grupo fez da vida do camisa 3 um inferno e garantiu a vitória dos Bears por 24 a 17 no Soldier Field nesta segunda-feira – no duelo que fechou com chave de ouro a semana 2 da NFL.

É assustador como a presença de Mack elevou ainda mais essa defesa de patamar: foram seis sacks, três fumbles forçados e uma interceptação retornada para touchdown na Cidade dos Ventos. O grupo foi tão eficiente que conseguiu carregar nas costas um ataque ainda engatinhando com Mitch Trubisky. Do outro lado, os problemas em Seattle seguem os mesmos do ano passado: linha ofensiva horrível, jogo terrestre quase que inexistente e defesa que precisa de playmakers. Se continuar nessa toada, será um long ano para o torcedor de Seattle…

 

 

Bears perdem chance de abrir grande vantagem

Como já era esperado, o Chicago Bears começou com tudo no Soldier Field: a defesa colocou MUITA pressão na fraca linha ofensiva dos Seahawks e o ataque, pelo menos no início do duelo, produziu bem. O estádio balançou logo na primeira campanha de Chicago: foram cinco minutos de posse e dez jogadas até Mitch Trubisky lançar o primeiro touchdown da noite – em conexão curta com o TE Trey Burton, ex-Eagles.

Do lado dos Seahawks as coisas estavam bem complicadas: o jogo corrido não funcionava e Russell Wilson, como de costume, sofria para ficar em pé a cada snap – foram cinco sacks apenas na primeira etapa! Chega a dar dó do camisa 3 com uma linha ruim dessas… 

Chicago dominou a primeira  em tempo de posse e jardas, mas não conseguiu abrir uma vantagem maior pela inconsistência gigantesca de Trubisky: ele matou duas campanhas promissoras com interceptações nas mãos de Shaquill Griffin. A única pontuação dos Bears depois daquele TD inicial foi um field goal curto de Cody Parkey. 

Claro que o castigo veio logo em seguida: mesmo aos trancos e barrancos, Russell Wilson foi na base da raça e posicionou o kicker Sebastian Janikowski para uma difícil tentativa de 56 jardas nos segundos finais. O veterano colocou a bola dentro do “Y” e os Seahawks foram para o intervalo com um lucro gigantesco – perdendo apenas por 10 a 3.  

 

Seahawks encostam, mas não levam

A máxima do primeiro tempo seguiu na segunda etapa: os Bears controlavam o relógio, mas não conseguiam transformar o domínio em pontos. Já para o ataque dos Seahawks foi um terceiro quarto para apagar da memória: o time teve ao todo seis jogadas para um total de uma, isso mesmo, uma jarda! O placar voltou a se movimentar apenas no comecinho do último quarto: Trubisky gastou mais de seis minutos do relógio e finalmente desencantou com um passe de nove jardas para touchdown de Anthony Miller.

A situação de Seattle era a seguinte: Russell Wilson recebeu a bola com 14 minutos para o fim da partida precisando tirar uma vantagem de 14 pontos. O mago dos Seahawks começou muito bem: drive de dez jogadas e passe magistral no fundo da end zone para Tyler Lockett. O time visitante mais vivo do que nunca, certo? errado. Wilson cometeu um erro imperdoável logo em seguida: lançou a bola nas mãos de Prince Amukamara e o CB retornou até a end zone. Acredite se quiser: foi a segunda pick-six da carreira do quarterback! 

O camisa 3 até lançou mais um touchdowns nos segundos finais de partida, para o TE calouro Will Dissly, mas era tarde demais para buscar um hipotético empate. Chicago ajoelhou na bola e comemorou demais a primeira vitória na temporada 2018!

 

Próximos jogos

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (23) às 17h25 (de Brasília): enquanto o Chicago Bears viaja para o deserto encarar o Arizona Cardinals, os Seahawks recebem o Dallas Cowboys no CenturyLink Field.

Comentários