Prévia da temporada 2018: Como será o ano do Minnesota Vikings

O Minnesota Vikings conta com Kirk Cousins para voltar ao Super Bowl

Apesar da decepção na grande final da NFC, o torcedor deve ficar orgulhoso da belíssima temporada do Minnesota Vikings em 2017: 13 vitórias na temporada regular e um triunfo inesquecível contra os Saints no Divisional – eternamente marcado como o ‘Milagre de Minneapolis’. Agora, o que aconteceu lá no Lincoln Financial Field precisa servir de exemplo – a equipe foi destruída pelo Philadelphia Eagles e em nenhum momento mostrou reação dentro da partida na Filadélfia.

Além de um relaxamento após a virada épica, o que pesou para a equipe em Philly talvez tenha sido a incapacidade de Case Keenum de assimilar o golpe e voltar o seu time para o jogo. Pensando nisso, Minnesota reformulou totalmente a posição de quarterback e deu um caminhão de dinheiro para Kirk Cousins, principal nome do mercado, pensando em finalmente voltar ao Super Bowl. Como vários nomes da defesa estão em ano de contrato, agora é ‘tudo ou nada’ em busca do Vince Lombardi!

Cousins terá boas armas para fazer o bonde andar

Embora algumas pessoas não concordem, a chegada de Cousins deve ser um upgrade em relação aos que estavam lá no ano passado: um QB mais preciso, com um braço mais forte e com pelo menos 4,000 jardas e 25 touchdowns nos últimos três anos. Ele terá como coordenador o grande John DeFilippo – um dos responsáveis pelo ano maravilhoso de Carson Wentz e Nick Foles na Filadélfia.

Talento em sua volta não vai faltar! O corpo de recebedores conta com uma dupla espetacular de wide receivers, Adam Thielen e Stefon Diggs, além da promessa Laquon Treadwell e o TE Kyle Rudolph. Mesmo com a saída de Jerick McKinnon, o corpo de running backs promete ser bem mais dinâmico com o retorno do garoto Dalvin Cook e a presença do veterano Latavius Murray.

A linha ofensiva melhorou consideravelmente depois das chegadas de Riley Reiff na ponta esquerda e com o ótimo desempenho do então calouro Patt Alflein. Em teoria, a posição mais carente seria a de right guard após a aposentadoria de Joe Berger. Pelo menos por enquanto, Mike Hemmers deve ser expremido para o meio om Rashod Hill segurando as pontas na posição de right tackle.

Defesa precisa ser espetacular também nos playoffs

Parte do colapso em Philly caiu na conta da defesa – que foi a melhor da NFL em muitos quesitos na temporada regular, mas sofreu 62 pontos nos últimos seis quartos nos playoffs. O grupo permanece quase que intacto para 2018 e precisa dar uma resposta na hora da decisão.

Se se manter saudável, esse grupo tem condição de mais uma vez dominar a liga. Principalmente porque a linha defensiva é feroz com Everson Griffen, Linval Joseph, Sheldon Richardson e Danielle Hunter na outra ponta – uma das gratas surpresas dos últimos anos. A Linha de linebakers completa o ótimo front seven com os dominantes Eric Kendricks e Anthony Barr – com o garoto Ben Gedeon de WLB.

A secundária conta com dois nomes de peso e acima da média: o CB Xavier Rhodes e o safety Harrison Smith. O problema é quem ficará ao lado deles. Trae Waynes até fez um trabalho decente, mas deve brigar com o calouro Mike Hughes pela posição na outra ponta. Longe de ser brilhante, Andrew Sendejo segue como melhor opção de strong safety.

FAVORITISMO EM 2018

Investir nos Vikings levanto o título está pagando mais do que você imagina! Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 12 para um. Minnesota é  oterceiro para vencer a NFC, com 7 para um, e o favorito dentro da NFC North ao lado dos Packers: R$2,37 para cada real investido.

VAI ATÉ ONDE?

Quando deu um caminhão de dinheiro para Cousins, o Minnesota Vikings deixou claro que vai para o tudo ou nada em 2018. Embora isso seja positivo em alguns aspectos, a pressão está lá! Com um ataque turbinado e uma defesa fortíssima, os Vikes devem chegar longe. Talento para Super Bowl está lá, agora, será que vão produzir quando o bicho pegar?

PREVISÃO: 1º DA NFC NORTH

Comentários