Prévia da temporada 2018: Como será o ano do Pittsburgh Steelers

Com poucas mudanças, o Pittsburgh Steelers segue sonhando com um Super Bowl do trio “BBB”

Após mais uma campanha tranquila na temporada regular, parecia que o Pittsburgh Steelers seria aquela ameaça real à hegemonia dos Patriots dentro da AFC. Não foi. A defesa sofreu um colapso no Heinz Field no divisional round e conseguiu levar 45 pontos do ataque do Jacksonville Jaguars – liderado pelo ‘brilhante’ Blake Bortles.

Seja pela sentida ausência do linebacker Ryan Shazier ou por já estar pensando em uma revanche contra os Patriots antes dela acontecer, fato é que a temporada acabou com um gosto bem amargo pelos lados da Pensilvânia. Como o elenco praticamente não mudou do ano passado para cá, a expectativa pelos lados de Pittsburgh permanece a mesma: Super Bowl! Como esse possivelmente será o último ano do ‘trio BBB’ em campo, os Steelers sabem que é agora ou nunca na corrida pelo Vince Lombardi em fevereiro.

Ataque permanece quase intacto… resta saber quando Bell vai voltar

Como a base do ataque permanece a mesma, a grande mudança no ataque dos Steelers está no banco de reservas: após sete anos de parceria com Ben Roethlisberger, Todd Hailey foi para o rival Browns e o ex-técnico de quarterbacks, Randy Fichtner, agora assume o posto de coordenador ofensivo. Na prática, Big Ben deve manter o bom trabalho e até melhorar no que muitas vezes foi o ponto mais fraco do ataque: o aproveitamento na red zone: Pittsburgh foi o 3º melhor em jardas e apenas o 8º em pontos.

Pittsburgh deve ter mais um ano muito produtivo, e talvez o último, se o trio “BBB” estiver em campo. Big Ben e Antonio Brown estão prontos, o problema desde o começo do ano está sendo Le’Veon Bell! Estamos a poucos dias da estreia da equipe contra o Cleveland Browns e o rapaz ainda não deu as caras para assinar o seu contrato de franchise tag. Como todos os outros jogadores que fizeram greve, de um jeito ou de outro, foram pagos, não se surpreenda com Bell desfalcando o time nas primeiras semanas ou até, em um cenário apoclíptico, trocado com outro time como foi Khalil Mack.

O resto do ataque promete ser bom como sempre: JuJu Smith-Schuster deve explodir em 2018 ao lado de Brown e com o calouro James Washington no suporte. A linha ofensiva foi muito bem no ano passado e segue completa para 2018 – com Alejandro Villanueva, center Maurkice Pouncey e right guard David DeCastro indo para o Pro Bowl.

Defesa precisa arranjar um jeito de substituir Ryan Shazier

Ficou bem claro que a defesa foi do ‘vinho para a água’ depois que Ryan Shazier sofreu a trágica lesão na semana 12 – o corpo e a alma do grupo no miolo da linha de linebackers. Embora o time tenha tido uma temporada inteira para preparar o esquema sem Shazier, nenhum nome à altura foi contratado – Vince Williams e Jon Bostic vão brigar pela posição.

Setor mais deficiente em 2017, a secundária foi reformulada – com vários nomes mais relevantes dispensados. Os principais reforços são o safety Morgan Burnett e o calouro Terrell Edmunds – aquele híbrido de safety e linebacker. A linha ofensiva e os outside linebackers seguem praticamente os mesmos – liderados por Cameron Heyward e sua trupe.

Favoritismo em 2018

O favoritismo dos Steelers é bem considerável nas casas de aposta. Observando o Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl 53 é de 10 para um. Pittsburgh é o sgundo time com mais chances de vencer a AFC, com 5 para um, e o  favorito dentro da AFC North: R$1,40 para cada real investido.

Vai até onde?

Se tudo correr como esperado, o Pittsburgh Steelers vence a AFC North sem maiores sustos e se classifica aos playoffs – buscando voltar à final da AFC pela primeira vez desde 2011. O time é forte candidato a Super Bowl se o trio ‘BBB’ jogar o que sabe e a defesa arranjar um jeito de substituir Ryan Shazier.

Previsão: 1º da AFC North

Comentários