Contagem regressiva Endzone Brasil: Robert Griffin III


Uma das maiores promessas na posição de quarterback nos últimos anos, Robert Griffin III literalmente foi do céu ao inferno nas duas primeiras temporadas como profissional. O talento de Baylor assistiu ao Washington Redskins fazer uma troca ousada no Draft de 2012 para poder contar com ele no elenco, os Redskins deram as escolhas de primeira rodada dos próximos dois Drafts pela 2º posição geral daquele ano, suficiente para draftá-lo.

RGIII como é popularmente conhecido, o camisa 10 correspondeu as expectativas, mostrando inicialmente ser aquele QB de elite que o torcedor de Washington tanto esperava. Griffin foi espetacular em 2012, uma ameaça tanto nos passes como pelo chão. Foi eleito melhor calouro ofensivo daquele ano com ótimos números: 20 TDs, apenas 5 INTs, e mais 7 touchdowns terrestres.

Executou com perfeição o esquema “read-offense”, novidade até então. RGIII destruiu as defesas adversárias ao lado do também calouro RB Alfred Morris, liderando uma arrancada de nove vitórias consecutivas que culminou no título da NFC East e uma vaga nos Playoffs.

Lesão de RGIII nos playoffs (AP)

A primeira e única partida de pós-temporada ficou marcada negativamente na carreira do jogador, não pelo seu desempenho, mas pela séria lesão no joelho que sofreu no duelo diante do Seattle Seahawks. Mesmo contundido, o técnico Mike Shanahan manteve RGIII em campo, fato que agravou mais ainda a contusão. Foi nesse dia que se iniciou uma crise de relacionamento entre ele e seu treinador.

Era o começo de um ano muito complicado para Griffin, a recuperação do joelho tomou vários meses de preparação para a temporada que viria a seguir. Ele não entrou em campo nos jogos da pré-temporada, se mostrou totalmente fora de forma nos primeiros compromissos da equipe. O camisa 10 foi melhorando aos poucos, mas nada nem parecido com o ano anterior, principalmente protegendo a bola. O fato do “read-option” não ser mais novidade também ajudou no ano medíocre do quarterback.

O pífio desempenho do ano passado coloca aquela pulga atrás da orelha quanto a Robert Griffin III ser um QB de elite. Ele terá uma ótima chance de dar a volta por cima em 2014, sob a batuta do novo técnico, Jay Gruden. Griffin terá uma pré-temporada completa para se preparar, contará com o talento de DeSean Jackson no corpo de wide receivers e utilizará um esquema ofensivo adaptado a suas habilidades dentro do pocket. Mais protegido e longe das contusões, ele pode mostrar que é tudo que o torcedor dos Redskins espera dele.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários