Contagem regressiva Endzone Brasil – Chris Johnson

perfil 21 - CJ2K cópia

Mesmo longe do auge da carreira, é inegável que Chris Johnson ainda é um dos running backs mais perigosos da NFL. Ele passou das mil jardas terrestres em todas as seis temporadas que atuou na liga, em uma delas ultrapassou as duas mil, entrando no seleto grupo de sete jogadores a conseguirem tal feito. Marca que lhe rendeu o apelido “CJ2K” (2k = 2,000), que carrega até hoje.

A velocidade fora do comum já era marca característica desde garoto, Johnson dividiu as atenções no colegial entre futebol americano e provas rápidas de atletismo. Mais focado no esporte de bola oval no último ano, aceitou a proposta de bolsa de estudos de East Carolina. Não foi um excepcional RB nos três primeiros anos por lá, era constantemente utilizado como retornador de chutes.

Panorama que mudou em 2007, último dele na universidade. Johnson foi espetacular: 1,423 jardas terrestres, 528 de recepções e mais 1,009 de retornos, com 24 touchdowns. Mesmo com uma performance tão boa, ele era cotado apenas para sair entre a segunda e a terceira rodada do Draft 2008, isso até correr impressionantes 4,24 no teste de 40 jardas. Número que levou o Tennessee Titans a apostar nele, com a 24º escolha geral.

CJ2K participou de três edições do Pro Bowl

Chris começou sua temporada de calouro na reserva de LenDale White, já na terceira partida do ano virou titular.  Muito rápido e com leituras precisas, ele correu 1,228 jardas, ficou em segundo na votação de calouro ofensivo do ano. Liderou o time a uma ótima campanha 13-3, caiu diante do Baltimore Ravens no Divisional Round. Foi a única vez que ele disputou uma partida de pós-temporada.

O ano seguinte entrou para história da NFL, Chris Johnson fez uma das maiores temporadas de um running back de todos os tempos. Apesar da campanha 8-8 do time, ele correu impressionantes 2,009 jardas, um dos sete RBs da história a conseguir tal feito. Ele também quebrou o recorde de jardas depois da linha de scrimmage em uma temporada de Marshall Faulk, com 2,509.  Foi eleito o melhor jogador de ataque do ano de 2009.

Já conhecido como “CJ2K”, não conseguiu repetir os números espetaculares desde então. Ele passou das mil jardas nos últimos quatro anos, mas foi bem irregular no âmbito geral, longe do jogador de 2009. Seu desempenho caiu drasticamente mesmo depois que se tornou o running back mais bem pago da liga em 2011. Seus ex-companheiros nos Titans  contam que Johnson não tem um bom comportamento nos vestiários, sempre culpando a todos quando ele não tem um bom jogo.

Tennessee já faz parte do passado, agora ele enfrenta uma nova fase da carreira no New York Jets. Vai brigar pela posição de titular com Chris Ivory, deve aos poucos conquistar um lugar no time. Certamente CJ2K vai atuar em um time mais talentoso, resta saber se ele ainda possui gasolina no tanque para nos surpreender.

Comentários