Como o ataque dos Seahawks destruiu a defesa dos Packers

ANÁLISE TÁTICA

 

O coordenador defensivo do Seattle Seahawks foi muito bem na noite de ontem (04), utilizando suas armas de forma muito inteligente e criativa. Os esquemas de Darrell Bevell foram parte importante na vitória maiúscula dos Seahawks sobre os Packers, 36 a 16.  Vamos entender o que foi feito.

Primeiro, soube utilizar a velocidade do WR Percy Harvin a seu favor. Armou vários esquemas para fazer com que Harvin tivesse algum espaço para mostrar toda sua qualidade. Logo no início da partida, castigou a defesa dos Packers com jogogadas dinâmicas, como bubble screens e jet sweeps. Vamos analisar uma delas:

Graphic1  Seattle alinha três recebedores do lado esquerdo, entre eles Percy Harvin. Repare no lado direito todo resguardado. Essa jogada é uma variação de jet sweep, onde o wide receiver começa o movimento antes mesmo do snap. Harvin começa a correr antes que a bola chegue a Russel Wilson.

Graphic2

 

Marshawn Lynch se desloca para a esquerda, fazendo com que toda a defesa de Green Bay espere uma corrida do running back. Enquanto isso, Harvin cruza a frente de Wilson logo depois que o snap foi feito. Ele recebe a bola do quarterback e usa toda a sua velocidade, pegando os Packers de surpresa.

Graphic3

Com espaço, o camisa 11 é letal. Com a ajuda de um bom bloqueio, ele cruza a linha de first down, conquista um avanço de 13 jardas e sai do campo. Harvin terminou a partida com 11 toques na bola, sete recepções e quatro corridas, para um total de 100 jardas.

Darrell Bevell usou formações assim três vezes na primeira campanha de ataque, sinalizando: se não tomar precauções, vou fazer isso o jogo todo. Assim, o coordenador conseguiu o que queria, criar aquela sensação de ameaça dupla que confunde a defesa adversária. As jogadas de corrida e de read-option ficam muito mais difíceis de se defender quando o adversário está preocupado com a marcação no perímetro.

trickyhawks.0Outra inovação de Bevell foi uma jogada que surgiu no College ano passado, decisiva para a vitória de Auburn contra Alabama no último Iron Bowl. Apelidada de “pop pass”, nada mais é do que um “read option fake”. A jogada se desenha como um read option tradicional, com o QB ameaçando uma corrida pela lateral. Quando a secundária avança para bloquear o quarterback, ele para o movimento e lança para seu principal recebedor, que realiza uma rota comeback. O passe encobre o cornerback, o WR recebe a bola completamente livre. Veja como foi no gif ao lado.

aub1.0

O primeiro deles é a jogada dos Seahawks de ontem, já o segundo é a fatídica jogada feita pelo ataque de Auburn no ano passado. O fato curioso é que o safety “queimado” nas duas situações é o mesmo, Ha Ha Clinton-Dix. Destaque de Alabama nos últimos anos, foi draftado pelos Packers no Draft 2014.

 

São essas inovações, aliadas a muita qualidade técnica e talento, que nos leva a qualificar os Seahawks como favoritos a repetir a conquista do Super Bowl. Quanto ao “pop pass”, deve ser amplamente utilizado na NFL na próxima temporada. Lembre-se que se trata liga em que pouco se cria e muito se copia.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários