Pré- jogo rodada de Wild Card 2015: Baltimore Ravens x Pittsburgh Steelers

pojetu playoffs faixa final com campanha copy

Local: Heinz Field
Horário:  23h15
Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

Toda vez que as duas equipes se encontram, a promessa é de muita rivalidade, emoção e confusão. Ravens e Steelers se odeiam, certamente uma das maiores rivalidades recentes da NFL. Agora projete esse cenário em um jogo de playoffs. Terceira vez desde 2008 que os times se encontram na pós-temporada. O gelado, e provavelmente chuvoso, Heinz Field vai pegar fogo na noite deste sábado (3).

estatisticas ravens steelersApesar do caráter emocional do duelo, os Steelers possuem um ligeiro favoritismo no confronto. Além do fator casa, muito importante em um jogo de pós-temporada, o time vive um melhor momento, venceu os quatro últimos jogos e conquistou o título da AFC Noth. O veterano Ben Roethlisberger vem tendo o melhor dos seus 11 anos de carreira na liga, foram 32 passes para touchdown e 4.952 jardas. Vale ressaltar que, apesar da série de vitórias, Pittsburgh se mostrou muito inconsistente ao longo da temporada, perdeu jogos para Buccaneers, Jets e Saints, duas dessas partidas em casa.

-> CONFIRA A TABELA COMPLETA DOS PLAYOFFS

Irregularidade que pode voltar a aparecer no duelo de sábado, por que não? Nunca se pode duvidar dos Ravens nos playoffs, a história mostra isso. Quietinhos em 2012, eles foram avançando e conquistaram o Super Bowl 47. Para isso, o time precisa mostrar muito mais do que apresentou nas últimas semanas: derrota para o Houston Texans com Case Keenum de quarterback, vitória na bacia das almas em casa contra o desfalcado Cleveland Browns, que contava com o QB Connor Shaw fazendo sua estreia na NFL. Se os Chargers tivessem  feito a sua parte e vencido os Chiefs, Baltimore não estaria nos playoffs.

Últimos confrontos

Roethlisberger no segundo duelo de 2014

Roethlisberger no segundo duelo de 2014

Como rivais de divisão, as duas equipes se enfrentaram duas vezes em 2014. Em ambas oportunidades, o fator casa se fez presente. O primeiro encontro foi em Baltimore na semana 2, vitória maiúscula dos Ravens por 26 a 6. O troco veio meses depois, na semana 9, massacre dos Steelers no Heinz Field. 43 a 23 para Pittsburgh, com direito a seis touchdowns lançados por Roethlisberger. Os dois times já se encontraram na pós-temporada três vezes (2002, 2009 e 2011), todas no mesmo local e com o mesmo resultado: os Steelers venceram os três duelos no Heinz Field.

Chave da vitória para os Ravens

Com um recorde de 6-10 nos últimos dois anos fora de casa, Baltimore terá que se superar fora de seus domínios. Contra a 27º pior defesa contra o passe, uma boa performance de do QB Joe Flacco será fundamental. Apesar do sofrimento contra os Browns, ele passou das 300 jardas aéreas pela primeira vez desde a semana 9.  Resta saber se ele terá algum tempo no pocket, pois a linha ofensiva sofre com desfalques dos dois tackles titulares.  Se a linha funcionar, o WR Torrey Smith deve ser mais uma vez muito acionado, ele recebeu 10 TDs nos últimos 11 compromissos dos Ravens em 2014.

Forsett carregará o jogo terrestre

Forsett carregará o jogo terrestre

Independente da ausência do RB Le’Veon Bell, a chave para o sucesso de Baltimore passa por deixar Big Ben desconfortável no pocket, com o menor número possível de pass-rushers. Assim, sobram mais jogadores para cobrir os vários alvos de Roethlisberger. Terrell Suggs mais uma vez será fundamental, deve por várias oportunidades vencer o duelo contra o mediano OT Marcus Gilbert. O retorno de suspensão de Haloti Ngata também ajuda demais o processo, resta saber em que condição ele retorna após um mês parado. Uma boa performance do CB Ladarius Webb contra Antonio Brown também será vital, o WR computou 11 recepções e 144 jardas no último encontro das equipes na semana 9.

Chave da vitória para os Steelers

Brown será mais fundamental do que nunca

Brown será mais fundamental do que nunca

O ataque sofreu um duro golpe com a ausência do RB Le’Veon Bell, um dos pilares deste ataque. Com uma lesão no joelho, ele foi vetado para o confronto. Baixa incomensurável, Bell vem de uma temporada fantástica: 11 touchdowns, 2.215 jardas da linha de scrimmage. A ausência dele torna o ataque unidimensional, pois Pittsburgh não possui um reserva pelo menos mediano na posição depois que dispensou LeGarrette Blount. O TE Heath Miller deve ser muito mais incluído no plano de jogo, ele é depois de Antonio Brown e Bell o que mais recebeu bolas de Big Ben este ano (66). Mesmo mais previsível, a tarefa de marcar Brown, o melhor WR em recepções e jardas em 2014, ainda é muito difícil.

Na defesa, os números mostram que Joe Flacco rende muito menos sob pressão, principalmente nas tentativas de passe longo. Jason Worilds, Lawrence Timmons, James Harrison e Cameron Heyward vem jogando muito bem nas últimas partidas, devem ter sucesso pressionando a desfalcada linha ofensiva de Baltimore. Se Flacco tiver tempo, ele vai castigar, a secundária dos Steelers é uma das piores cedendo jogadas de 20 ou mais jardas. O time também deve ter muita atenção as jogadas de “play-action”, muito utilizadas pelo coordenador ofensivo Gary Kubiak.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários