Os renegados que viraram protagonistas no Seattle Seahawks

Baldwin e Kearse é uma dupla de sucesso em Seattle

Baldwin e Kearse é uma dupla de sucesso em Seattle

É de se invejar o trabalho que Pete Carroll vem fazendo com o Seattle Seahawks durante as últimas duas temporadas. A franquia consegue draftar bem, montar um bom vestiário e ainda por cima completar o plantel com atletas que não foram para o draft. Esses free agents costumam fazer pouco barulho, mas parece que na terra do CenturyLink Field, tudo tem espaço para ter seus minutos de fama.

Na espetacular vitória sobre o Green Bay Packers, alguns atletas responsáveis pela virada não foram nem draftados. Mas sim, escolhidos a dedo para fazer parte do elenco. Entre todos os wide receivers de Seattle que agarram ao menos um passe na partida final, nenhum foi draftado pelo time. Doug Baldwin, que teve um fumble perdido, porém foi o líder da equipe em jardas aéreas (106 em 6 recepções); e o WR Jermaine Kearse, que foi o autor do touchdown da vitória no tempo extra, não passaram pelo Draft pelo time. O WR Ricardo Lockette foi contratado pelo time após o Draft de 2011, saiu da equipe e voltou em 2013.

Junto com esses três não-draftados, que já estão montando uma carreira vitoriosa com os Seahawks, o WR Chris Matthews também pode conseguir. Ele foi o responsável por agarrar a bola na tentativa de onside kick que o TE Brandon Bostick de Green Bay não conseguira. A recuperação já deixou o time na metade do campo e em 44 segundos para o RB Marshawn Lynch virar o jogo.

-> CONFIRA NOSSA PÁGINA SOBRE O SUPER BOWL 49

Não vamos esquecer também da jamanta que anotou o TD através de um fake Field Goal. O tackle Garry Gilliam também não foi draftado e segurou um passe do punter Jon Ryan enquanto todos os jogadores de Green Bay corriam atrás para tentar evitar o FG. Uma jogada arriscada, mas digna de aplausos para um técnico que sempre quis vencer a partida.  Além deles, o OL Alvin Bailey, o DB Jeron Johnson e o LB Mike Morgan também chegaram ao time sem ser draftados em temporadas anteriores. Isso sem contar em escolhas altas no draft, como Russell Wilson na terceira, Richard Sherman e Kam Chancellor na quinta e o MVP do Super Bowl 48 Malcolm Smith, que foi escolhido na sétima rodada.

O carismático Pete Carroll é o comando do time

O carismático Pete Carroll é o comando do time

Depois da final da NFC, Carroll foi perguntado sobre a possível chance de Matthews realmente começar a jogar entre os titulares. O técnico de Seattle afirmou que o wide receiver tem potencial para ser um atleta único por ser muito grande para um recebedor. Antes de chegar em Seattle, Matthews jogou na universidade de Kentucky e depois no Futebol Canadense. Sofreu algumas lesões, mas participou da pré-temporada dos Seahawks. No entanto, esteve em apenas quatro partidas da equipe na temporada.

Dos 53 jogadores do plantel de Seattle, 22 são atletas que não foram draftados. A maioria deles, obviamente, fazem parte dos times de especialistas. Entretanto, podem sim virar protagonistas no Super Bowl, contra o New England Patriots. A fórmula de Pete Carroll vem dando certo, os jogadores dizem que ele dá chances iguais para todos e que cada um tem a sua chance de mostrar valor. E é com esse espírito que os Seahawks vão para Arizona, no dia 1º de fevereiro, em busca do bicampeonato.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários