Análises do Draft 2015: AFC North

afc north

O Draft 2015 já é coisa do passado, foi dada a largada para a próxima temporada! Ao longo dos próximos dias, a equipe do Endzone Brasil vai analisar as escolhas feitas por todas as equipes da NFL, separadas por divisão. Hoje é dia de falar da AFC North:

  Baltimore Ravens

Campanha em 2014: 10-6 (caiu no Divisional Round)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 26 – Breshad Perriman, WR, Central Florida; 55 – Maxx Williams, TE, Minnesota; 90 – Carl Davis, DT, Iowa; 122 – Za’Darius Smith, DE/OLB, Kentucky; 125 – Buck Allen, RB, USC; 136 – Tray Walker, CB, Texas Southern; 171 – Nick Boyle, TE, Delaware; 176 – Robert Myers, G, Tennessee State; 204 – Darren Waller, WR, Georgia Tech

Ótimo Draft dos Ravens, belo trabalho de Ozzie Newsome e sua equipe. Baltimore em praticamente todos os rounds buscou promissores talentos que preenchem com muita eficácia as principais necessidades do time. Joe Flacco ganhou novos bons alvos, o backfield foi reforçado e a defesa ganhou bons prospectos para suprir algumas ausências. Maxx Williams era cotado para sair na primeira rodada, escolher possivelmente o melhor TE do Draft com a pick 55 certamente foi um ‘steal’. Para um time carente na posição, melhor ainda. Flacco ainda recebeu Beshad Perriman,  uma arma nos passes longos para substituir Torrey Smith.

A melhor das escolhas veio no terceiro round, Carl Davis chega para, com o passar do tempo, substituir Haloti Ngata. Formará um belo trio ao lado de Brandon Williams e Timmy Jernigan. Apesar de alguns questionamentos sobre o seu potencial, foi muito bem no último Senior Bowl. Mesmo com a carência na posição de cornerback, Tray Walker não tinha talento para ser selecionado tão cedo. Tirando essa, todas as outras decisões da equipe foram muito boas.

  Cincinnati Bengals

Campanha em 2014: 10-5-1 (caiu no Wild Card Round)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 21 – Cedric Ogbuehi, OT, Texas A&M; 53 – Jake Fisher, OT, Oregon; 85 – Tyler Kroft, TE, Rutgers; 99 – Paul Dawson, LB, TCU; 120 – Josh Shaw, CB/S, USC; 135 – Marcus Hardison, DE/DT, Arizona State; 157 – C.J. Uzomah, TE, Auburn; 197 – Derron Smith, S, Fresno State; 238 – Mario Alford, WR/KR, West Virginia

Time do ‘quase’, os Bengals não fizeram muita coisa no Draft para aprimorar algumas sérias carências dos últimos anos. O time nunca chegará ao Super Bowl sem melhorar consideravelmente a pressão ao QB adversário. Mais uma vez a equipe ignorou isso, apenas um jogador do setor foi escolhido, atleta longe de fazer alguma diferença. Outro motivo para a mediocridade dos Bengals nas últimas temporadas foi a falta de opções para Andy Dalton lançar, especialmente quando AJ Green não atua ou é bem marcado. O TE Tyler Kroft pode até contribuir, mas a equipe precisava mesmo é de um WR para atuar do lado oposto ao camisa 18.

Pelo menos Cincinnati reforçou a linha ofensiva, a franquia sofreu demais com lesões e falta de opções no decorrer do ano passado. Escolher dois OTs nas primeiras duas rodadas é um claro sinal que Andrew Whitworth e Andre Smith não devem continuar como titulares em 2016. Resta saber se Cedric Ogbuehi e Jake Fisher, especialmente o primeiro, possuem talento para assumir o posto dos veteranos à altura. Destaque também para a seleção de Jonh Shaw, DB que caiu no Draft por problemas disciplinares fora do campo. Longe de problemas, o jovem deve ter um futuro promissor, vale a pena a aposta.

  Cleveland Browns

Campanha em 2014: 7-9
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 12 – Danny Shelton, NT, Washington; 19 – Cameron Erving, C/G/OT, Florida State; 51 – Nate Orchard, DE/OLB, Utah; 77 – Duke Johnson, RB, Miami; 96 – Xavier Cooper, DE/DT, Washington State; 115 – Ibraheim Campbell, S, Northwestern; 123 – Vince Mayle, WR, Washington State; 189 – Charles Gaines, CB, Louisville; 195 – Malcolm Johnson, TE, Mississippi State; 198 – Randall Telfer, TE, USC; 219 – Hayes Pullard, ILB, USC; 241 – Ifo Ekpre-Olomu, CB, Oregon

Não que os Browns tiveram um Draft ruim, mas podiam ter feito coisa muito melhor com 12 escolhas na mesa. A primeira delas foi boa, um jogador de potencial (com algumas restrições) que já chega para reforçar a fraca defesa contra o jogo corrido ano passado. Faz todo sentido quando se enfrenta Le’Veon Bell, Justin Forsett e Jeremy Hill duas vezes por ano. O segundo pick da primeira rodada (19) causou estranheza, pela presença de Alex Mack na posição de center. Pode ser que o time já planeje não contar com o atleta em 2016, vale esperar para ver.

Buscaram elenco na posição de RB, Duke Johnson é um bom prospecto que deverá brigar por algumas carregadas durante o ano. reforçaram a secundária com nomes decentes, principalmente Charles Gaines e Ibraheim Campbell. Ifo Ekpre-Olomu foi uma boa aposta na sétima rodada, apesar de problemas sérios no joelho é um bom atleta. Draft recheado de prospectos regulares para bons, mas nenhum ‘play-maker’ que faça a diferença.

  Pittsburgh Steelers

Campanha em 2014: 11-5 (caiu no duelo de Wild Card)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 22 – Alvin Dupree, DE/OLB, Kentucky; 56 – Senquez Golson, CB, Ole Miss; 87 – Sammie Coates, WR, Auburn; 121 – Doran Grant, CB, Ohio State; 160 – Jesse James, TE, Penn State; 199 – Leterrius Walton, DE/DT, Central Michigan; 212 – Anthony Chickillo, DE, Miami; 239 – Gerod Holliman, S, Louisville

Tirando um ou dois nomes, um excelente Draft dos Steelers. Como foi adiantado por nós na semana do evento, a prioridade de Pittsburgh devia ser a defesa, foi exatamente o que a equipe fez (seis dois oito atletas atuam no setor). A primeira escolha foi realmente muito boa, “Bud” Dupree, até com uma pitada de sorte, caiu no colo dos Steelers. Apesar de algumas pequenas restrições, o jogador é um ótimo prospecto que chega em uma posição carente da equipe (James Harrison entra na temporada com 37 anos).  Já a segunda delas dividiu opiniões. Em teoria, Senquez Golson chega para ser titular, mas sua altura e atleticismo não se encaixam tanto na filosofia da equipe. Outros jogadores de mais talento estavam na mesa na posição 56.

Os dois atletas de ataque que chegaram são novos alvos para Ben Roethlisberger, que teve um 2014 espetacular. Apesar dos problemas com drops, Sammie Coates tem potencial para ser uma válvula de escape para Big Ben em algumas jogadas. Essa também será a função de Jesse James, TE que pode assumir o posto de titular com o passar dos anos.  Boas decisões nas últimas escolhas preenchendo posições carentes, principalmente a linha defensiva.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários