Análises do Draft 2015: NFC East

nfc east

O Draft 2015 já é coisa do passado, foi dada a largada para a próxima temporada! Ao longo dos próximos dias, a equipe do Endzone Brasil vai analisar as escolhas feitas por todas as equipes da NFL, separadas por divisão. Hoje é dia de falar da NFC East:

Dallas Cowboys

Campanha em 2014: 12-4 (venceu a NFC East e caiu no Divional Round)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 27 – Byron Jones, CB, Connecticut; 60 – Randy Gregory, DE/OLB, Nebraska; 91 – Chaz Green, OT, Florida; 127 – Damien Wilson, ILB, Minnesota; 163 – Ryan Russell, DE, Purdue; 236 – Mark Nzeocha, LB, Wyoming; 243 – Laurence Gibson, OT, Virginia; 246 – Geoff Swaim, TE, Eastern Michigan

Dallas vem melhorando nos últimos Drafts, deixando de lado algumas apostas malucas e focando mais nas necessidades da equipe. Certamente o time preencheu algumas lacunas importantes nos últimos dias. A primeira escolha foi acertada, Dallas realmente precisa de ajuda na posição de cornerback. Alguns consideraram um “reach”, mas o desempenho de Jones no Combine o credenciou a escolha 27. Ele é um baita atleta, resta saber se é aquele playmaker que os Cowboys tanto procuram.

A movimentação mais polêmica foi a escolha de Randy Gregory na segunda rodada. Um jogador com talento de top 20, mas com muitas questões fora de campo. Não sei se Dez Bryant e Greg Hardy são boas influências para o jovem… A pior escolha foi a terceira, por dois motivos: Chaz Green não tem talento para sair na terceira rodada, além de alguns bons nomes na posição de RB ainda estarem disponíveis na posição 91. Não consigo entender o fato do time não ter selecionado nenhum RB, após perder DeMarco Murray no Free Agency.

New York Giants

Campanha em 2014: 6-10
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 9 – Ereck Flowers, OT, Miami; 33 – Landon Collins, S, Alabama; 74 – Owa Odighizuwa, DE, UCLA; 144 – Mykkele Thompson, S, Texas; 186 – Geremy Davis, WR, Connecticut; 226 – Bobby Hart, OT, Florida State

Um bom Draft dos Giants. Não foi excelente, principalmente no final, mas certamente melhor do que muitos times por aí. Ereck Flowers não era a escolha dos sonhos do torcedor, mas foi uma opção quando os melhores prospectos já estavam fora de alcance. Flowers tem um grave problema no bloqueio, não deve assumir a posição de RT logo de cara. A escolha de Collins no segundo round foi um considerável “steal”, haja vista o jogador estar cotado para a primeira rodada. Apesar de alguns problemas na cobertura, preenche uma posição carente do time.

A melhor escolha da equipe foi a terceira, Odighizuwa em alguns anos será um dos ótimos jogadores dos Giants. O atleta chegou a ser cotado para a primeira rodada, certamente foi um “steal”. O que ninguém entendeu, nem mesmo o próprio jogador, foi a seleção do safety Mykkele Thompson na quinta rodada. Ele mesmo admitiu que não esperava ser escolhido no Draft. Não sei se os Giants perceberam nele algo que ninguém mais viu.

Philadelphia Eagles

Campanha em 2014: 10-6 (não foi aos playoffs)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 20 – Nelson Agholor, WR, USC; 47 – Eric Rowe, CB/S, Utah; 84 – Jordan Hicks, LB, Texas; 191 – JaCorey Shepherd, CB, Kansas; 196 – Randall Evans, CB, Kansas State; 237 – Brian Mihalik, DL, Boston College

Apesar de ter falhado na tão sonhada troca para poder contar com Marcus Mariota, o time não sacrificou as escolhas dos próximos anos e ainda fez um trabalho decente. Dos seis escolhidos, os dois primeiros devem ser titulares logo de cara. A chegada de Agholor foi a melhor escolha da equipe, um wide receiver dinâmico, talentoso e que encaixa perfeitamente no maluco esquema do técnico Chip Kelly. Apesar de atuar como cornerback e safety, Rowe deve ficar no fundo da secundária. Atlético e se encaixa no esquema defensivo da equipe.

A terceira escolha fez o torcedor do time coçar a cabeça. Com tantos problemas na secundária, selecionar um LB, sendo que é uma das posições mais recheadas da equipe? Pode ser um sinal que os dias de Mychal Kendricks em Philly chegaram ao fim.  A seleção do cornerback JaCorey Shepherd também chamou atenção, pois o jogador não se encaixa nos padrões atléticos que o treinador do time tanto aprecia. Apesar dos pesares, todo o reforço para a secundária do time é bem-vindo.

Washington Redskins

Campanha em 2014: 4-12
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 5 – Brandon Scherff, G/OT, Iowa; 38 – Preston Smith, DE/OLB, Mississippi State; 95 – Matt Jones, RB, Florida; 105 – Jamison Crowder, WR, Duke; 112 – Arie Kouandjio, G, Alabama; 141 – Martrell Spaight, LB, Arkansas; 181 – Kyshoen Jarrett, S, Virginia Tech; 182 – Tevin Mitchel, CB, Arkansas; 187 – Evan Spencer, WR, Ohio State; 222 – Austin Reiter, C, South Florida

Apesar de alguns bons nomes escolhidos, muito estranho o Draft dos Redskins. Incompreensível um time com sérios problemas na secundária reforçar o setor somente na sétima escolha, ainda com um jogador pra lá de mediano (S Kyshoen Jarrett). Pelo menos outro ponto fraquíssimo da equipe, a linha ofensiva, recebeu alguns bons reforços. O time passou outros bons talentos para melhorar a OL, buscou Scherff com a quinta escolha geral. Se ele for deslocado para RT, com qualidade, foi uma boa escolha. O guard Kouandjio foi um “steal”, deve chegar para já ser titular.

Outro bom jogador escolhido foi o DE/OLB Preston Smith, no começo do segundo round. Outra posição carente do time, deve chegar para brigar pela titularidade com Trent Murphy. A pior decisão da equipe se deu na terceira rodada, com o RB Matt Jones. Em uma classe com tantos bons nomes na posição de running back, por que buscar um contestado e com sérios problemas para ficar saudável? Não seria muito melhor ter buscado um safety decente?

Comentários