Análises do Draft 2015: NFC West

nfc west

O Draft 2015 já é coisa do passado, foi dada a largada para a próxima temporada! Ao longo dos próximos dias, a equipe do Endzone Brasil vai analisar as escolhas feitas por todas as equipes da NFL, separadas por divisão. Hoje é dia de falar da NFC West:

Arizona Cardinals

Campanha em 2014: 11-5 (caiu no duelo de Wild Card)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 24 – D.J. Humphries, OT, Florida; 58 – Markus Golden, DE/OLB, Missouri; 86 – David Johnson, RB, Northern Iowa; 116 – Rodney Gunter, DE/DT, Delaware State; 158 – Shaquille Riddick, DE/OLB, West Virginia;159 – J.J. Nelson, WR, UAB; 256 – Gerald Christian, TE, Louisville

Apesar de não ter reforçado a secundária e o miolo da linha de linebackers, foi um bom Draft dos Cardinals. A melhor das escolhas foi a primeira: preencheu uma das carências do time e buscou o melhor talento ainda na mesa. DJ Humpries certamente será um right tackle consistente daqui a algum tempo. Bom trabalho também na segunda rodada, Markus Golden  se encaixa na mentalidade dessa defesa e chega em uma posição necessitada do time.

Como já esperado, o time trouxe um RB para fazer parceria com Andre Ellington, possivelmente assumir o posto de titular daqui a algum tempo. David Johnson tem tudo para se dar bem na NFL, um dos bons valores da posição disponíveis.  O time só não fez um trabalho excelente na escolha de quarta rodada. Ninguém entendeu o porquê dos Cards subirem para buscar Shaquille Riddick, um jogador que não constava entre os prospectos possivelmente escolhidos. Ao invés disso, podiam ter trazido um CB para substituir Antonio Cromartie.

St. Louis Rams

Campanha em 2014: 6-10
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 10 – Todd Gurley, RB, Georgia; 57 – Rob Havenstein, OT, Wisconsin; 72 – Jamon Brown, OT, Louisville; 89 – Sean Mannion, QB, Oregon State; 119 – Andrew Donnal, OT, Iowa; 201 – Bud Sasser, WR, Missouri; 215 – Cody Wichmann, G, Fresno State; 224 – Bryce Hager, ILB, Baylor; 227 – Martin Ifedi, DE, Memphis

Ponto positivo para os Rams por focarem em linha ofensiva, de longe o setor mais carente do time. Sam Bradford não conseguia ficar saudável, muito por ser mal protegido, resta saber se a equipe conseguirá manter seu substituto em pé no gramado. Nick Foles não é nada móvel dentro do pocket, precisará de toda a ajuda que puder. O ponto de interrogação fica por conta das escolhas feitas  nos quatro jogadores de linha ofensiva, alguns visivelmente questionáveis.

Rob Havenstein não poderia ter saído na segunda rodada, foi totalmente dominado por vários pass-rushers no último Senior Bowl. Jamon Brown não é nada melhor que o OT de Wisconsin. Alguns criticaram a seleção do QB Sean Mannion no número 89, entretanto, ele claramente chega para ser backup de Foles. A melhor das escolhas disparado foi a do RB Todd Gurley, possivelmente o melhor talento na posição de RB desde Adrian Peterson. Quando saudável, deve tirar muita da pressão dos ombros do novo quarterback da equipe.

San Francisco 49ers

Campanha em 2014: 8-8
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 17 – Arik Armstead, DE/DT, Oregon; 46 – Jaquiski Tartt, S, Samford; 79 – Eli Harold, DE/OLB, Virginia; 117 – Blake Bell, TE, Oklahoma; 126 – Mike Davis, RB, South Carolina; 132 – DeAndre Smelter, WR, Georgia Tech; 165 – Bradley Pinion, P, Clemson; 190 – Ian Silberman, G, Boston College; 244 – Trenton Brown, OT, Florida; 254 – Rory Anderson, TE, South Carolina

Um Draft bem mediano, para não falar ruim, reflexo da má administração dos Niners nos últimos anos.  Brigas internas, técnico demitido, muitos jogadores de talento deixando a equipe sem reposição à altura. Assim os Niners passaram de candidatos ao Super Bowl em 2013 a um time mediano em 2015. A primeira escolha da equipe foi muito fácil de ser prevista: muitos noticiaram o interesse de San Francisco no jogador, que não saiu antes justamente por não ser um talento de primeira rodada.  Pode ser que Armstead mostre algo mais com o passar do tempo, mas foi uma aposta arriscada e desnecessária.

A segunda escolha também foi sofrível, um jogador sem talento para sair tão cedo. Os Niners podiam muito bem ter reforçado o ataque com esse pick e buscar um safety com a mesma capacidade de Tartt na quarta rodada. A terceira escolha salvou o Draft de San Francisco, Eli Harold certamente foi um ‘steal’, mas a posição de OLB não era uma necessidade imediata da equipe. Um QB que virou tight end parece não ser o substituto de Vernon Davis, Blake Bell não é a solução que a franquia procurava na posição.

Seattle Seahawks

Campanha em 2014: 12-4 (perdeu o Super Bowl 49)
Jogadores escolhidos no Draft 2015: 63 – Frank Clark, DE/OLB, Michigan; 69 – Tyler Lockett, WR, Kansas State; 130 – Terry Poole, OT, San Diego State; 134 – Mark Glowinski, G, West Virginia; 170 – Tye Smith, CB, Towson; 209 – Obum Gwacham, DE/OLB, Oregon State; 214 – Kristjan Sokoli, DE, Buffalo; 248 – Ryan Murphy, S, Oregon State

Um trabalho decente dos Seahawks, especialmente para um time sem a primeira escolha no Draft. Se levar em conta que o top TE Jimmy Graham chegou com a troca, o balanço geral foi extremamente positivo. O primeiro jogador escolhido, na segunda rodada, causou certa polêmica, Frank Clark possui sérios problemas de comportamento. Mas nada que o técnico Pete Carroll não possa contornar, o DE tinha talento para sair no final da primeira rodada.

A seleção de Tyler Lockett foi a melhor delas, mesmo o time pagando um preço alto para subir para a posição 69. Ele preenche duas necessidades do time: um recebedor de slot e retornador de punts. De resto, nada de diferente do que os Seahawks já vinham fazendo nos últimos anos. Escolhas pontuais de jogadores promissores e atléticos, foi assim que Carroll montou a fortíssima defesa.

Comentários