Contagem regressiva Endzone Brasil: #50 Justin Houston

perfil 50 dias houston copy

Um monstro quando o assunto é pressionar quarterbacks. O que Justin Houston fez em 2014 foi absurdo, ficou a 0,5 sack de igualar o recorde de número de sacks em uma única temporada, estabelecido por Michael Strahan em 2001. Com uma mobilidade fora do comum pelo tamanho que possui, ganha a maioria dos confrontos quanto recebe marcação individual. Atuando em um esquema que proporciona a ele por muitas vezes encarar os adversários com marcação simples, Houston se torna mortal.  Recentemente ser tornou o linebacker mais bem pago da história da liga, segundo maior salário de um jogador de defesa.

Talento que se mostrou latente nos tempos de colegial, o jogador foi um dos líderes do time de futebol americano da Statesboro High School, Georgia. Atuando pela escola, Houston disputou a final estadual em 2003, 2004 e 2005, ano em que foi campeão. Desempenho que chamou atenção da universidade de seu estado natal, foi recrutado para defender os Bulldogs em 2007.

Houston com a 42 de Georgia

Houston com a 42 de Georgia

Como atleta, atuou de 2008 a 2010 da Universidade da Georgia. Pouco foi aproveitado no primeiro ano, começou apenas uma das 13 partidas como titular. Aos poucos foi ganhando espaço, foi peça importante do time nas duas próximas temporadas. Foi bem em 2009, mas foi em 2010 que mostrou todo seu potencial: 10 sacks, 67 tackles, um fumble forçado, uma interceptação e dois passes defendidos.

Desempenho que o credenciava a ser escolhido no final da primeira rodada do Draft de 2011. Isso até ser divulgado que o jogador havia testado positivo para maconha, em um exame antidoping realizado no Combine daquele ano. Houston despencou para a terceira rodada do evento, foi escolhido pelo Kansas City Chiefs com a escolha 70.

Em poucas apresentações, o torcedor dos Chiefs pôde perceber que a aposta feita pelo time foi mais do que certa. Apesar da pouca experiência na liga, computou 56 tackles e 5,5 sacks em 11 partidas como titular na sua primeira temporada. Venceu dos Chiefs o prêmio Mack Lee Hill, de melhor calouro da temporada. Titular absoluto em 2012 (10 sacks e 66 tackles), consolidou a prolífica parceria com Tamba Hali, que dura até os tempos atuais. Foi para o primeiro dos três Pro Bowls da carreira.

Sack em Philip Rivers

Sack do camisa 50 em Philip Rivers

O camisa 50 começou a temporada 2013 voando, eleito o melhor jogador de defesa da AFC do mês de setembro, mas teve seu desempenho brecado por algumas lesões. Mesmo desfalcando o time em cinco jogos, ele voltou a computar 10 sacks, ajudou a levar os Chiefs aos playoffs daquele ano. Recuperou um fumble, desviou um passe, teve um sack e quatro tackles no duelo de Wild Card contra o Indianapolis Colts, mesmo assim não foi capaz de evitar a fantastica virada de Andrew Luck e companhia. Kansas City vencia por 38 a 10 no terceiro período, mas perdeu a partida por 45 a 44.

Teve a melhor temporada da carreira no ano passado. Saudável, foi o terror dos quarterbacks adversários, computou 22 dos 45 sacks do Kansas City Chiefs em 2014. Apesar do time  não ter conseguido a sonhada vaga na pós-temporada, terminou o ano com uma campanha positiva de 9-7. Houston foi o principal destaque da equipe, que em alguns momentos sofreu na parte ofensiva.

Desempenho que rendeu ao camisa 50 um contrato gigantesco, o maior de um linebacker na história da liga: seis anos e 101 milhões de dólares, 52,5 deles garantidos. No auge da forma aos 26 anos e com mais seis anos de contrato com os Chiefs, o camisa 50 tem tudo para escrever seu nome definitivamente na história da NFL.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários