Análise da temporada: como será o 2015 do Minnesota Vikings

Há alguns anos, seria desastroso para o Minnesota Vikings perder o running back Adrian Peterson por toda a temporada, visto que o sistema ofensivo passava totalmente pelos ombros dele. Foi o que aconteceu em 2014, mesmo assim os Vikes fecharam a temporada com sete vitórias e nove derrotas. Qual a principal diferença? No ano passado o time contou com um bom quarterback.

AP voltou aos trabalhos com os companheiros

AP voltou aos trabalhos com os companheiros e vai reforçar o time em 2015

SAIBA MAIS
> Compre ingressos para os jogos do Minnesota Vikings
> Veja a tabela completa da temporada regular 2015
O nível de dificuldade da tabela das equipes em 2015

O calouro Teddy Bridgewater excedeu as expectativas em sua temporada de calouro. Se adaptou muito bem ao esquema do coordenador ofensivo Norv turner e, fazendo o simples, foi o ponto de referência desse ataque. Mais experiente, deve ter um 2015 ainda melhor, terá nada menos que Adrian Peterson no backfield para aliviar a pressão nos momentos complicados. Sim, Peterson ainda é um dos melhores, se não o melhor, RB em atividade. Na última vez que duvidaram dele, quando rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho, ele voltou correndo bizarras 2097 jardas em 2012. Mesmo entrando na casa dos 30 anos, tem muita gasolina no tanque.

Apesar do bom desempenho, Bridgewater sofreu em alguns momentos com falta de opções para lançamento, a perspectiva é que isso mude em 2015. Principalmente com a chegada de Mike Wallace, WR que teve ótimos momentos nos Steelers, mas que não se adaptou ao protagonismo no Miami Dolphins. Sem tanta pressão nos ombros, deve ser uma grande arma nos passes mais profundos. Fará dupla com o promissor Charles Johnson, com o até então decepcionante Cordarrelle Patterson correndo por fora. Outra opção de lançamento para o camisa 5 é Kyle Rudolph, que, saudável, é um dos TEs mais completos da liga. A incógnita fica por conta da linha ofensiva, que cedeu 51 sacks em 2014. Um desastre no ano passado, com problemas no joelho, o LT Matt Kalil precisa mostrar a que veio na NFL. A posição mais carente, de LG, terá Brandon Fusco, deslocado do lado direito.

Teddy Bridgewater

Bridgewater deve amadurecer mais em 2015

Para alegria dos torcedores de Minnesota, a defesa segue praticamente a mesma de 2014, um grupo jovem e muito talentoso, com potencial para estar entre os cinco melhores em 2015. Belíssimo trabalho de Mike Zimmer e da direção da franquia nos últimos Drafts. A única peça titular que deixou o elenco foi o LB Jasper Brinkley, o time tratou de buscar para o seu lugar o calouro Eric Kendricks, com a segunda escolha de 2015. Aos poucos o jovem ganhará o posto de titular, ao lado do veterano Chad Greenway e o excelente Anthony Barr.

Belo trio de linebackers para auxiliar uma linha defensiva em ascensão. Everson Griffen foi um terror do lado esquerdo, com 12 sacks, compensou as atuações medianas do titular do lado direito, Brian Robinson. Pelo meio, uma dupla de respeito: Linval Joseph e Shariff Floyd. O último deles foi um monstro contra a corrida, deve crescer ainda mais no terceiro ano na liga. A secundária foi sólida em 2014, tem tudo para manter o bom trabalho, liderada por Harrison Smith, um dos melhores safeties na NFL atualmente. Provavelmente terá ao seu lado Robert Blanton, que não é brilhante, mas também não compromete. Pelos lados, Xavier Rhodes vem mostrando muito potencial, será titular absoluto. Seu companheiro no lado oposto ano passado foi Captain Munnerlyn, que deve perder espaço para Trae Waynes, primeira escolha do time no último Draft, e o veterano Terence Newman.

Quem chegou

RB DuJuan Harris, WR Mike Wallace, ILB Casey Matthews, CB Terence Newman, S Taylor Mays.

Quem saiu

QB Matt Cassel, QB Christian Ponder, FB Jerome Felton, WR Greg Jennings, G Charlie Johnson, G Vladimir Ducasse, DE Corey Wootton, ILB Jasper Brinkley.

Vai até onde?

O Minnesota Vikings será um dos times a serem observados de perto em 2015, com um potencial enorme para chegar longe. A defesa mais experiente deve contribuir muito no processo, auxiliando o ataque a se entrosar com o passar do tempo. Green Bay Packers é o time a ser batido na NFC North, o que mais tem capacidade para incomodar os cabeças de queijo são os Vikings. Se não vencer a divisão, Minnesota deve brigar por uma das vagas de Wild Card.

vikings

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários