Análise da temporada: como será o 2015 do New Orleans Saints

Antes da temporada 2014 começar, a expectativa para o que o New Orleans Saints poderia fazer era muito grande. Com o passar dos meses, a animação foi dando lugar a preocupação, o time foi uma das maiores decepções do ano passado. Não conseguiu nem vencer a NFC South, divisão com um dos piores desempenhos da história. Inconformado com o desempenho de sua equipe, o técnico Sean Payton percebeu que algumas coisas que funcionaram no passado não estavam mais dando o resultado esperado. Realizou várias mudanças, algumas drásticas, para colocar os Saints de volta ao caminho das vitórias.

Aos 36 anos, Drew Brees vai liderar o ataque dos Saints

Aos 36 anos, Drew Brees vai liderar o ataque dos Saints

SAIBA MAIS
> Compre ingressos para os jogos do New Orleans Saints
> Veja a tabela completa da temporada regular 2015
O nível de dificuldade da tabela das equipes em 2015

A principal delas passa pela dinâmica de jogo, mais precisamente utilização do quarterback Drew Brees. Apesar de ainda ser um dos melhores da NFL atual, os 36 anos estão pesando um pouco. A ideia do treinador é de preservar Brees ao máximo, protegê-lo melhor e sustentar um jogo corrido decente para ajudá-lo. O camisa 9 lançou incríveis 659 passes ano passado, maior número da carreira, Payton entendeu que não deve mais contar somente com o talento incontestável de Brees para vencer jogos. Exatamente por isso que reforços de peso, literalmente, chegaram para a linha ofensiva. Além de utilizar a primeira escolha do último Draft com Andrus Peat, que pode jogar tanto de guard como de tackle, o time trouxe dos Seahawks o center Max Unger, um dos melhores da liga.

Unger chegou em troca do TE Jimmy Graham, uma das movimentações mais surpreendentes da última intertemporada. Além de aliviar a folha salarial, Payton quer distribuir melhor a bola entre as opções do elenco, ao invés de depender de apenas um alvo confiável. Tirando Graham e o inconsistente Kenny Stills, que foi para os Dolphins, o corpo de  recebedores permanece o mesmo. Destaque para Brandin Cooks, deve assumir o protagonismo nesse ataque. Outra ótima opção de lançamento deverá ser o RB C.J. Spiller, chega em teoria para fazer o papel desempenhado por Darren Sproles em 2013, válvula de escape que fez muita falta ano passado. Spiller deve também carregar o piano ao lado de Mark Ingram, de contrato renovado, além de Khiry Robinson.

A feroz defesa de Rob Ryan em 2013 (4º melhor em jardas cedidas) deu lugar a um letárgico grupo no ano passado (31º em jardas cedidas). Quando se tem uma baixa dessa tamanho, mudanças precisam acontecer. E aconteceram. Somando o Draft e os free agents, foram ao todo 11 reforços no setor. Segundo o último ‘depth chart’ divulgado pela franquia, o time passará a atuar no esquema 4-3, provavelmente será um híbrido dos dois esquemas. John Jenkins passará de NT para defensive tackle, fará o interior da linha com o recém-chegado Kevin Williams, ex-Seahawks. Cameron Jordan será o DE pelo lado direito, com Akeem Hicks na outra ponta.

Da linha de linebackers titular ano passado, apenas David Hawthorne deve ser titular logo de cara este ano, bem no meio do trio, pode perder a posição para bom calouro Anthony Stephone. Outro novato deve começar pelo strongside, Hau’oli Kikaha, escolha de segunda rodada. Em teoria, o questionável Dannell Ellerbe, ex-Dolphins, assume o weakside. A secundária tem tudo para ser o ponto mais forte da defesa, se conseguir ficar saudável. Brandon Browner, atual campeão com os Patriots, chega para fazer uma ótima dupla com Keenan Lewis. No fundo, Jarius Byrd precisa provar a que veio. Chegou com muito alvoroço, mas se lesionou cedo, atuou em apenas quatro jogos. Kenny Vaccaro fará parceria com o veterano.

Quem chegou

RB C.J. Spiller, RB Travaris Cadet, G Mike McGlynn, C Max Unger, DT Kevin Williams, DE/OLB Anthony Spencer, ILB Dannell Ellerbe, CB Brandon Browner, CB Kyle Wilson.

 

Quem saiu

RB Pierre Thomas, WR Kenny Stills, TE Jimmy Graham, G Ben Grubbs, C Jonathan Goodwin, DT Tyrunn Walker, ILB Curtis Lofton, CB Patrick Robinson, CB Corey White, K Shayne Graham.

 

Vai até onde?

Apesar da saída de Jimmy Graham, o New Orleans Saints ainda é candidato a vencer a NFC South. A briga será boa, bastante equilíbrio entre as equipes. Se a defesa voltar ao nível de 2013 e Brees conseguir ter mais tempo para espalhar a bola aos recebedores, os Saints ostentam um pequeno favoritismo. O time tem boas chances de voltar aos playoffs em 2015.

pojetu PRÉVIA 2015 saints

Comentários