Análise da temporada: como será o 2015 do Arizona Cardinals

Sem exageros, se pode dividir a temporada 2014 do Arizona Cardinals em duas partes: com e sem o Carson Palmer. Com o QB em campo, o time realmente era forte candidato aos playoffs, talvez do Super Bowl, computou oito vitórias em nove partidas. Depois que Palmer rompeu o ligamento do joelho, o que se viu foi uma equipe completamente diferente. Perdeu quatro dos últimos sete jogos, utilizando três quarterbacks diferentes como titular. Com um ataque totalmente ineficaz, a boa defesa teve que ficar muito mais em campo, se desgastando muito fisicamente. O time foi presa fácil para os Panthers nos playoffs. Para 2015, o time procurou suprir essa ‘Palmerdependência’?

Técnico Bruce Arians espera poder contar com Carson Palmer em 2015

Técnico Bruce Arians espera poder contar com Carson Palmer em 2015

SAIBA MAIS
> Compre ingressos para os jogos do Arizona Cardinals
> Veja a tabela completa da temporada regular 2015
O nível de dificuldade da tabela das equipes em 2015

Não, nenhum reforço chegou para a posição. O time confia que Drew Stanton, reserva imediato de Palmer, pode assumir o posto em caso de nova lesão do titular. Stanton não decepcionou enquanto esteve em campo no ano passado, mas também se lesionou, deixando Arizona literalmente perdido na função. Manter seus quarterbacks saudáveis é mais do que essencial para a equipe, tanto que a primeira escolha no último Draft foi para reforçar a linha ofensiva. O calouro DJ Humphries deve, aos poucos, tomar o posto de titular do RT Bobby Massie, responsável pela lesão de Palmer no ano passado. Além dele, os Cards foram buscar do 49ers o guard Mike Iupati, um dos melhores da liga na posição.

Os novos reforços devem abrir mais espaços para os running backs, o time foi o segundo pior em jardas terrestres ano passado. Com sérios problemas para ficar saudável, Andre Ellington será titular em mais uma temporada, ele perdeu quatro jogos em 2014 por lesão. Pensando nisso que o time trouxe dois bons nomes para ajudá-lo a carregar o piano: o veteraníssimo Chris Johnson, sim, o ‘CJ2K’, e o calouro de terceira rodada David Johnson. Com relação aos alvos para lançar, Palmer não pode reclamar, Larry Fitgerald, Michael Floyd e John Brown fazem um belo trio de wide receivers. Para a posição de TE, a franquia trouxe o veterano Jermaine Gresham, mas o jogador briga atualmente com uma lesão na coxa. Além do também machucado Troy Nikla, o time conta com Darren Fells e o ex-WR e agora tight end Ifeanyi Momah.

A boa defesa do ano passado perdeu vários nomes dentro de campo e um fora dele, o então coordenador Todd Bowles deixou a equipe para assumir o posto de técnico principal do New York Jets. Até então treinador de linebackers, James Bettcher assume o posto para montar um híbrido de esquemas 3-4 e 4-3. O interior da linha foi o mais afetado, com as saídas de Darnell Dockett e Dan Williams. O time trouxe Corey Peters dos Falcons para ser o NT, mas o veterano rompeu o tendão de Aquiles e está fora da temporada. Alameda Ta’amu e o calouro Rodney Gunter podem brigar pela vaga. Dos lados, Calais Campbell e Frostee Tucker serão os defensive ends.

Para a posição mais carente da defesa ano passado, de inside linebacker, Arizona trouxe o também ex-Falcons Sean Weatherspoon, jogador que sempre briga para ficar saudável. Ao lado dele, o promissor Kevin Minter. Dos lados, LaMarr Woodley e Alex Okafor colocarão pressão no QB adversário. A base da boa secundária permanece para 2015, apenas o CB Antonio Cromartie foi para o New York Jets. Para o seu lugar, Jerraud Powers deve assumir o posto ao lado do espetacular Patrick Peterson.

QUEM CHEGOU

G Mike Iupati, C A.Q. Shipley, RB Chris Johnson, TE Germaine Gresham, DE/DT Cory Redding, DE/DT Corey Peters, DE/OLB LaMarr Woodley, ILB Sean Weatherspoon.

 

QUEM SAIU

TE Rob Housler, G Paul Fanaika, C Lyle Sendlein, DE/DT Darnell Dockett, DE/DT Tommy Kelly, NT Dan Williams, DE/OLB Sam Acho, DE/OLB John Abraham, CB Antonio Cromartie, KR Ted Ginn.

 

Vai até onde?

Saudável, Carson Palmer já mostrou que pode tornar o Arizona Cardinals um time de playoffs, resta saber como a modificada defesa contribuirá nessa equação. Apesar de brigar na fortíssima NFC West, o time tem boas chances de brigar pelo título da divisão e por um lugar na pós-temporada.

pojetu PRÉVIA 2015 CARDINALS

Comentários