Contagem regressiva 2016: Biografia do camisa #28 – Adrian Peterson

28 DIAS ADRIAN PETERSON

Pouquíssimos atletas ainda com a carreira em curso podem ser apontados como futuro membro do Hall da Fama. Bem, Adrian Peterson é um deles. Mesmo sem disputar um Super Bowl em toda carreira, ele é um dos running backs mais talentosos que já pisou nos gramados da NFL. O que ele fez em 2012 foi absurdo, correr 2097 jardas meses depois de se recuperar de um rompimento no ligamento cruzado do joelho não é para qualquer um. Após um 2014 conturbado, com problemas na justiça, AP voltou tom tudo em 2015 e tem tudo para crescer ainda mais com o bom time dos Vikings em 2016.

"All Day" defendendo os Sooners

“All Day” defendendo os Sooners

Filho de esportistas, o atleticismo já estava no DNA dele desde pequeno. Peterson disputava provas de corrida no colegial, o técnico da época disse que o garoto tinha potencial para ser um atleta de velocidade olímpico. Torcedor fanático do Dallas Cowboys, o jovem Adrian queria mesmo fazer história no futebol americano. Tanto que ele recusou propostas das universidades do seu estado para atuar em Oklahoma, onde teria projeção nacional.

O jovem de Palestine foi sucesso absoluto já no ano de calouro. Bateu o recorde de jardas terrestres da NCAA com impressionantes 1,915 e ficou em segundo na votação para o Heisman Trophy, prêmio dado ao melhor jogador universitário do ano. Contusões atrapalharam um pouco os próximos dois anos de Peterson nos Sooners, em 2005 quebrou o pé e em 2006 a clavícula. Mesmo assim, ele passou das mil jardas nos dois anos.

Muito bem cotado pelos analistas, ele abriu mão do último ano em Oklahoma para ficar elegível no Draft 2007.  O camisa 28 foi selecionado pelo Minnesota Vikings na sétima escolha da primeira rodada e teve um impacto imediato na liga já no ano de calouro. Em 14 jogos, nove como titular, ele correu impressionantes 1,341 jardas. Dono absoluto da posição no ano seguinte ele computou 1,760 jardas e liderou o time aos playoffs.

Em 2009, o camisa 28 ficou a uma partida de realizar seu maior sonho: disputar um Super Bowl. Em parceria com o experiente Brett Favre, Peterson levou o time a final da NFC, mas caiu diante do New Orleans Saints com um field goal na prorrogação.

Grave lesão de 2011

Grave lesão de 2011

AP teve o primeiro ano da carreira sem chegar a mil jardas em 2011, ele estava com 970 quando sofreu a lesão mais grave da carreira. Peterson rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho no dia 24 de dezembro daquele ano. Até de forma surpreendente, ele estava em campo no primeiro jogo dos Vikings em 2012, muitos duvidaram se ele estava realmente recuperado. Estava. “All Day”, como é conhecido, teve o melhor ano da carreira e ficou a 9 jardas de bater o recorde de mais jardas corridas em uma temporada. Levou um time bem mediano nas costas até os playoffs e venceu o prêmio de MVP com muita justiça.

O jogador até foi bem em 2013, mas nada de espetacular como no ano anterior. Alguns problemas pessoais atrapalharam o camisa 28 ao longo da temporada. Sem contar que o time dos Vikings também não ajudava. Os problemas extracampo continuaram no ano seguinte, de forma mais intensa, a ponto de ser suspenso pela NFL por praticamente toda a temporada 2014. O camisa 28 foi acusado de atos de disciplina abusiva contra seu filho de quatro anos, supostamente agrediu o garoto com um pedaço de madeira seguidas vezes.

Após ficar suspenso por pouco mais de um ano, “All Day” retornou aos trabalhos no Minnesota Vikings e teve um consistente ano de 2015. Apesar de ter entrado na temida casa dos 30 anos, Adrian Peterson mostrou que ainda tem muita gasolina no tanque. O camisa 28 segue como peça importantíssima no time de Minnesota, que entra forte na temporada 2016. Será um dos líderes dessa equipe jovem e promissora na busca do tão sonhado Super Bowl.

Comentários