Prévia da temporada 2016: Como será o ano do Chicago Bears

POJETU PREVIAS bears

A reconstrução da franquia passa pela remodelada defesa de John Fox

O Chicago Bears é a prova de que reestruturação na NFL pode ser longa e árdua. O time iniciou um processo de reconstrução em 2015, mas o recém-chegado John Fox conseguiu apenas 6 vitórias – última posição de sua divisão. Justiça seja feita, o treinador encontrou uma defesa terrível quando desembarcou em Chicago: a segunda pior da NFL em jardas e pontos cedidos em 2013 e 2014. Conhecido por montar boas defesas, Fox ajeitou alguns pontos e os Bears fecharam 2015 como o 14º melhor grupo cedendo jardas. Para 2016, o técnico ex-Denver trouxe bons nomes no período free agency – que inclusive trabalharam com ele nos Broncos – e cinco bons prospectos de defesa no último Draft. A tendência é que esse grupo melhore ainda mais e chegue próximo ao top 10 em 2016. Mas e o ataque?

Como Jay Cutler vai se comportar sem o coordenador Adam Gase?

7527616Após um 2014 cercado de interceptações e muitas críticas, o desempenho do sempre contestado Jay Cutler melhorou demais com a chegada do coordenador Adam Gase: 21 TDs, 11 INTs e 92,3 de rating – mesmo com muitos problemas com os wide receivers. Nada espetacular, mas os melhores números da carreira estatisticamente. Gase deixou a Cidade dos Ventos para ser o técnico principal dos Dolphins – a grande questão para o time em 2016 será como o QB vai reagir sob o comando de Dowell Loggains. Aos 33 anos, Cutler é um quarterback peculiar: ele mostra talento suficiente para ganhar alguns jogos, mas também é inconsistente demais para que os Bears sejam dominantes em sua divisão e na NFC.

Apesar das saídas de Matt Forte e Martellus Bennett (já em leve declínio na carreira) o QB terá duas ótimas opções de lançamento – desde que permaneçam saudáveis: Alshon Jeffery e Kevin White. O veterano já mostrou potencial para ser um dos melhores, se não o melhor, WR na NFL quando saudável, já o jovem White foi a 7º escolha geral no Draft 2015 e sequer entrou em campo com uma fratura na perna. O TE Zach Miller mostrou ótima sintonia com Cutler na segunda metade da temporada. Ele pode ser aquela válvula de escape primorosa após a saída de Forte – que contribuía demais recebendo passes.

Para substituí-lo, Fox aposta no trio Jeremy Langford, Ka’Deem Carey e o calouro Jordan Howard – principalmente na red zone. Langford mostrou alguns flashes que pode ser o RB do futuro para os Bears, mas ainda é uma aposta. A preocupação maior do ataque fica por conta da linha ofensiva – principalmente as pontas. Chicago possui uma das piores – se não a pior – dupla de tackles da NFL: Charles Leno teve um começo de 2015 desastroso e Bobby Massie chega para o lado direito após um ano muito ruim nos Cardinals. Pelo menos Kyle Long poderá voltar para a posição de guard – onde ele é um dos melhores da liga. O calouro Cody Whitehair era um dos bons prospectos de guard do último Draft e deve ter futuro.

Front seven bem reforçado para 2016

Danny-Trevathan-and-Jerrell-Freeman-HeadOs Bears sempre foram referência pela forte e agressiva defesa ao longo dos anos, mas isso desapareceu de um tempo para cá. O time fez um bom trabalho reforçando um front seven carente de talentos – mesmo sem entrar em campo para valer esse grupo já melhor do que o de 2015. Os principais reforços vieram para o meio da linha de linebackers: Danny Trevathan e Jerrell Freeman são dois excelentes jogadores e vão levar a equipe a outro patamar na posição de ILB. Pelos lados as opções também são boas – o time tinha bons nomes veteranos e trouxe com a primeira escolha do Draft o promissor Leonard Floyd. O calouro deve ir entrando aos poucos e ser o puro pass-rusher da equipe daqui a algum tempo. a linha que já contava com o jovem Eddie Goldman fazendo um bom trabalho como NT terá o consistente Akiem Hicks, ex-Patriots, como defensive end.

Um front seven forte pressionando o QB adversário será fundamental para ajudar na parte de trás. A secundária de 2015 foi a pior da história da franquia em interceptações (4) e não recebeu nenhum grande reforço – não é exagero dizer que esse é o pior setor da equipe em talento. Algumas escolhas vieram no final do Draft, mas nada que cause um impacto imediato. O CB Tracy Porter teve um final de ano muito ruim e foi mantido como titular, já Kyle Fuller vive de alguns bons momentos, mas nada próximo a um jogador escolha de primeira rodada. Adrian Amos foi uma escolha de quinta rodada em 2015 e assumiu bem a posição de safety titular ao longo do ano. Harold Jones-Quartey e o calouro Deon Bush devem brigar pela outra vaga no fundo. Sinal de alerta ligado.

Favoritismo em 2016

7A situação do Chicago Bears parece ser melhor do que a do ano passado, mesmo assim o time é um dos maiores azarões nas casas de aposta online. Segundo dados da Odds Shark, a chance do time vencer o Super Bowl é de 73 para um, a quarta menor entre todos os 32 times.  Chicago é o terceiro time com menos chances de vencer a NFC, com 29 para um, e o principal azarão dentro da NFC North: R$31 para cada real investido.

Vai até onde?

Panthers e Broncos quando comandados por John Fox melhoraram o desempenho no segundo ano de trabalho. Ele sabe arrumar defesas. O Chicago Bears melhorou demais seu front seven e certamente fica mais forte com o retorno de Kevin White ao corpo de recebedores. O fiel da balança mais uma vez será o quanto que a inconsistência de Jay Cutler vai impedir os Bears de sonharem mais alto em 2016.

Previsão: 3º da NFC North

Ingressos para a temporada 2016 da NFL

Comentários