Contagem regressiva 2017: Biografia do camisa #17 – Philip Rivers

O oitavo maior  passer rating da história da NFL. Um atleta que acumula um feito deste não poderia ficar de fora da nossa contagem regressiva. Philip Michael Rivers certamente já deixou seu nome marcado na liga. O camisa 17 já é tido como o melhor QB que já passou pelos Chargers, visto que muitos dos recordes da franquia foram estabelecidos por ele.

Rivers nasceu em dezembro de 1981, em Decatur, no Alabama. Lá mesmo começou a dar seus primeiros passos no futebol americano. Em 1994, jogando pela Athens High School, ele começou um jogo como titular pela primeira vez, a partir daí só voltaria a ser reserva em seu início na NFL. Foi no colégio também que Philip começou a usar a camisa 17, herdada de seu pai, ex-jogador de futebol escolar. No ano de 1999, após algumas universidades espetacularem interesse em Rivers, a North Carolina State convenceu o atleta e sua família que era a melhor opção para Philip. Assim, ele se uniu ao NC State Wolfpack Football.

Philip Rivers scrambles with the ballEm 2000, como calouro, Rivers já teve uma temporada de alta relevância. Além de quebrar diversos recordes da ACC, também venceu o Tangerine Bowl. Naquele ano foram 3054 jardas para 25 touchdowns. Rivers atuou por mais três anos por lá: foram mais 2 Bowls conquistados e um perdido, sem contar os quatro títulos de MVPs seguidos. Em sua última temporada, o quarterback foi eleito o atleta do ano pela ACC é chegou a ser cotado para concorrer ao Troféu Heisman – prêmio dado ao melhor jogador universitário.

Durante os quatro anos no College (2000-2003), Rivers disputou 51 jogos seguidos como titular, estabelecendo o recorde da conferência. Além disso, foram 1147 passes completados de 1710 tentados, 95 TDs e 13484 jardas aéreas – quarto na história da Divisão I-A. Em 2004, ele se elegeu ao Draft da NFL.

No período pré Draft, Rivers foi especulado entre as primeiras escolhas. Porém, devido a sua mecânica de arremesso ser diferente das demais, os prospectos o colocavam um pouco abaixo, por volta da décima escolha. Enquanto isso o San Diego Chargers, que buscava um quarterback e tinha a primeira escolha do Draft, buscou contato com Eli Manning, outra promessa daquela seleção. Eli sinalizou que não pretendia fechar acordo com os Chargers, então a franquia de San Diego firmou uma troca junto ao New York Giants que definiu o caminho dos dois atletas. Eli foi selecionado com a primeira escolha, pelos Chargers, mas foi enviado aos Giants mais tarde. Já Rivers foi o quarto, pelos Giants, porém teve San Diego como destino.

24-philip-rivers-fourth-overall-2004_pg_600Em agosto de 2004, foi confirmado o contrato entre as duas partes de 40,5 milhões de dólares por seis anos. Rivers entrou na temporada como o terceiro QB da franquia, atrás de Drew Brees que estava recuperando sua melhor forma e Doug Flutie. Apesar do pouco tempo em campo, conseguiu anotar seu primeiro touchdown na liga, em um passe para Malcom Floyd. No ano seguinte, Rivers seguiu na reserva de Brees. Porém, quando o titular sofreu uma lesão na última partida da temporada – contra os broncos – Philip foi chamado. Seu desempenho não foi dos melhores, mas a lesão foi determinante para que Brees não seguisse nos Chargers no próximo ano, dando assim a titularidade para Philip Rivers.

2006 foi o primeiro ano do camisa 17 como titular. Após as cinco primeiras partidas, a Sports Illustraded colocava o atleta como o melhor quarterback até 25 anos de idade. Em novembro daquele ano, Rivers teve uma atuação memorável em uma improvável virada contra os Bengals. Após estar perdendo por 28 – 7 na ida para o intervalo, os Chargers venceram por 49 – 41. Os números de Rivers: 337 jardas e 3 TDs. A temporada seguiu sendo produtiva e com uma regular de 14 vitórias e 2 derrotas, os Chargers foram aos playoffs, porém, foram derrotados na primeira rodada pelos Patriots. Rivers ainda foi selecionado para o Pro Bowl 2007.

San Diego Chargers v Denver BroncosOutra temporada de destaque foi 2013. Após dois anos de irregularidade e contestação, onde acumulou 35 interceptações, Rivers conseguiu a redenção. Com uma nova equipe técnica ele recuperou sua melhor forma e voltou a apresentar partidas memoráveis. Entre elas está a da semana quatro, contra os Cowboys. Neste jogo, Rivers estabeleceu a marca de 83% de passes completados e 401 jardas, a maior porcentagem de eficiência quando um QB passou das 400 jardas lançadas. Ao final da temporada 2013, Philip foi eleito o NFL Comeback Player of the Year – o jogador que deu a volta por cima na temporada.

Já são dez anos de titularidade de Rivers nos Chargers. Muitos já o colocam a frente de Dan Fouts, outra lenda que fez história a frente da franquia. Neste tempo em atividade na liga Rivers já estabeleceu alguns recordes. Como o de Mais Jogos com rating acima de 120 (5) e Mais TDs lançados para um mesmo tight end (77 – Antonio Gates). Além de ser o líder na maioria das estatísticas de quarterbacks dos Chargers. Até hoje, segundo a NFL, são 45833 jardas lançadas, 314 TDs e 94,7 de passer rating. Apesar da idade um pouco avançada, Rivers é o principal nome da franquia que desembarca em Los Angeles buscando dias melhores a partir de 2017.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários