Contagem regressiva 2017: Biografia do camisa #24 – Marshawn Lynch

Se você é um defensor na NFL e do outro lado um certo Marshawn Lynch está no backfield… boa sorte. O running back não apenas gosta do contato – ele procura o contato. Aplicar um tackle no camisa 24 é uma das missões mais ingratas que se pode ter – Lynch simplesmente não cai! O apelido de Beast não veio a toa: o estilo agressivo combinando força, velocidade e inteligência faz com que ele quebre inúmeros tackles e simplesmente atropele os adversários – Marshawn nasceu para ser um RB no futebol americano profissional. Ele melhora ainda mais seu desempenho quando entra no famoso ‘Beast Mode’ – que inclusive já provocou um terremoto em Seattle. Literalmente um monstro!

Natural de Oakland, Califórnia, Lynch foi criado apenas pela mãe Denise – visto que seu pai foi condenado a 24 anos de cadeia por roubo. Apesar de trabalhar em vários empregos, Denise veio de uma família de atletas e sempre incentivou Marshawn a trilhar o caminho do esporte. E ele seguiu com maestria. O garoto foi considerado um dos melhores prospectos do país nos tempos de high school em vários esportes: basquete, atletismo, wrestling e, é claro, futebol americano.

Além de running back, ele jogou de defensive back, quarterback, wide receiver e linebacker na Oakland Technical High School. O desempenho de RB foi tão absurdo que o conceituado Rivals.com listou Lynch como segundo melhor prospecto na posição do país – apenas atrás de um tal Adrian Peterson.

linchBeast nascendo em Berkeley

Marshawn aceitou o convite e foi estudar na Universidade da Califórnia, em Berkeley, onde defendeu os Golden Bears de 2004 a 2006. Apesar de amargar a reserva de J. J. Arrington em seu ano de calouro, Lynch tocou a camisa 24 pela 10 em 2005, número da sorte no high school, e foi, literalmente, um monstro nas duas temporadas seguintes – somando 2.602 jardas e 21 touchdowns! O jogo mais marcante foi uma performance de 194 jardas e três TDs no Las Vegas Bowl de 2005. Ele ainda possui o recorde de mais jogos de 100 jardas pelos Golden Bears: 17. Ao final de 2006, o RB resolveu abdicar de seu quarto ano em Berkeley para ficar elegível ao Draft 2007.

A passagem pelo Buffalo Billslynch bills

Talvez quem começou a acompanhar a NFL a pouco tempo não saiba disso: o Buffalo Bills foi o time que selecionou Lynch para a NFL – com a 12ª escolha geral de 2007. Curiosamente, a primeira escolha daquele ano foi o primo de Marhawn, JaMarcus Russell – talvez o maior ‘bust’ da história. O RB recebeu a camisa 23 e fez muito barulho em suas duas primeiras temporadas em Buffalo: passou das 1000 jardas tanto em 2007 como em 2008 e somou 15 TDs. Entretanto, não conseguiu acabar com a seca de playoffs da franquia.

Lynch foi preso antes da temporada 2009 começar por porte ilegal de arma – o que rendeu uma suspensão de três partidas pela NFL. Fred Jackson o substituiu muito bem e acabou sendo efetivado como RB titular pelo técnico Dick Jauron. Sem espaço e pouco aproveitado, Lynch acabou sendo trocado no ano seguinte para o Seattle Seahawks por uma escolha de 4ª rodada do Draft 2011 e uma condicional de 5ª de 2012. Que BAITA troca fez o time de Seattle.

A Besta encontra um lar em Seattle

Marshawn Lynch se adaptou muito bem e chegou se sentindo em casa em Seattle – foi importante na campanha de 7-9 que classificou pela primeira vez um time com campanha negativa aos playoffs.  O que ele fez em sua estreia na pós-temporada estará marcado para sempre na história – o lance foi apelidado de “Beastquake” por ter registrado um pequeno terremoto na comemoração da fanática torcida no CenturyLink Field.

https://secureservercdn.net/166.62.113.120/gk5.f5e.myftpupload.com/wp-content/uploads/2015/01/beast.gif8 de Janeiro de 2011, partida de Wild Card entre Seattle Seahawks e New Orleans Saints no CenturyLink Field. Com 3:38 para o fim do duelo, Seattle vencia por 34 a 30, estava com a posse de bola e tentava colocar um ponto final na partida. Lá foi Marshawn Lynch para uma corrida curta pelo meio. Ele saiu do primeiro defensor, do segundo e de outros dois tentaram agarrá-lo pelas pernas. Um outro se pendurou nele e foi arrastado algumas jardas e também deixado para trás, desmoralizado. Tracy Porter, histórico cornerback dos Saints, resolveu enfrentar a besta em pé, mas foi jogado três jardas longe. Mais uma tentativa inútil de pará-lo com um puxão no tornozelo. Lynch ao todo correu 67 jardas e anotou um dos touchdowns mais emblemáticos de todos os tempos!

Era o início de uma passagem gloriosa do agora camisa 24 nos Seahawks. Lynch foi peça fundamental de uma equipe que renascia sob o comando de Pete Carroll: o RB computou PELO MENOS 1.200 jardas terrestres e 11 touchdowns em todas as temporadas de 2011 a 2104! Conquistou seu único Super Bowl em 2013 – em um atropelamento para cima do Denver Broncos de Peyton Manning. Voltou a grande final no ano seguinte contra os Patriots e poderia ter sido o herói do título se Carroll tivesse utilizado o “Beast Mode” na fatídica jogada a uma jarda da end zone nos minutos finais.

Aposentadoria e retorno aos gramados

Lynch esteve longe de ser decisivo em 2015 – muito em função da lesão que teve. Uma hérnia o tirou da maior parte dos jogos e o atrapalhou bastante: foram menos de 500 jardas e apenas três touchdowns. Em fevereiro de 2016, durante o Super Bowl 51, Marshawn Lynch anunciou pelo Twitter a sua aposentadoria dos gramados.

Após um ano de descanso, os rumores de um possível retorno começaram a aparecer ao longo da última offseason. Marshawn resolveu realizar um sonho de criança e assinou um contrato de um ano com o Oakland Raiders – time de sua infância na Califórnia. Em Oakland, Lynch precisará mostrar que estar em forma para brigar por uma posição no time titular, mas tem tudo para assumir rapidamente o lugar de running back principal dessa equipe que promete demais para 2017. Teremos Beast Mode mais uma vez em campo! Os fãs da NFL agradecem.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários