Prévia da temporada 2017: Como será o ano do Baltimore Ravens

John Harbaugh completa dez anos no comando dos Ravens e entra em 2017 mais pressionado do que nunca

Lesões, lesões e mais lesões… Essa vem sendo a vida do Baltimore Ravens nos últimos anos. Mas, ao contrário da temporada 2015 com apenas quatro vitórias, no ano passado o time fez uma campanha regular e brigou por playoffs até a última rodada – perdendo um confronto direto contra o rival Steelers no dia de Natal. Baltimore possui um preocupante recorde de 31-33 em temporada regular desde a conquista do Super Bowl em 2012 e e não foi à pós-temporada em três dos últimos quatro anos. O sinal amarelo já acendeu para o técnico John Harbaugh – que completa 10 anos no comando da equipe. Um outro ano sem playoffs pode fazer a equipe tomar algumas decisões drásticas em 2018.

Mais um ano de Joe Flacco no comando do ataque

Acredite ou não, será também o décimo ano de Joe Flacco nos Ravens. Como passa rápido! A discussão sobre ele ser ou não um QB de elite é interminável, portanto, não vou abordar isso aqui. O fato é que em todo esse tempo na liga ele nunca mostrou nada espetacular além daquela temporada 2012 totalmente fora da curva – o que lhe rendeu um contrato milionário. Mesmo com algumas lesões atrapalhando sua preparação, Flacco será titular na semana 1 e entra mais pressionado do que nunca para mostrar serviço.

A realidade é que esse ataque não empolga em nenhuma posição. Já está claro que Flacco não é o tipo de QB que fará milagres – mesmo assim o Baltimore Ravens foi o 3º time que menos correu com a bola no ano passado. John Harbaugh já deixou claro que deve se comprometer mais ao jogo terrestre, entretanto, Terrance West, Kenneth Dixon e o recém-chegado Danny Woodhead não é o trio dos sonhos do torcedor. São bons nomes, mas nenhum possui a capacidade de mudar o panorama de um jogo.

Eles terão uma linha ofensiva bem mediana que perdeu para 2017 Rick Wagner na última offseason, Alex Lewis e o calouro Nico Siragusa  por lesão e John Urschel que se aposentou. Caberá a Ronnie Stanley e Marshal Yanda a difícil tarefa de levar a linha nas costas.

O grupo de recebedores também não empolga tanto. A principal contratação foi o bom WR Jeremy Maclin – que chega para o lugar do aposentado Steve Smith. Mike Wallace e Beshad Perriman renderam abaixo do esperado em 2016, mas seguem no elenco. A principal baixa será Dennis Pitta – o TE foi peça fundamental do ataque em 2016, mas foi dispensado após deslocar o quadril pela terceira vez. Caberá a Larry Donnell, Benjamin Watson, Maxx Williams e Nick Boyle o papel de substituí-lo.

Defesa que pode carregar o time aos playoffs

Não é exagero dizer que, no papel, os Ravens possuem o melhor elenco dos últimos anos na defesa. O duelo final com os Steelers foi sintomático: o bom GM Ozzy Newsome tratou de trazer bastante talento para um grupo que já era bom – tanto no mercado como em cinco das sete escolhas do último Draft.

A primeira medida do general manager foi reforçar uma secundária que já tinha potencial. Baltimore trouxe Brandon Carr e utilizou a 1º escolha do último Draft em Marlon Humprey – eles serão ótimos complementos ao bom, mas nem sempre saudável, Jimmy Smith. O miolo da secundária promete ter uma das melhores duplas de safety da NFL: Tony Jefferson chega dos Cardinals para dar mais estabilidade ao setor e permitir que o monstro Eric Weddle fique mais livre para ler os olhos dos QBs.

O envelhecido pass-rush foi totalmente rejuvenescido com os garotos Tyus Bowser, Tim Williams e Chris Wormley. Não devem ser titulares por enquanto, mas podem contribuir logo de cara na pressão ao QB adversário. O front seven promete mais uma vez ser feroz comandado por Terrell Suggs, CJ Mosley, Brandon Williams e companhia limitada. 

>>>VEJA O ÍNDICE COM TODAS AS PRÉVIAS PARA A TEMPORADA 2017

 

Favoritismo em 2017

As casas de aposta não parecem estar levando muita fé nos Ravens versão 2017. Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 51 para um! Baltimore é o oitavo nome para vencer a AFC, com 21 para um, e o terceiro dentro da AFC North: R$4,50 para cada real investido.

Vai até onde?

O ponto fundamental para prever a temporada dos Ravens é quanto essa defesa vai demorar para se encaixar. Se o grupo produzir logo de cara, tem totais condições de levar Baltimore para a pós-temporada. Não que o ataque será horrível, mas também não promete nada mais do que a mediocridade dos últimos anos com Joe Flacco e companhia. O fantástico kicker Justin Tucker vai garantir algumas vitórias e o time deve ficar com uma das vagas de Wild Card na AFC.

Previsão: 2º da AFC North

Ingressos para a temporada 2016 da NFL

 

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários