Prévia da temporada 2017: Como será o ano do Washington Redskins

De volta, pode ser a última chance de Kirk Cousins levar os Redskins à pós-temporada

Após vencer a divisão e ir aos playoffs em 2015, o Washington Redskins teve a chance de voltar à pós-temporada no ano passado, mas derrotas para Cardinals, Panthers (times com recorde negativo) e Giants nas semanas finais custaram a tão sonhada vaga. Mais uma vez o QB Kirk Cousins foi bastante inconstante – é quase impossível saber se o lado do gênio ou o do imbecil vai aflorar nos próximos anos. Por esse motivo a franquia, pelo segundo ano consecutivo, colocou a ‘franchise tag’ em Cousins ao invés de dar a extensão de contrato longa que ele tanto espera. A tendência é que ele não fique por lá em 2018.

Kousins e o técnico Jay Gruden permanecem em um furacão de emoções que foi a intertemporada da equipe: os Redskins perderam os dois coordenadores e, de forma surpreendente, mandaram embora o general manager Scot McCloughan , por problemas de alcoolismo, seis semanas antes do Draft! A organização fora de campo está péssima, resta saber como será o desempenho dentro das quatro linhas.

3º melhor ataque da NFL teve a base mantida

Os números de Kirk Cousins ano passado são muito bons: 4,917 jardas, 25 touchdownse 12 interceptações. Entretanto, ele não ganhou a esperada renovação contratual que esperava justamente por não aparecer nos famosos ‘momentos chave’ da temporada. Ele terá em 2017 praticamente a última chance de provar aos Redskins que vale um contrato gordo – se Washington não der, certamente outro time dará.

Apesar dos novo coordenadores, Jay Gruden permanece e, com ele, grande parte da base que fez dos Redskins o 3º melhor ataque em jardas. A boa notícia para o torcedor é a volta de toda a linha ofensiva que foi uma das melhores da NFL na última temporada – a quarta melhor da liga cedendo sacks. O grupo de running backs não é estelar, mas Rob Kelley e Chris Thompson receberão a ajuda do calouro de 4ª rodada Samaje Perine. Um grupo que se completa.

As únicas mudanças bruscas aconteceram no corpo de recebedores com as saídas dos dois melhores WRs dos últimos anos: DeSean Jackson e Pierre Garçon. Para o seus lugares, a franquia trouxe Terrelle Pryor, possivelmente o melhor jogador dos Browns no ano passado, e conta com a evolução ainda maior da dupla Jamison Crowder e Josh Doctson – além do monstro Jordan Reed e Vernon Davis como armas mortais no jogo aéreo. É um bom ataque.

Front seven bastante reforçado! Já a secundária…

No ano passado, os Redskins praticamente ignoraram a defesa no último Draft. Resultado: o setor foi o quinto pior da NFL cedendo jardas (377 por jogo) e o principal responsável pelo time não ter voltado aos playoffs em 2016. Pensando nisso, a franquia tratou de utilizar quatro das primeiras cinco escolhas do último Draft em jogadores de defesa.

O front seven recebeu os reforços de Jonathan Allen para a linha e Ryan Anderson no corpo de linebackers com as duas primeiras escolhas. Terrell McClain, Stacy McGee e o ótimo Zach Brown também chegaram do mercado e devem elevar o nível de atuação desse grupo liderado por Ryan Kerrigan.

Na secundária, Josh Norman permanece e será o maior ponto de equilíbrio para um grupo que foi apenas o 25º contra o passe.  D.J. Swearinger chegou para assumir o posto de free safety, mas ainda é muito inconstante. Ele deve fazer parceria com o também jovem Su’a Cravens pelo meio e Bashaud Breeland segue como o CB titular no lado oposto a Norman. Certamente esse é o ponto mais fraco da equipe.

>>>VEJA O ÍNDICE COM TODAS AS PRÉVIAS PARA A TEMPORADA 2017

 

Favoritismo em 2017

É bem improvável falar de título quando o assunto é o Washington Redskins. Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 51 para um! Washington é o décimo segundo nome para vencer a AFC, com 26 para um, e o lanterninha dentro da NFC East: R$7 para cada real investido.

Vai até onde?

Apesar de algumas saídas, e da secundária continuar vulnerável, me arrisco a dizer que o Washington Redskins de 2017 é ainda melhor do que o time que ficou a um jogo dos playoffs no ano passado – pelo menos no papel. A especulação sobre o futuro de Kirk Cousins e a troca de coordenadores podem afetar o desempenho da equipe ao longo da caminhada. Até cravaria briga por playoffs se tivesse em outra divisão, mas na feroz NFC East não devem ter chance.

Previsão: 4º da NFC East

Ingressos para a temporada 2016 da NFL

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários