Contagem regressiva 2017: Biografia do camisa #3 Jameis Winston

Vencedor do Troféu Heisman de 2013 e dono do prêmio de Melhor Calouro da NFL em 2015 – esses são apenas duas condecorações que credencial Jameis Winston a ser um dos principais prospectos entre os jovens quarterbacks da NFL. Desde o High School, o camisa 3 é portador de uma habilidade versátil, sendo uma arma tanto pelo chão, quanto pelo ar. Sua mobilidade aliada a precisão de seus passes permite ao ataque comandado por ele, ser imprevisível aos adversários.

Jameis L. Winston nasceu em Bessemer, no Alabama, mas estudou na Hueyton High School, em Hueyton. No colégio, Winston se destacava por praticar futebol americano e beisebol. No esporte da bola oval, ele já mostrava ser um jogador diferente e que acrescentava muito no plano de jogo. Em seu último ano no High School, Winston comandou sua equipe ao título estadual e foi o eleito o melhor jogador do ano, pela Gatorade. No ano de 2012, o atleta se formava no ensino médio e demonstrava o interesse de de juntar a Florida State University, quando o time da MLB Texas Rangers o selecionou no draft de 2012. Porém, apesar da escolha, Winston rechaçou a ideia de jogar beisebol e foi para faculdade jogar futebol americano.

Jameis Winston é a provável escolha dos Bucs

Na primeira temporada, Winston ficou longe dos gramados por conta de questões escolares, dando lugar a E.J. Manuel, que em 2012 comandou os Seminoles. No ano seguinte, aí sim o quarterback voltou a fazer o que sabe. Com uma campanha irretocável – 13 vitórias e 0 derrotas na fase classificatória e um triunfo por 45 a 7 sobre Duke, na final do campeonato da conferência ACC – Winston liderou Florida State à classificação à final do futebol americano universitário. Antes da decisão, Jameis se tornou o jogador mais jovem a vencer o Troféu Heisman, prêmio cedido so melhor jogador do esporte na faculdade (19 anos e 342 dias). Em 6 de janeiro de 2014, dia de seu aniversário, Winston teve uma performance decisiva e norteou seus companheiros ao título nacional do futebol americano.

A vitória foi por 34 a 31 em cima de Auburn. O QB ainda seria eleito o MVP ofensivo da partida. Já em 2014, Jameis seguiu fazendo estragos. Com mais uma campanha regular sem derrotas, os Seminoles chegaram ao Rose Bowl, semifinal do campeonato nacional. Porém, desta vez, Florida State não foi páreo para a faculdade de Oregon, que se classificou para a final. No final desta temporada, Winston decidiu encerrar sua carreira universitária e se elegeu ao Draft da NFL. Durante o período escolar foram 7964 jardas, 65 touchdowns e 28 interceptações.

Jameis Winston vai para o seu segundo ano

Jameis Winston vai para o seu segundo ano

Após muita especulação, o Tampa Bay Buccaneers selecionou Jameis Winston na primeira escolha geral do Draft de

2015 da NFL. O acordo entre as partes foi de 23,35 milhões de dólares por quatro anos, além de 16,7 milhões pela assinatura do contrato. Há uma cláusula no firmamento que impede que Winston venha a praticar outro esporte profissionalmente que não futebol americano.

Em sua primeira temporada na NFL, Winston tinha a missão de tirar os Bucs do ostracismo. Sua ação inicial não foi das mais felizes, já que seu primeiro passe na liga foi interceptado e retornado para touchdown – o famoso pick six, no linguajar do esporte. Apesar da frustração, Winston conseguiu uma boa temporada na medida que seu time limitado lhe ajudou. Ao final de 2015, Jameis quebrou vários recordes entre os calouros da franquia – mais TDs em um jogo como calouro (5), passes tentados (535), passes completados (312), jardas aéreas (4042) e passes para touchdown (22). Além de 213 jardas e 6 TDs terrestres. Winston também ainda foi escolhido para substituir Tom Brady no Pro Bowl.

O segundo ano de Winston foi ainda melhor – tanto em números como em vitórias. Apesar de não ter ido aos playoffs, o camisa 3 foi um dos principais responsáveis pela belíssima campanha de 9-7! A expectativa para o ataque dos Bucs é ainda melhor para 2017 com as chegadas de DeSean Jackson e do calouro OJ Howard. A torcida da Flórida sabe que será pelas mãos do quarterback que virá um possível retorno aos playoffs. Não se surpreenda se vier já em 2017.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários