Prévia da temporada 2017: Como será o ano do Dallas Cowboys

Dúvidas cercam o elenco dos Cowboys – e não se trata somente de Zeke Elliott

Pouquíssimas pessoas esperavam algo do Dallas Cowboys em 2016 quando a lesão grave de Tony Romo foi anunciada na pré-temporada, entretanto, o time foi possivelmente a surpresa mais positiva do ano e terminou a temporada regular com 13 vitórias e três derrotas! Como explicar isso? Dois nomes: Dak Prescott e Ezekiel Elliott. A dupla de calouros foi maravilhosa e promete dar muitas alegrias ao torcedor da franquia em um futuro próximo. Agora, será que ela estará em campo ao longo de todo ano? Provavelmente não. A NFL manteve a punição de seis partidas a Elliott na última terça-feira, mas essa novela está longe de ser definida. Muito se fala da ausência do camisa 21 prejudicar o retorno aos playoffs, mas poucos ressaltam a preocupante debandada de 13 jogadores na última offseason.

A equipe viu muito talento ir embora e, por dificuldades no salary cap, não trouxe jogadores muito promissores. Dê uma olhada na lista dos principais jogadores que se foram: cornerbacks Brandon Carr (Baltimore Ravens) e Morris Claiborne (New York Jets), safeties Barry Church (Jacksonville Jaguars) e J.J. Wilcox (Tampa Bay Buccaneers), defensive end Jack Crawford (Atlanta Falcons), defensive tackle Terrell McClain (Washington Redskins) ,guard Ron Leary (Denver Broncos) e as aposentadorias o right tackle Doug Free e do quarterback Tony Romo. Ufa! Como a versão 2017 vai se virar sem esses atletas?

Ataque tem tudo para engrenar – mesmo sem Elliott

Apesar da saída de vários jogadores, foram poucos nomes de ataque que se foram. Para alegria da torcida no Texas, a base do quinto melhor ataque em pontos e jardas da NFL em 2016 foi mantida! A única provável ausência deve ser do RB Ezekiel Elliott – punido pela liga por seis partidas por violar o código de conduta. Zeke será titular na semana 1 contra os Giants e cumprirá a pena das semanas 2 a 7. Isso se os advogados dele não conseguirem reverter. Essa novela certamente terá próximos capítulos.

Claro que perder o melhor RB de 2016 é um baque, mas não é o fim do mundo. Isso porque a linha ofensiva tem tudo para ser dominante por mais um ano – carregada pelos excelentes Tyron Smith,  Zack Martin e o center Travis Frederick. As outras duas posições já estão mais fragilizadas com a saída de Ron Leary e a aposentadoria de Doug Free. O recém-chegado Jonathan Cooper e o jovem La’el Collins deve dar conta do recado. Eles seguirão abrindo espaços para Darren McFadden e Alfred Morris na ausência de Elliott.

Eles serão importantes para tirar a pressão dos ombros do jovem Dak Prescott. O que ele fez em 2016 foi um absurdo: teve possivelmente a melhor temporada de um QB novato na história e venceu com muita justiça o prêmio de melhor calouro ofensivo da última temporada. A franquia levou tanta fé no garoto que não fez questão de manter o experiente Tony Romo no elenco. Espero coisas grandes para Dak nos próximos anos! Ele terá a mesma base de recebedores do ano anterior.

Defesa com muitas caras novas

Como dito acima, foram muitos jogadores que deixaram a defesa dos Cowboys de 2016 para cá. Embora o time não tenha perdido nenhum nome espetacular, os atletas que lá estavam deram conta do recado no ano passado. Com problemas no salary cap, o jeito foi de revitalizar o grupo trazendo cinco bons valores do último Draft. Eles não devem ser titulares logo de cara, mas devem contribuir bastante daqui a algum tempo.

A linha defensiva ganhou os reforços de Taco Charlton, 1º escolha do último Draft, Damontre Moore (suspenso dos dois primeiros jogos) e Stephen Paea. Eles devem dar mais profundidade para um grupo liderado por Demarcus Lawrence e Tyrone Crawford. O front seven se completa com o excelente Sean Lee, o versátil Anthony Hitchens e o esforçado Damien Wilson. Veremos se o grupo manterá o bom nível do ano passado.

A secundária merece um capítulo separado, pois foi quase que totalmente reformulada. Brandon Carr, Morris Claiborne, Barry Church e J.J. Wilcox não são espetaculares, mas foram importantes em boa parte da temporada. O único nome que permanece é de Byron Jones – principal destaque de 2016. A tendência é que Jeff Heath comece ao seu lado – com Orlando Scandrick e Nolan Carroll nas duas pontas. O time trouxe dois CBs e um safety no último Draft, mas eles devem ser inseridos aos poucos.

 

>>>VEJA O ÍNDICE COM TODAS AS PRÉVIAS PARA A TEMPORADA 2017

 

Favoritismo em 2017

Mesmo após toda a indefinição com Zeke Elliott, o Dallas Cowboys segue como um dos favoritos ao título. Segundo dados do Oddsshark.com, a chance do time ganhar o Super Bowl é de 13 para um! Dallas é o terceiro favorito para vencer a NFC, com 7 para um, e o favorito para conquistar a NFC East: R$2,60 para cada real investido.

Vai até onde?

Fica quase impossível projetar a temporada do Dallas Cowboys sem saber se Ezekiel Elliott jogará ou não todos os jogos. Independente da presença do RB, o time teve tantas mudanças que é arriscado cravar que essa equipe vai encaixar logo de cara. Isso sem contar que a NFC East está mais forte do que nunca! Os Cowboys devem brigar por playoffs, mas não sei se vencem a divisão.

Previsão: 2º da NFC East

Ingressos para a temporada 2016 da NFL

 

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários