Vikings vencem os Packers de zero e ficam próximos da folga nos playoffs

Há 24 anos o torcedor do Minnesota Vikings não sabia o que era vencer um oponente sem levar pontos. Agora, imagine o que é quebrar esse tabu diante do maior rival na casa dele. Foi exatamente o que aconteceu neste sábado! Os Vikes visitaram o Lambeau Field e simplesmente não tomaram conhecimento do Green Bay Packers: vitória por 16 a 0 na tundra de Wisconsin que mantém o time muito vivo na briga pela melhor campanha da NFC com os Eagles  e dá um passo importante rumo a folga na primeira partida da pós-temporada.

Infelizmente para os Cabeças de Queijo, esse era um resultado até de certo ponto esperado. O time entrou em campo devastado por lesões em todos os setores – parecia mais uma escalação que Mike McCarthy colocaria em campo no primeiro duelo de pré-temporada! A ausência de Aaron Rodgers prejudicou demais o espetáculo – que poderia valer demais caso Green Bay ainda estivesse vivo na temporada.

Brett Hundley mais uma vez foi muito mal e simplesmente não conseguiu achar uma resposta para a feroz defesa de Minnesota: completou 17 de 40 passes para 130 jardas e duas interceptações. Ouch. Na realidade não foi uma noite muito produtiva dos ataques no geral – visto que Case Keenum não se mostrava ‘afiado’ como em apresentações anteriores. Ele não foi brilhante, os recebedores deixaram de agarrar algumas bolas, mas a defesa garantiu mais um triunfo na gélida Green Bay.

 

Vikings mataram o jogo no 1º quarto

Apesar do frio absurdo no Lambeau Field, vale ressaltar que a torcida espetacular de Wisconsin apareceu e incentivou mesmo com  time já eliminado. Infelizmente os torcedores passaram frio e raiva com o desempenho dos Packers: o ataque começou muito mal e quase não conseguiu se manter em campo no primeiro período. Já o dos Vikings não se pode dizer o mesmo. Mesmo sem um caminhão de jardas, Minnesota dominou o primeiro período em posse de bola e logo tratou de colocar dez pontos no marcador: um field goal de Kai Forbath e um lindo passe de Case Keenum para Stephon Diggs na end zone.

Com uma boa vantagem, os Vikes foram administrando e confiando na defesa para permanecer na frente. Os Packers até tiveram um bom drive nos minutos finais do primeiro tempo e entraram na red zone, mas Hundley colocou tudo a perder: a 15 jardas da end zone, ele lançou uma interceptação bem feia no meio do campo nas mãos do excelente Harrison Smith. Os Vikings não capitalizaram o turnover e foram para os vestiários vencendo por 10 a 0

Muito frio e poucos pontos

A qualidade do jogo foi caindo na mesma proporção da temperatura na tundra de Green Bay. Os Packers, claramente em modo de desespero, arriscaram três vezes em quartas descidas ao longo da segunda etapa e não converteram nenhuma! Em duas oportunidades os Vikes transformaram os ‘turnover on downs’ em pontos com dois chutes certeiros do kicker Forbath. Para fechar com chave de latão a atuação lastimável, Hundley foi mais uma vez interceptado nos minutos finais. Vitória emblemática dos Vikes na casa do rival!

Tags: , , , , , , , , , , ,

Jornalista de Jundiaí e apaixonado pela NFL, Matheus Filippi é fundador e editor-chefe do Endzone Brasil

Mais notícias