O que diz a regra sobre recepção e porque o TD dos Steelers foi anulado

Regra 8, parágrafo 1, artigo 3, item 1: um jogador é considerado estar caindo no chão se ele não consegue se manter pé o suficiente para demonstrar claramente que ele é um corredor. Se um jogador vai para o chão no ato de receber um passe (com ou sem o contato de um oponente), ele precisa manter o controle da bola até o contato inicial com o chão, independente se no campo de jogo ou na endzone. Se ele perder o controle da bola, e a bola encostar no solo antes dele recuperar o controle, o passe é incompleto. Se o recebedor recupera o controle da bola antes dela encostar no chão, o passe é completo.


Este é o trecho do livre de regras da NFL que trata a respeito das recepções e tem algumas coisas que precisam ser definidas para analisar o touchdown anulado do TE Jesse James, que daria a virada aos Steelers no duelo contra os Patritos, vencido por New England por 27 a 24, no Heinz Field (Veja o vídeo do lance acima com a análise oficial da NFL). 

A primeira coisa sobre a regra de recepção é bem clara. O TE Jesse James está claramente caindo no chão no momento da recepção, o que não caracteriza ele como um corredor. Ele tenta um salto grande para pegar a bola e consegue.

Agora entra outro detalhe da deste parágrafo da regra. “Se um jogador vai para o chão no ato de receber um passe (com ou sem o contato de um oponente), ele precisa manter o controle da bola até o contato inicial com o chão, independente se no campo de jogo ou na endzone”. Como deu um grande salto para tentar a recepção, o destino de Jesse James era óbvio: o chão. Sendo assim, a regra é bem clara. Independente do contato ou não de algum adversário, o tight end dos Steelers precisaria manter a posse da bola para configurar a recepção. Na velocidade real do lance é difícil ver que o jogador de Pittsburgh manteve a posse, mas no replay em câmera lenta é bem nítido que a bola se mexe no momento do contato do chão, o que caracteriza a não posse da bola.

Olhando o vídeo no ângulo invertido da transmissão e em velocidade reduzida, com o zoom aproximando a jogada, fica nítido o movimento da bola assim que o tight end bate no chão. Com a mão direita, Jesse James tenta proteger a bola de bater no chão, mas o impacto é muito forte, e a mão esquerda não permite o controle.

Outro ponto da regra: “Se ele perder o controle da bola, e a bola encostar no solo antes dele recuperar o controle, o passe é incompleto.” No fim do movimento a bola encosta no chão, invalidando a grande recepção que seria, após reverem o lance, os árbitros voltam atrás e marcam passe incompleto corretamente.

Algumas das alegações dos torcedores dos Steelers após o jogo é de que a jogada teria que ter acabado quando a bola cruza o plano de goal. No entanto, como ele não fez em nenhum momento o ato de correr com a bola, ele ainda estava em processo de recepção, e ela só acaba quando o movimento da recepção termina.

Jesse James e a polêmica recepção

Ahhh… Mas quando ele encosta o joelho ou o cotovelo no chão a jogada termina. O movimento de recepção só é encerrado quando o recebedor se recompõe em campo com a posse da bola, sem que ela tenha encostado no chão. Fato que não aconteceu com Jesse James.

Diante de toda essa polêmica e discussão, o único consenso que se consegue consegue chegar é que a regra deixa a dúvida e por causa disso teremos muitas horas de debates. Não é a primeira vez. O jogo entre Cowboys e Packers, nos playoffs de 2015, está bem vivo na memória, principalmente dos torcedores de Dallas. Uma recepção de Dez Bryant foi invalidada pelo mesmo motivo da de Jesse James, causando a mesma polêmica deste domingo.

A regra é burra, mas foi aplicada corretamente no jogo entre Steelers e Patriots, que colocou New England em primeiro na Conferência Americana.

Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Comentários