Wild Card 2019: Prévia de Seattle Seahawks x Dallas Cowboys

Dentre os confrontos desta rodada de Wild Card, Seattle Seahawks x Dallas Cowboys é um duelo daqueles poucos prováveis de se prever no início da temporada. Depois de ficarem fora dos playoffs em 2018, as equipes passaram por mudanças na última offseason e não geravam muitas expectativas em seus torcedores. Porém, Cowboys e Seahawks evoluíram durante o ano, corrigiram seus erros, encorparam suas defesas e agora se encontram em um grande confronto, marcado para este sábado, às 23h15 (de Brasília), no AT&T Stadium

O ano é de reconstrução para as duas franquias, que iniciam uma nova era em seus times. Em Seattle, este é o primeiro ano da equipe “pós-Legion Of Boom”: Richard Sherman (dispensado) e Kam Chancellor (Aposentado) deixaram os Seahawks – isso sem contar as polêmicas contratuais envolvendo Earl Thomas. Já Dallas está em sua primeira temporada, desde 2003, sem Tony Romo, Jason Witten (aposentado) ou Dez Bryant (dispensado) no elenco. Do lado azul e verde, a solução passou pelo surgimento de um novo vigor físico na defesa, com Bobby Wagner assumindo a figura principal da unidade. Em seu terceiro ano na NFL, Ezekiel Elliott precisou exercer um papel parecido em Dallas e se afirmou como o jogador mais importante e decisivo da franquia.

>>> Confira o calendário completo dos playoffs

Embora a evolução defensiva tenha sido fundamental, o diferencial para Seattle segue sendo Russell Wilson – não há mais dúvidas de que o camisa 3 é um “QB de elite”. Ponto fraco da equipe nos últimos anos, a linha ofensiva dos Seahawks evoluiu consideravelmente durante o ano e vem conseguindo proteger melhor seu quarterback, fator que será fundamental para a busca de um bom resultado em Arlington.

Nos Cowboys, Dak Prescott precisava de um ano para se afirmar, visto a alternância entre bons e maus momentos entre 2016 – 2017. A missão foi bem sucedida: Prescott voltou a se mostrar uma figura mais segura e conseguiu melhorar seu desempenho. Bem como o seu adversário de Wild Card, os Cowboys também trabalharam muito bem o desenvolvimento de sua defesa. Antes um problema, principalmente quando Sean Lee não estava disponível, a unidade elevou seu patamar com a chegada do calouro Leighton Vander Esch, um dos grandes candidatos a DROY nesta temporada.

A partida deste sábado será a décima nona entre as equipes – se contarmos os duelos válidos por temporada regular. Embora os Cowboys levem vantagem (10-8) no geral, o retrospecto recente é mais animador para os Seahawks. Desde 2012, primeiro ano de Russell Wilson na NFL, são quatro vitórias para Seattle e apenas uma de Dallas. O último triunfo texano ocorreu no CenturyLink Field, em 2014, ano em que os Seahawks foram derrotados pelo New England Patriots no Super Bowl.

Além desses 18 jogos, as equipes já protagonizaram um duelo de playoffs – justamente em uma rodada de Wild Card. Em janeiro de 2007, os Seahawks (campeão da NFC Oeste) receberam os Cowboys (segundo colocado da NFC Leste) no ainda Qwest Field. Na ocasião, a partida se apresentou truncada, até que Dallas abriu sete pontos de frente no início do quarto período. Porém, após um safety reduzir o déficit para 5, Matt Hasselback encontrou Jerramy Stevens e concretizou a virada para Seattle.

Corra, Zeke! Corra! Claro que os Cowboys não se resumem em Ezekiel Elliott, mas é inevitável voltar as principais expectativas para um dos melhores running backs em atividade na NFL. Embora seja eficiente, a defesa de Seattle é terceira que mais cede jardas por tentativa aos corredores (4,9). Em contrapartida, o “monstrinho” Zeke é o líder da liga em jardas terrestres (1434) e em tentativas (304), tendo média de 95,6 jardas corridas por partida.

Se no ataque a receita é avançar pelo chão, na defesa a ordem é coibir que o adversário faça exatamente isso. Além de ser a quinta melhor em jardas terrestres cedidas (1513), a unidade defensiva dos Cowboys conta com um trio de linebackers aterrorizante. Embora tenha evoluído durante a temporada, a linha ofensiva de Seattle convive com muitas lesões e pode se ver em um cenário complicado quanto enfrentar, Jaylon Smith, Leighton Vander Esch e Sean Lee (se este estiver saudável, é claro).

Se o confronto se apresenta parelho em diversos aspectos, como a força dos running backs e também da unidade defensiva, Russell Wilson é o fator que mais destoa. Ele é o jogador de maior calibre das duas equipes e pode decidir a disputa em favor de Seattle. Além de sua mobilidade e ameaça terrestre, Wilson já provou ter talento de sobra para executar ótimos passes e castigar os adversários pelo ar – nesta temporada, o QB quebrou seu recorde de TDs lançados com 35.

Mas não é só de Russell Wilson que vive o ataque de Seattle. Líder da NFL em jardas terrestres, com 2560, a unidade ofensiva contou com um ano excepcional de Chris Carson para avançar pelo chão. Assim, será fundamental que a linha ofensiva dos Seahawks confirme sua evolução e consiga criar cenários favoráveis para Wilson, Carson e companhia. Outro destaque é o calouro Michael Dickson, que já mostrou ser um punter especial e que pode complicar bastante as campanhas ofensivas dos Cowboys.

Muito pelo fator casa, os Cowboys aparecem com um ligeiro favoritismo nas casas de aposta: o triunfo de Dallas rende R$1,71 para cada real apostado segundo os odds mostrados pelo Oddsshark.com/br. Do outro lado, uma vitória dos Seahawks, considerados os azarões, paga R$2,10 para 1. Será que Russell Wilson e companhia podem aprontar no AT&T Stadium? A possibilidade disso é muito boa! Fique de olho em Seattle!

Comentários