Análise de elenco e posições carentes para o Draft 2019 da NFC West: Seahawks, 49ers, Cardinals e Rams

Ao longo dos próximos dias o Endzone Brasil chega com um especial analisando os elencos e as carências das 32 equipes da NFL dias antes do tão esperado Draft na próxima quinta-feira (25). Hoje é dia de falar da NFC West!

Número de escolhas no Draft 2019: Dez
Três posições carentes para o Draft: Wide receiver, linha ofensiva e secundária

Os Cardinals deveriam ser estudados pela NASA – não faz muito sentido o que o time vem fazendo até o momento. Muito do 3-13 do ano passado deve ser colocado na conta de um ataque horroroso e mal treinado. O time contrata um treinador com a mentalidade ofensiva, Kliff Kingsbury, e faz as suas principais contratações… na defesa? Vai entender.

Talvez a grande questão esteja no que a franquia vai fazer com a 1ª escolha geral do evento. Quando se cogitou da franquia seguir a vontade do novo técnico, Kliff Kingsbury, e abrir o evento selecionando o QB Kyler Murray, muitos acharam isso totalmente absurdo – especialmente por já ter utilizado um pick de top 10 no ano passado em Josh Rosen.

Embora isso pareça algo quase que sacramentado, fica a pergunta: será que Murray é a solução para todos os problemas do time? Nem pensar. Pelo tanto de buracos no elenco, especialmente no ataque, seria prudente Arizona tentar conseguir um caminhão de escolhas e se reestruturar em volta de Josh Rosen.

Número de escolhas no Draft 2019: Sete
Três posições carentes para o Draft: Linha ofensiva, pass-rusher e cornerback

Com a base que chegou ao Super Bowl mantida, certamente os Rams devem fazer outra boa temporada em 2019. Agora, é preciso estudar muito o que aconteceu em Atlanta para que a franquia não cometa os mesmos erros – um dos piores times da história na grande final. O time reforçou uma defesa, que já era boa, com dois playmakers: Eric Weddle e Clay Matthews.

Apesar de ser um time bem coeso no geral, LA precisa reforçar a sua linha ofensiva – especialmente no interior. O guard Rodger Saffold foi para os Titans e sua ausência pode prejudicar demais o jogo corrido da equipe. John Sullivan também se foi, mas pode ser que o veterano volte com o contrato reestruturado. É vital no esquema de Sean McVay que a linha seja capaz de abrir espaços pelo chão e, consequentemente, ajudar a vender os play-actions.

Apesar de nenhum grande buraco, a defesa também precisa de ajuda. Mesmo com o veterano Clay Matthews chegando, os Rams devem reforçar o pass-rush – especialmente após a saída de Ndamukong Suh. Um cornerback também deve chegar com a dupla titular em fim de contrato.

Número de escolhas no Draft 2019: Seis
Três posições carentes para o Draft: Pass-rusher, secundária e wide receiver

Depois de perder vários atletas por lesão no ano passado, principalmente Jimmy Garoppolo e Jerick McKinnon, os Niners promoveram uma revolução completa no departamento médico e de desenvolvimento físico. No geral, San Francisco fez um bom trabalho no mercado trazendo Dee Ford, Kwon Alexander, Jason Verrett e principalmente Tevin Coleman – para reviver a parceria dos tempos de Falcons com o técnico Kyle Shanahan. Agora é deixar todo mundo saudável e pronto para mais uma temporada.

Falando do Draft, San Francisco enfrenta aquele clássico dilema: utiliza a 2ª escolha em uma posição carente ou vai buscar o melhor atleta disponível? Se levar em conta que os Cardinals devem ir de Kyler Murray, os Niners terão à disposição todos os jogadores de defesa de uma das classes mais talentosas de todos os tempos.

Que tal aliar necessidade com talento? É isso que o time fará se buscar Nick Bosa com a segunda escolha. Agora, resta saber se os Cardinals não vão surpreender e pegá-lo antes. O garoto fará uma dupla excelente ao lado de Dee Ford. Certamente a equipe irá atrás de reforçar a secundária nos rounds seguintes.

Número de escolhas no Draft 2019: Quatro
Três posições carentes para o Draft: Linha defensiva, secundária e linha ofensiva

Após uma ampla reformulação em 2018, poucos imaginavam que os Seahawks seriam competitivos logo de cara. Mesmo com uma defesa bem mais jovem e promissora, o time conseguiu ir aos playoffs e agora possui um bom ponto de partida para estruturar ainda mais o elenco para as próximas temporadas. A partida de Earl Thomas foi sentida, mas certamente o time deve compensar trazendo um bom safety com as primeiras escolhas do próximo Draft.

A grande questão aqui é o baixo número de picks no Draft 2019 – apenas 4. Isso diminui margem de erro e faz com que Seattle precise ser cirúrgico para suprir os pontos fracos do elenco.

Se tivesse que adivinhar, colocaria os Seahawks trazendo um jogador de linha defensiva, um de linha ofensiva, um de secundária e um wide receiver. Agora, qual a ordem? Como a troca de Frank Clark aconteceu dias antes do Draft, certamente buscar um pass-rusher deve ser a prioridade máxima da equipe.

Comentários