Análise de elenco e posições carentes para o Draft 2019 na NFC North: Bears, Packers, Lions e Vikings

Ao longo dos próximos dias o Endzone Brasil chega com um especial analisando os elencos e as carências das 32 equipes da NFL dias antes do tão esperado Draft na próxima quinta-feira (25). Hoje é dia de falar da NFC North!

Número de escolhas no Draft 2019: Cinco
Três posições carentes para o Draft: running back, wide receiver, kicker

Depois de montar a melhor defesa da NFL cedendo pontos, Vic Fangio deixou o cargo de coordenador para ser técnico do Denver Broncos. Será que Chuck Pagano conseguirá manter o alto nível de seu antecessor? Essa é a maior questão envolvendo os Bears nesta intertemporada. Pelo menos o time conseguiu manter a maioria da base de jogadores de defesa e trouxe reposição para os que saíram em Ha Ha Clinton-Dix e Buster Skrine.

As movimentações da offseason deixam muito claro que a franquia mais uma vez vai tentar ganhar jogos apoiada em sua defesa feroz ao invés de contar com o talento de Mitch Trubisky. Apesar de esforçado, o QB já mostrou que dificilmente conseguirá levar os Bears a um Super Bowl. É exatamente por isso que o time precisa trazer armas no ataque para ajudá-lo e minimizar os possíveis erros. Depois da bizarra troca de Jordan Howard com os Eagles, trazer um bom running back é quase uma obrigação.

A grande questão é o número pequeno de picks no Draft – a primeira escolha do time será apenas a 87. Certamente uma das cinco deve ser utilizada em um kicker – Cody Parkey não está mais no time após o erro imperdoável nos playoffs do ano passado. Desde a saída de Robbie Gould os Bears não encontram estabilidade na posição.

Número de escolhas no Draft 2019: Nove
Três posições carentes para o Draft: secundária, linha defensiva e running back

Embora o pessoal de Detroit não goste das comparações com o estilo administrativo dos Patriots, a presença de Bob Quinn e Matt Patricia faz disso algo quase que inevitável. Não que seja algo ruim copiar a maior dinastia da história da NFL – muito pelo contrário. Dois atletas ex-New England desembarcaram por lá: Trey Flowers e Justin Coleman. A tendência é de que mais jogadores familiarizados com a filosofia de Patricia cheguem do Draft.

Apesar do trabalho decente no mercado, a secundária ainda é o setor de maior preocupação e deve ser reforçada com a primeira escolha da equipe – uma das piores da NFL na última temporada. Como nenhum defensive back da classe é digno de uma escolha no top 10, pode ser que Detroit desça algumas posições e ganhe mais algumas picks no processo.

Outra prioridade defensiva será trazer algum nome para pressionar o QB no miolo da linha – algo quase que ausente no elenco dos Lions. No ataque, ficou claro que Kerryon Johnson não será aquele RB que vai carregar o piano sozinho. Mesmo com a chegada de CJ Anderson, eles precisam de ajuda no setor.

Número de escolhas no Draft 2019: Dez
Três posições carentes para o Draft: Tight end, wide receiver e linebacker

Quando os Packers deixam um pouco de lado a ideia de ‘construir pelo Draft’ e gastam uma boa grana com jogadores no mercado, é sinal que as coisas realmente estão mudando em Wisconsin. O time abriu a carteira e reforçou a defesa – especialmente nas posições de outside linebacker e safety. Agora é preciso olhar com mais carinho para o ataque.

Após anos de Mike McCarthy no comando, o técnico Matt LaFleur assume com uma missão bem específica: fazer Aaron Rodgers voltar a ser Aaron Rodgers. Veremos se o treinador da árvore de Sean McVay e Kyle Shanahan consegue colocar suas ideias em prática. Para isso, será preciso trazer mais playmakers para ajudar A-Rod a ser genial – como um tight end fora de série, um wide receiver com envergadura ou um running back que também receba passes no slot.

Na prática, os Packers chegam ao Draft 2019 de forma peculiar: com três escolhas dentro das primeiras 45 e sem nenhuma carência de elenco tão urgente. Olhando para defesa, um inside linebacker de qualidade é algo que a franquia procura há anos. Fora essas posições citadas, eles devem optar pelo ‘melhor talento disponível’.

Número de escolhas no Draft 2019: Oito
Três posições carentes para o Draft: linha ofensiva, defensive tackle e tight end

Já se sabia que a parte financeira da equipe estaria bem comprometida em 2019, portanto, não é surpresa para ninguém que Minnesota não tenha feito muitas contratações. Como a franquia gastou boa parte do seu capital para segurar peças da defesa,como Anthony Barr e Everson Griffen, as peças para ajudar Kirk Cousins devem vir no Draft.

É possível descrever a missão a equipe no evento do dia 25 em duas palavras: linha ofensiva. De nada adianta ter uma defesa de elite e um ataque recheado de armas se você não consegue proteger o seu quarterback! Esse foi o ponto mais fraco do time no ano passado (na verdade já há algum tempo) e precisa ser amplamente reforçado.

Tirando Riley Reiff, o resto da linha foi muito mal- tanto protegendo Kirk Cousins como abrindo espaços no jogo terrestre. Como os nomes de Danny Isidora e Josh Kline não são, nem de longe, os ideais, os Vikes precisam trazer guards capazes de dar mais variações de jogo para o coordenador Kevin Stefanski. Na defesa, o time podia trazer outro nome além de Shamar Stephen para substituir Sheldon Richardson.

Comentários